Efeito de produtos derivados da uva comparados ao exercício físico aeróbio na hipertrofia cardíaca em ratos

  • Andre Luiz Petrolini Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Educação Física, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina-PE, Brasil.
  • Layane Costa Saraiva Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Educação Física, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina-PE, Brasil.
  • Marsuelanea Limeira da Silva Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina-PE, Brasil.
  • Wilkslam Alves de Araújo Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências da Saúde e Biológicas, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina-PE, Brasil.
  • Karoline Teixeira Passos de Andrade Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Ciências da Saúde e Biológicas, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina-PE, Brasil.
  • Antônio Gonçalves dos Santos Neto Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina-PE, Brasil.
  • Ferdinando Oliveira Carvalho Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina-PE, Brasil.
Palavras-chave: Hipertrofia cardíaca, Uva, Ratos

Resumo

As doenças cardiovasculares (DCV) são um dos principais problema de saúde pública mundial, ocasionando altas taxas de mortalidade, morbidade e gerando altos custos com tratamentos. Mediante tais fatos algumas alternativas não farmacológicas como a ingestão de alimentos funcionais e a prática de exercício físico vêm sendo estudadas com o intuito de prevenir e tratar as DCVs. Objetivo: Verificar se o consumo de vinho tinto, suco de uva integral e a prática de exercício aeróbio promovem hipertrofia cardíaca em ratos Wistar. Método: Utilizados 48 ratos Wistar machos, com idade de seis meses, divididos em quatro grupos experimentais: vinho, suco, exercício e controle. Todos os animais passaram por gavagem, durante oito semanas. O treinamento aeróbio foi realizado de forma individualizada, em uma roda de atividades motorizada, no período de duas semanas de adaptação e oito semanas de intervenção com implementação de cargas. Após intervenção, foi realizado processo cirúrgico para retirada dos órgãos, seguido de dissecação dos corações para análise. Resultados: Nos valores do índice de Lee pré e pós intervenção ocorreu diferenças significativas em todos os grupos. No peso absoluto do coração houve um aumento em razão ao tamanho da tíbia para todos os grupos em relação ao controle. O peso relativo do coração apresentou diferenças significativas para todos os grupos em relação ao grupo controle, sugerindo uma hipertrofia cardíaca. Conclusão: O consumo de substâncias como o suco de uva e o vinho tinto, assim como a prática regular de atividade física auxiliam no processo de hipertrofia cardíaca em ratos Wistar.

Biografia do Autor

Andre Luiz Petrolini, Programa de pós-graduação Stricto Sensu em Educação Física, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina-PE, Brasil.
Laboratório de Anatomia e Necropsia

Referências

-World Health Organization. Hearts: technical package for cardiovascular disease management in primary health care. Geneva: World Health Organization. 2016.

-Brasil. Departamento de informática do SUS. Infarto agudo do miocárdio é primeira causa de mortes no País, revela dados do DATASUS, 2014. Disponível em: <http://datasus.saude.gov.br/noticias/atualizacoes/559-infarto-agudo-do-miocardio-e-primeira-causa-de-mortes-no-pais-revela-dados-do-datasus>. Acesso em 19/04/2017.

-Moreira, M.M.; Ikegami, E.M.; Mesquita, I.M.R.; de Assis Amaro, E.; Pena, V.V.; Meneguci, J.; Garcia, C.A.; Júnior, J.S.V. Impacto da inatividade física nos custos de internações hospitalares para doenças crônicas no Sistema Único de Saúde. Arquivos de Ciências do Esporte. Vol. 5. Num. 1. 2017. p. 16-19.

-Albuquerque, G.; Oliveira, A. M. Alimentação saudável e dietas específicas na prevenção cardiovascular: realidade e mitos. Revista Factores de Risco. Vol. 35. 2015. p. 44-51.

-Olas, B. Berry Phenolic Antioxidants–Implications for Human Health?. Frontiers in pharmacology. Lodz. Vol. 9, 2018. p. 78.

