Impacto das ações de promoção de saúde em indivíduos com sobrepeso/obesidade

  • Maria Raquel da Silva Lima Universidade de Fortaleza, Fortaleza-CE, Brasil.
  • Ana Angélica Romeiro Cardoso Centro Universitário Estácio do Ceará, Fortaleza-CE, Brasil.
  • Rafaela Dantas Gomes Universidade de Quixeramobim (UNIQ), Quixeramobim-CE, Brasil.
  • Maria Dinara de Araújo Nogueira Centro Universitário Estácio do Ceará, Fortaleza-CE, Brasil.
  • Rosângela Gomes dos Santos Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza-CE, Brasil
  • Paula Matias Soares Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza-CE, Brasil
Palavras-chave: Sobrepeso, Obesidade, Promoção, Interdisciplinaridade

Resumo

A obesidade é uma patologia multifatorial, que necessita de cuidado integral. Sendo assim, o objetivo geral foi analisar os resultados de ações de promoção em saúde, com abordagem interdisciplinar à pacientes com sobrepeso/obesidade. Esta pesquisa tratou-se de um estudo exploratório, com metodologia clínico-qualitativa em um grupo de promoção de saúde de 33 participantes. Os participantes deveriam possuir o diagnóstico de sobrepeso ou obesidade com idades entre 23 e 84 anos, sendo excluídos adultos eutróficos, adolescentes e gestantes. Os encontros ocorreram no Centro de Atenção Psicossocial Geral. A coleta de dados deu-se por entrevista semiestruturada, e posteriormente sujeita a análise de conteúdo. Observou-se então que a motivação, conscientização de melhores hábitos alimentares, a necessidade de compartilhar o aprendizado, assim como o fortalecimento de vínculos, se fizeram presentes. Desta forma, faz-se necessário intensificar ações de promoção à saúde, visando a intersetorialidade e interdisciplinaridade, complementando de forma coletiva o cuidado.

Biografia do Autor

Maria Raquel da Silva Lima, Universidade de Fortaleza, Fortaleza-CE, Brasil.

Graduada em Nutrição pelo Centro Universitário Estácio do Ceará, especialista em Saúde da Família e Comunidade na modalidade de Residência Multiprofissional em Saúde e aperfeiçoamento em Terapia Comunitária Integrativa pela Escola de Saúde Pública do Ceará. Além disso, especialista em Nutrição Esportiva aplicada ao Exercício Físico pela Universidade Estadual do Vale do Acaraú e pós-graduada em Prescrição de Fitoterápicos e Suplementação Nutricional na Prática Cliníca e Esportiva pela Universidade Estácio de Sá. Atualmente está vinculada como mestranda, no Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva na Universidade de Fortaleza

Ana Angélica Romeiro Cardoso, Centro Universitário Estácio do Ceará, Fortaleza-CE, Brasil.
Possui graduação em Nutrição pela Universidade Estadual do Ceará (2000). Experiência na área de Nutrição, com ênfase na saúde coletiva como nutricionista do NASF em prevenção e promoção á saúde. Como também na área de gestão em unidades de atenção primária à saúde.Atualmente exerce o cargo de preceptora em saúde coletiva no Centro Universitário Estácio do Ceará
Rafaela Dantas Gomes, Universidade de Quixeramobim (UNIQ), Quixeramobim-CE, Brasil.
Possui graduação em Nutrição pela Faculdade Estácio do Ceará (2018), pós graduação em Nutrição pela UNIQ - Universidade de Quixeramobim (2018) e graduanda em Nutrição em Oncologia (conclusão prevista para outubro de 2018). Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em Nutrição Clínica.
Maria Dinara de Araújo Nogueira, Centro Universitário Estácio do Ceará, Fortaleza-CE, Brasil.

Nutricionista Clínica no Hospital Distrital Gonzaga Mota Messejana (HDGMM); Graduada pela UniFanor Wyden; Pós-graduanda em Nutrição Pediátrica, Escolar e na Adolescência pelo Centro Universitário Estácio do Ceará

 

Rosângela Gomes dos Santos, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza-CE, Brasil
Educadora física. Especialista em Saúde Mental na modalidade de Residência Multiprofissional pela Escola de Saúde Pública do Ceara- ESP/CE. Mestranda em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual do Ceará
Paula Matias Soares, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza-CE, Brasil
Educadora Física. Doutora em Biotecnologia. Professora Adjunta J da Universidade Estadual do Ceará do Curso de Educação Física - CEF/CCS/UECE. Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas

Referências

-Andrade, G.R.B.; Vaitsman J. Apoio social e redes: conectando solidariedade e saúde. Ciênc. saúde colet. Vol.7. Num.4. 2009.p.925-934.

