Avaliação do perfil nutricional e prevalência de doenças crônicas em pacientes atendidos em uma Clínica Escola de Nutrição do município de São Paulo

  • Ana Paula de Lima Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo-SP, Brasil.
  • Lidiane M. Pereira de Araujo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo-SP, Brasil.
  • Ana Carolina de Oliveira Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo-SP, Brasil.
  • Marcia Nacif Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo-SP, Brasil.
Palavras-chave: Doenças crônicas, Perfil nutricional, Consumo alimentar

Resumo

Introdução: As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são consideradas as principais causas de mortalidade no mundo e têm sido associadas ao aumento do consumo de alimentos com alta densidade energética, ricos em açúcares, sódio e ácidos graxos trans, além da diminuição na dieta de alimentos ricos em fibras, vitaminas e minerais antioxidantes. Objetivo: Avaliar o perfil nutricional e a prevalência de doenças crônicas em pacientes atendidos em uma clínica escola de nutrição do município de São Paulo. Materiais e Métodos: Foram analisados dados de prontuários de 138 pacientes, de ambos os gêneros, atendidos em uma clínica escola de nutrição. O consumo alimentar foi avaliado pelos recordatórios de 24 horas que constavam nos prontuários dos pacientes. Analisou-se carboidratos, proteínas, lipídios totais, ácidos graxos polinsaturados, monoinsaturados, colesterol e fibras. A composição corporal foi avaliada pelo peso, altura, circunferência de braço, circunferência abdominal e dobras cutâneas. Resultados: A maior procura pela clínica foi de mulheres (74,45%), entre 20 a 30 anos (39,41%); com pelo menos alguma enfermidade crônica (67,15%) e excesso de peso (65,7%). Grande parte das mulheres (75,67%) apresentou risco de doença cardiovascular e elevado percentual de gordura corporal (67,82%). O consumo médio de carboidratos, proteínas e lipídeos se mostrou adequado quanto as recomendações propostas pelas DRIs (2002). Porém, a ingestão de fibras estava inadequada. Conclusão: A população atendida na Clínica de Nutrição apresenta alta prevalência de DCNT, com predomínio de sobrepeso e obesidade. Assim, ressalta-se a importância do acompanhamento nutricional, visando a prevenção de doenças e melhoria do perfil nutricional desta população. 

Biografia do Autor

Ana Paula de Lima, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo-SP, Brasil.
discente do curso de Nutrição da Universidade Presbiteriana Mackenzie
Lidiane M. Pereira de Araujo, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo-SP, Brasil.
discente do curso de Nutrição da Universidade Presbiteriana Mackenzie
Ana Carolina de Oliveira, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo-SP, Brasil.
nutricionista da Clínica Escola de Nutrição da Universidade Presbiteriana Mackenzie
Marcia Nacif, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo-SP, Brasil.
Universidade Presbiteriana Mackenzie
Centro de Ciências Biológicas e da Saúde - CCBS
Profa Doutora do Curso de Nutrição

Referências

-Alwan, A. Monitoring and surveillance of chronic non-communicable diseases: progress and capacity in high-burden countries. Lancet. Vol.376. Num. 9755. 2010. p.1-176.

-Bonotto, G.M.; Mendoza-Sassi, R.A.; Susin, R.L.O. Conhecimento dos fatores de risco modificáveis para doença cardiovascular entre mulheres e seus fatores associados: um estudo de base populacional. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 21. Num. 1. 2016. p. 293-302.

-Bernaud, F.S.R.; Rodrigues, T.C. Fibra alimentar - Ingestão adequada e efeitos sobre a saúde do metabolismo. Arq. Bras. Endocrinol. Metab. Vol.57. Num.6. 2013. p.397-405.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022 / Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Brasília. Ministério da Saúde. 2011.

-Casado, L.; Vianna, L.M.; Thuler, L.C.S. Fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de cancerologia. Vol.55. Num.4. 2009. p.378-388.

-Cristóvão, M.F.; Sato, A.P.S.; Fujimori, E. Excesso de peso e obesidade abdominal em mulheres atendidas em Unidade da Estratégia Saúde da Família. Rev. Esc. Enferm. Vol. 45. Esp. 2. 2011. p.1667-72.