-Wightman, J.D.; Heuberger, R.A. Effect of grape and other berries on cardiovascular health. Journal of the Science of Food and Agriculture. Vol. 95. Num. 8. 2015. p. 1584-1597.

-Fletcher, G.F.; Ades, P.A.; Kligfield, P.; Arena, R.; Balady, G.J.; Bittner, V.A.; Coke, L.A.; Fleg, J.L.; Forman, D.E.; Gerber, T.C.; Gulati, M.; Madan, K.; Rhodes, J.; Thompson, P.D.; Mark A. Exercise standards for testing and training: a scientific statement from the American Heart Association. Circulation. Vol. 128. Num. 8. 2013. p. 873-934.

-Kiliszek, M.; Mackiewicz, U.; Maczewski, M.; Burzynska, B. Molecular evidence that exercise training has beneficial effects on cardiac performance. Ann. Transl. Med. Vol. 4. Num. 11. 2016. p. 228.

-Pedersen, B.K.; Saltin, B. Exercise as medicine - evidence for prescribing exercise as therapy in 26 different chronic diseases. Scandinavian journal of medicine & science in sports. Vol. 25. Suppl. 3. 2015. p. 1-72.

-Rohini, A.; Agrawal, N.; Koyani, C.N.; Singh, R. Molecular targets and regulators of cardiac hypertrophy. Pharmacological research. Vol. 61. Num. 4. 2010. p. 269-280.

-Brum P.C.; Forjaz C.L.M.; Tinucci, T.; Negrão, C.E.; Adaptações agudas e crônicas do exercício físico no sistema cardiovascular. Rev Paul Educ Fís. Vol. 18. Num. 1. 2004. p. 21-31.

-Rondon, M.U.P.B.; Brum, P.C. Exercício físico como tratamento não-farmacológico da hipertensão arterial. Revista Brasileira de Hipertensão. Vol. 10. Num. 2. 2003. p. 134-9.

-Abreu, E.S.; Alves, J.O.; Camurca, A.C.; Ferraz, A.S.M.; Ceccatto, V.M. performance física e hipertrofia ventricular relacionada ao treinamento aeróbico contínuo e intervalado em ratos. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 9. Num. 53. 2015. p. 269-276.

-De Luca, R.R.; Alexandre, S.R.; Marques, T.; Souza, N.L.; Merusse, J.L.B.; Neves, S.P. Manual para técnicos em bioterismo. São Paulo. Winner Graph. 1996.

-Yin, F.C.; Spurgeon, H.A.; Rakusan, K.; Weisfeldt, M.L.; Lakatta, E. G. Use of tibial length to quantify cardiac hypertrophy: application in the aging rat. Am J Physiol. Vol. 243. Num. 6. 1982. p. H941-947.

-Pagan, L.U.; Damatto, R.L.; Cezar, M.D.; Lima, A.R.; Bonomo, C.; Campos, D.H.; Gomes, M.J.; Martinez, P.F.; Oliveira, Jr. S.A.; Gimenes, R.; Rosa, C.M.; Guizoni, D.M.; Moukbel, Y.C.; Cicogna, A.C.; Okoshi, M.P.; Okoshi, K. Long-term low intensity physical exercise attenuates heart failure development in aging spontaneously hypertensive rats. Cell Physiol Biochem. Vol. 36. Num. 1. 2015. p. 61-74.

-Zornoff, L.A.M.; Matsubara, B.B.; Matsubara, L.S.; Minicucci, M.F.; Azevedo, P.S.; Campana, A.O.; Paiva, S.A.R. Cigarette smoke exposure intensifies ventricular remodeling process following myocardial infarction. Arq Bras Cardiol. Vol. 86. Num. 4. 2006. p. 276-82.

-Andersen, J.L.; Schjerling, P.; Saltin, B. Muscle, genes and athletic performance. Sci. Am. Vol. 283. Num. 3. 2000. p.48-55.

-Mccall, G.E.; Byrnes, W.C.; Dickinson, A.; Pattany, P.M.; Fleck, S.J. Muscle fiber hypertrophy, hyperplasia, and capillary density in college men after resistance training. J.Appl. Physiol. Vol. 81. Num. 5. 1996. p. 2004-2012.