-Bardin, L. Análise conteúdo. 5ª edição. Lisboa. Edições 70. 2010.

-Bianchini, J.A.A.; Hintze, L J.; Bevilaqua, C.A.; Agnolo, C.M.D.; Junior, N.N. Tratamento da Obesidade: Revisão de artigos sobre intervenções multiprofissionais no contexto brasileiro. Arq Ciênc Saúde. Vol.19. Num.2. 2012. p.9-15.

-Bittar, C.; Lima, l.C.V. O impacto das atividades em grupo como estratégia de promoção da saúde na senescência. Vol.14. Num.4. 2011. p.101-118.

-Cateneo, C.; Carvalho, A.M.P.; Galindo, E.M.C. Obesidade e Aspectos Psicológicos: Maturidade Emocional, Auto-conceito, Locus de Controle e Ansiedade. Psicol Refl Crít. Vol.18.Num.1. 2005.p.39-46.

-Czeresnia, D.; Freitas, C. (Orgs.). Promoção da Saúde: conceitos, reflexões, tendências. Rio de Janeiro. Ed. Fiocruz. 2003.

-Freire, P. Educação e mudança. 29ª edição. São Paulo. Editora Paz & Terra. 2002.

-Japiassu, H. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro. Imago.1976.

-Keher, G.M.; Souza, V.F.M.; Vágula, S.; Fiorese, L.V.; Nardo Júnior, N.; Pereira, V.R. Prevenção e tratamento da obesidade: indicativos do sul do Brasil. Cienc Cuid Saude Vol.6. Num.2. 2007. p. 427-432.

-Lacerda, A. Redes de Apoio Social no Sistema da Dádiva: Um Novo Olhar Sobre a Integralidade do Cuidado no Cotidiano de Trabalho do Agente Comunitário de Saúde. Tese de Doutorado. Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca. Rio de Janeiro. 2010.

-Minayo, M.C.S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo. Hucitec.2007.

-Pereira, J.M.; Helene, L.M.F. Reeducação alimentar e um grupo de pessoas com sobrepeso e obesidade: relato de experiência. Espaç. Saúde. Vol.7. Num.2. 2006. p.32-38.

-Rotenberg, S.; Vargas, S. Práticas alimentares e o cuidado da saúde: da alimentação da criança à alimentação da família. Rev. Bras. Saude Mater. Infant. Vol.4. Num.1.2004. p.85-94.

-Santos, A.L.; Pasquali, R.; Marcon, S.S. Sentimentos e vivências de obesos participantes em grupo de apoio: estudo exploratório. OBJN.Vol.11. Num.1. 2012.

-Santos, L.M.; Ros, M.A.; Crepaldi, M.A.; Ramos L.R. Grupos de promoção à saúde no desenvolvimento da autonomia, condições de vida e saúde. Rev. Saúde Públ. Vol.40. Num.2. 2006. p.346-52.

-Santos, M.A.M; Cutolo, L.R.A. A Interdisciplinaridade e o Trabalho em Equipe no Programa de Saúde da Família. Arq. Catarin. Med. Vol.32. Num.4. 2003. p.65-74.

-Souza, A.C.; Colomé, I.C.S.; Costa, L.E.D.; Oliveira, D.L.L.C. A educação em saúde com grupos na comunidade: uma estratégia facilitadora da promoção da saúde. Rev Bras Enferm. Vol.26. Num.2. 2005.p.147-53.

-Tahan, J.; Carvalho, A.C.D. Reflexões de Idosos Participantes de Grupos de Promoção de Saúde Acerca do Envelhecimento e da Qualidade de Vida. Saúde Soc. Vol.19. Num.4. 2010.p.878-888.

-Turato, E.R. Tratado da metodologia da pesquisa clínico qualitativa. Petrópolis. Vozes.2003.

-Victor, J.F.; Araújo, A.R.; Ximenes, L.B.; Araújo, T.L. Grupo Feliz Idade: cuidado de enfermagem para a promoção da saúde na terceira idade. Rev Gaucha Enferm. Vol.41. Num.4 2011.p.724-30.

Publicado
2020-05-16
Como Citar
Lima, M. R. da S., Cardoso, A. A. R., Gomes, R. D., Nogueira, M. D. de A., dos Santos, R. G., & Soares, P. M. (2020). Impacto das ações de promoção de saúde em indivíduos com sobrepeso/obesidade. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 13(81), 687-694. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1041
Seção
Artigos Científicos - Original