-DRIs. Dietary Reference Intakes for energy, carbohydrate, fiber, fat, fatty acids, cholesterol,protein, and amino acids. Washington, D.C.: National Academy Press, 2002. Disponível em: URL: http://www.nap.edu.

-Durnin, J.V.; Womersley, J. Body fat assessed from total body density and its estimation from skinfold thickness: measurements on 481 men and women aged from 16 to 72 years. Br J Nutr. Vol.32. Num.1. 1974. p.77-97.

-Lohman T. Advances in body composition assessment. Champaign. Human Kinetics. 1992.

-Malta, D.C.; Sheila Rizzato Stopa, S.R.; Szwarcwald, C.L.; Gomes< N.L.; Silva Júnior, J.B.; Reis, A.A.C. A vigilância e o monitoramento das principais doenças crônicas não transmissíveis no Brasil. Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Rev. Bras. Epidemiol. Vol.18. suppl 2. 2015. p.3-16.

-Malta, D.C.; Morais Neto, O.L.; Silva Junior, J.B. Apresentação do plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis no Brasil, 2011 a 2022. Epidemiol Serv Saúde. Vol. 20. Num. 4. 2011. p.425-438.

-Organização Pan Americana de Saúde. Doenças Transmissíveis e Doenças Não Transmissíveis. Conceito. 2019. Disponível em:

https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=569:conceito-doencas-cronicas-nao-transmisiveis&Itemid=463.

-Peixoto, M.R.G.; Monego, E.T.; Alexandre, V.P.; Souza, R.G.M.; Moura, E.C. Monitoramento por entrevista telefônica de fatores de risco para doenças crônicas: experiência de Goiânia, Goiás, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro. Vol. 24. Num.6. 2008. p.1223-1333.

-Pereira, L.S.S.; Pinto, R.C.P.; Azevedo, V.; Muzi, V.R.; Quintão, D. Relação entre perfil antropométrico e a ingestão dietética em pacientes atendidos na clínica escola da faculdade Pitágoras, campus Ipatinga-MG. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol.6. Num.31. 2012. p.4-12.

-Sabóia, R.S.; Araújo, A.P.; Barbosa, J.M.; Galvão, C.E.P.; Cruvel, J.M. S.; Ferreira, S.C.N. Obesidade abdominal e fatores associados em adultos atendidos em uma clínica escola. Rev. Bras Promoç Saúde. Fortaleza. Vol. 29. Num. 2. 2016. p. 259-267.

-Santos, C.M.; Araújo, A. R.; Cabral, P.C. Evolução antropométrica de pacientes com sobrepeso atendidos em ambulatórios de nutrição. Rasbran, Revista da Associação Brasileira de Nutrição. Vol. 5. Num. 1. 2013. p. 13-20.

-Santos, C.M.; Silva, C.S.S.; Silva, C.S.; Araújo, C.S.; Araújo, E.C.A.; Arruda, I.K.G.; Diniz, A.S.; Cabral, P.C. Perfil lipídico e glicídico de pacientes atendidos em ambulatório e sua correlação com índices antropométricos. Rev. Port. Cardiol. Vol.32. Num.1. 2013. p.35-41.

-Schmidt, V.; Bernard, A.; Vieira, D.D. Perfil de pacientes que procuram atendimento nutricional. Salão do conhecimento, XIV Jornada de Extensão. 2013. p.1-4.

-World Health Organization. Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Geneva: World Health Organization. 1995.

-World Health Organization. Monitoring Health for the SDGs. World Health Statistics. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/272596/9789241565585-eng.pdf?ua=1&ua=1. Acesso em 26/02/2019.

-Zanella, S.; e colaboradores. Perfil nutricional e epidemiológico de pacientes atendidos em clínica de nutrição em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Suplementar 2. Vol.11. Num.68. 2017. p.677-684.

Publicado
2020-05-16
Como Citar
de Lima, A. P., de Araujo, L. M. P., de Oliveira, A. C., & Nacif, M. (2020). Avaliação do perfil nutricional e prevalência de doenças crônicas em pacientes atendidos em uma Clínica Escola de Nutrição do município de São Paulo. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 13(82), 898-904. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1086
Seção
Artigos Científicos - Original