Consumo alimentar e hábitos de vida de hipertensos atendidos em um ambulatório de nutrição de Pelotas-RS

  • Wanderléia Ortiz Martins Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas, Brasil.
  • Alessandra Doumid Borges Pretto Programa de Pós Graduação em Saúde e Comportamento da Universidade Católica de Pelotas, RS.
  • Fabiana Barbosa Pacheco Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas, Brasil.
  • Angela Nunes Moreira Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas, Brasil.

Resumo

Introdução e objetivo: O consumo regular de determinados alimentos, a redução do consumo de sódio, gorduras e açúcares, a prática regular de atividade física e os bons hábitos de vida são essenciais para prevenir e/ou normalizar a hipertensão arterial. O artigo objetivou avaliar o consumo alimentar e os hábitos de hipertensos atendidos em um ambulatório de nutrição no município de Pelotas-RS. Materiais e métodos: Análise de dados secundários provindos dos prontuários. As variáveis analisadas foram: índice de massa corporal, circunferência da cintura, circunferência do pescoço, índice de conicidade, consumo alimentar, variação de peso, percentual de perda de peso, hábitos de vida (tabagismo, etilismo, sedentarismo) e patologias associadas. As análises estatísticas foram realizadas no Stata® 12, com nível de significância de 5%. Discussão: Os resultados encontrados são semelhantes a estudos com hipertensos. Resultados:  A maioria dos pacientes apresentou excesso de peso, sedentarismo e valores acima do recomendado das medidas antropométricas, mas houve aumento no consumo de frutas, verduras e legumes, leite e derivados, integrais, água, e redução de alimentos ricos em sódio. Conclusão: Bons hábitos de vida e um adequado consumo alimentar são fundamentais no tratamento de pacientes hipertensos, visando a melhoria dos sintomas e na prevenção de comorbidades.

Biografia do Autor

Wanderléia Ortiz Martins, Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas, Brasil.

Graduanda em Nutrição pela Universidade Federal de Pelotas, Pelotas-RS, Brasil.

Alessandra Doumid Borges Pretto, Programa de Pós Graduação em Saúde e Comportamento da Universidade Católica de Pelotas, RS.

Doutora em Saúde e Comportamento, Professora Adjunta da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas, Pelotas-RS, Brasil.

Fabiana Barbosa Pacheco, Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas, Brasil.

Mestranda do Programa de Pós Graduação em Nutrição e Alimentos da Universidade Federal de Pelotas, Pelotas-RS, Brasil.

Angela Nunes Moreira, Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas, Brasil.

Doutora em Biotecnologia pela Universidade Federal de Pelotas. Professora Associada da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas, Pelotas-RS, Brasil.

Referências

-Abeso. Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Diretrizes brasileiras de obesidade. São Paulo. 4ª edição. 2016.

-Abreu, R.N.D.C.; Moreira, T.M.M. Estilo de vida de pessoas com hipertensão após o desenvolvimento de complicações ligadas à doença. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde. Vol. 3. Num. 1. 2012.p.26-38.

-Camargo, A.L.; Santos, E.M.; Galhardi, H.; Córdoba, G.M.C.; Nobre, J.A.S. Caracterização antropométrica e de saúde de usuários da rede básica de saúde de Americana-SP. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo. Vol.11. Num.66. 2017. p.412-419.

-Damero, D.R.; Pretto, A.D.B.; Ulguim, K.F.; Massaut, K.B.; Silva, E.P.; Rodrigues, R.R.; Marques, G.A.; Moreira, A.N. Perfil e estado nutricional de pacientes hipertensos atendidos em um ambulatório de Nutrição do sul do Brasil. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol. 13. Num. 77. 2019. p.54-60.

-Destri, K.; Zanini, R.D.V.; Assunção, M.C.F. Prevalência de consumo alimentar entre hipertensos e diabéticos na cidade de Nova Boa Vista, Rio Grande do Sul, Brasil, 2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde. Vol. 26. 2017. p. 857-868.