-Harber, M.P.; Konopka, A.R.; Douglass, M.D.; Minchev, K.; Kaminsky, L.A.; Trappe, T.A.; Trappe, S. Aerobic exercise training improves whole muscle and single myofiber size and function in older women. American journal of physiology Regulatory, integrative and comparative physiology. Vol. 297. Num. 5. 2009. p. R1452-9.

-Konopka, A.R.; Harber, M.P. Skeletal muscle hypertrophy after aerobic exercise training. Exercise and sports ciences reviews. Vol. 42. Num. 2. 2014. p. 53- 61.

-Olarte, L.C.; Carvalho, J.E.R.; Florindo Neto, A.R.; Teixeira, G.R.; Seraphim, P.M.; Faccioni, L.C. Morfometria das fibras musculares do músculo reto femoral de ratos submetidos à nicotina e ao treinamento aeróbio. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício. São Paulo. Vol. 11. Num. 64. 2017. p. 110-121.

-Okoshi, K.; Minicucci, M.F.; Fusco, D.R.; Nadruz Junior, W.; Gimenes, C.; Okoshi, M.P.; Almeida, E.A. Efeitos do treinamento físico aeróbio sobre a expressão da miostatina e o trofismo de músculos esqueléticos e cardíaco de ratos espontaneamente hipertensos com insuficiência cardíaca. Tese de Doutorado. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. São Paulo. 2014.

-De Ataides Raquel, H.; Lyra, A.A.S.; Souza, C.O.; Souza, H.M.; Zaia, C.T.B.V.M.; Martins-Pinge, M.C. Caracterização bioquímica e composição corporal de um modelo de treinamento físico de natação em ratos. Biosaúde. Vol. 15. Num. 2. 2013. p. 55-64.

-Barbosa Neto, O.; Cheik, N.C.; Chriguer, R.S. Estudo dos parâmetros autonômicos cardiovasculares em ratos wistar submetidos à suplementação crônica de chá verde e treinamento físico. 2016. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Minas gerais. 2016.

-Amadeu, M.A. Expressão de microRNAs no coração de ratos espontaneamente hipertensos (SHR) submetidos à treinamento físico aeróbio. Dissertação de mestrado. Escola Superior de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2011.

-Silva, V.L. Efeito do treinamento físico sobre a função do canal de cálcio tipo L no miocárdio de ratos obesos induzidos por dieta hiperlipidica insaturada. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Espírito Santo. Espírito Santo. 2015.

-Martinez, P.F.; Bonomo, C.; Guizoni, D.M.; Oliveira, S.A.Jr.; Damatto, R.L.; Cezar, M.D.M.; Lima, A.R.R.; Pagan, L.U.; Seiva, F.R.F.; Bueno, R.T.; Fernandes, D.C.; Laurindo, F.R.; Zornoff, L.A.M.; Okoshi, K.; Okoshi, M.P. Modulation of MAPK and NF-kB signaling pathways by antioxidant therapy in skeletal muscle of heart failure rats. Cellular Physiology and Biochemistry. Vol. 39. Num. 1. 2016. p. 371-384.

-Mendes, O.C.; Sugizaki, M.M.; Campos, D.S.; Damatto, R.L.; Leopoldo, A.S.; Lima Leopoldo, A.P.; Baldissera, V.; Padovani, C.R.; Okoshi, K.; Cicogna, A.C. Exercise tolerance in rats with aortic stenosis and ventricular diastolic and/or systolic dysfunction. Arq Bras Cardiol. Vol. 100. Num. 1. 2013. p. 44-51.

Publicado
2020-05-16
Como Citar
Petrolini, A. L., Saraiva, L. C., da Silva, M. L., de Araújo, W. A., de Andrade, K. T. P., dos Santos Neto, A. G., & Carvalho, F. O. (2020). Efeito de produtos derivados da uva comparados ao exercício físico aeróbio na hipertrofia cardíaca em ratos. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 13(81), 821-830. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1070
Seção
Artigos Científicos - Original