-Frisoli, T.M.; Schmieder, R.E.; Grodzicki, T.; Messerli, F.H. Beyond salt: lifestyle modifications and blood pressure. European heart journal. Vol. 32. Num. 24. 2011. p. 3081-3087.

-Frizon, V.; Boscaini, C. Circunferência do pescoço, fatores de risco para doenças cardiovasculares e consumo alimentar. Rev Bras Cardiol. Vol. 26. Num. 6. 2013. p. 426-34.

-Marim, L.M.; Navarro, F. Avaliação do risco cardiovascular na obesidade e diretrizes específicas de prevenção através da dieta e mudanças no estilo de vida. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol. 1. Num. 4. 2007. p. 77-93.

-Mattos, M.A.; Souza Filho, M.D.; Mello, D.B.; Dantas, E.H.M. Consumo alimentar, Pressão arterial e controle metabólico em idosos diabéticos hipertensos. Rev Bras Cardiol. Vol. 23. Num. 3. 2010. p.162-170.

-Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília. 2006. 210 p.

-Paiva, A.M.G.; Cardoso, I.B.; Correia, R.M.N.; Vieira, A.L.D.O.; Silva, J.V.L. Caracterização do consumo alimentar de pacientes diabéticos e/ou hipertensos atendidos em uma clínica escola de nutrição, segundo o modelo dietético Dietary Approaches to Stop Hypertension. Rev. bras. Hipertens. Vol. 21. Num. 1. 2014.p. 38-45.

-Panatto, C.; Kühl, A.M.; Vieira, D.G.; Bennemann, G.D.; Melhem, A.R.F.; Queiroga, M.R.; Carvalhaes, M.F.M. Efeitos da prática de atividade física e acompanhamento nutricional para adultos: um estudo caso-controle. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol. 13. Num. 78. 2019. p.329-336.

-Pitanga, F.J.G.; Lessa, I. Sensibilidade e especificidade do índice de conicidade como discriminador do risco coronariano de adultos em Salvador, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia. Vol. 7. 2004. p. 259-269.

-Silva, R.D.; Jacinto, P.V.D.; Lopes, A.C.S.; Santos, C. Perfil de nutrição e saúde de usuários da atenção primária a saúde. Revista Baiana de Enfermagem. Vol. 25. Num. 3. 2011. p. 287-299.

-Sociedade Brasileira de Cardiologia. VII Diretriz brasileira de hipertensão arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 107. Num.3. Suplemento 3. 2016.

-Sociedade Brasileira de Hipertensão. I Diretriz brasileira de diagnóstico e tratamento da síndrome metabólica. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol.84. Suplemento I. 2005.

-Tischler, A.B. Caracterização do perfil corporal de pacientes obesos e portadores de hipertensão arterial sistêmica admitidos em uma clínica-escola de nutrição no município de Lauro de Freitas-BA. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol. 7. Num. 38. 2013. p.27-34.

-Toledo, M.T.T.D.; Abreu, M.N.; Lopes, A.C.S. Adesão a modos saudáveis de vida mediante aconselhamento por profissionais de saúde. Revista de Saúde Pública. Vol. 47. Num.4. 2013. p. 540-548.

-World Health Organization. Global recommendations on physical activity for health. 2010.

-World Health Organization. Preventing chronic diseases, a vital investment. Geneva: World Health Organization. 2005.

-World Health Organization. Physical status: The use of and interpretation of anthropometry. Report of a WHO Expert Committee. 1995.

Publicado
2020-10-17
Como Citar
Martins, W. O., Pretto, A. D. B., Pacheco, F. B., & Moreira, A. N. (2020). Consumo alimentar e hábitos de vida de hipertensos atendidos em um ambulatório de nutrição de Pelotas-RS. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 14(85), 273-281. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1257
Seção
Artigos Científicos - Original

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##