Nível de atividade física e qualidade de vida em obesos mórbidos pré-cirurgia bariátrica

  • Carolyna Porto Duarte Silva Escola de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil.
  • Alexander Fellipe Lins Moraes Escola de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil.
  • Thaís Rangel Bousquet Carrilho Instituto de Nutrição Josué de Castro, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil.
  • Juliene Afonso de Mattos Escola de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil.
  • Paula Guedes Cocate Escola de Educação Física e Desportos, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro-RJ, Brasil.
Palavras-chave: Atividade Física, Qualidade de Vida, Obesidade Mórbida

Resumo

Introdução: A obesidade é uma doença de causas multifatoriais e vem crescendo de maneira alarmante no Brasil e no mundo. Indivíduos obesos, normalmente, tem maior prevalência de menores escores dos domínios da qualidade de vida (QV). Objetivo: Investigar a associação do nível de atividade física (NAF) com QV de obesos mórbidos, antes de realizar a cirurgia bariátrica. Materiais e Métodos: Estudo transversal de amostra composta por 30 participantes do projeto de cirurgia bariátrica do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da UFRJ. Questionários validados foram aplicados para avaliar o NAF e domínios da QV. Realizou-se análise descritiva dos dados e aplicou-se correlação de Spearman para avaliar correlação entre o tempo total de AF e domínios da QV. Para comparação dos escores dos referidos domínios em relação ao NAF utilizou-se o teste de Wilcoxon (p<0,05). Resultados: Os participantes apresentaram mediana de idade de 41,5 anos e de índice de massa corporal de 47,3 Kg/m². A classificação do NAF apontou que 66,6% desses indivíduos eram ativos. Verificou-se que a mediana do escore de ‘capacidade funcional’ foi significantemente superior entre os participantes ativos. Observou-se correlação positiva entre o tempo de AF e os domínios ‘capacidade funcional’ (r=0,571, p=0,001) e ‘vitalidade’ (r=0,454, p=0,011). Discussão: Estudos apontam que a AF auxilia na melhora da qualidade de vida, inclusive de indivíduos obesos, corroborando com nossos resultados. Conclusão: Conclui-se que o tempo envolvido em AF entre obesos mórbidos está positivamente associado à percepção da qualidade de vida nos domínios capacidade funcional e vitalidade.

Referências

-Amer, N. M.; Marcon, S. S.; Santana, R. G. Índice de Massa Corporal e Hipertensão Arterial em Indivíduos Adultos no Centro-Oeste do Brasil. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 96. Num.1. 2011. p. 47-53.

-Baptista, M. N.; Vargas, J. F.; Baptista, A. S. D. Depressão e qualidade de vida em uma amostra brasileira de obesos mórbidos. Revista Avaliação Psicológica. Vol. 7. Num. 2. 2008. p. 235-247.

-Battist, L.; Barbosa A. M.; Silva, K. H.; Batista G. C. P.; Farias, L. A. V.; Azevedo G. S.; Carneiro, A. P. S. Percepção da qualidade de vida e funcionalidade em obesos candidatos a cirurgia bariátrica: um estudo transversal. Revista Brasileira de Qualidade de Vida. Vol. 9. Num. 2. 2017. p. 125-140.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Caderno de Atenção Básica. Obesidade. Num.12 de 2006. Brasília. 2006.

-Camargo, S. M. P. L. O. Preparação Multidisciplinar pré cirúrgia bariátrica na visão do cliente. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol.6. Num.32. 2012. p.123-128.

-Chagas, M. O. Obesidade mórbida: qualidade de vida e acessibilidade. Dissertação de mestrado. PUC-Goiás. Goiás. 2013.

-Ciconelli, R. M. Tradução para o português e validação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida “Medical Outcomes Study 36-Item Short-Form Health Survey (SF-36)”. Tese de Doutorado. EPM-UNIFESP. São Paulo. 1997.

-Cieslak, F.; Cavazza, J. F.; Lazarotto, L.; Titski, A. C. K.; Stefanello, J. M. F.; Leite, M. Análise da qualidade de vida e do nível de atividade física em universitários. Revista de Educação Física da Universidade Estadual de Maringá. Vol. 23. Num. 2. 2012. p. 251-260.

-Coelho, A. C. Perfil clínico e qualidade de vida de pacientes obesos em espera de cirurgia bariátrica em um hospital público. Dissertação de mestrado. UFN-SM. Rio Grande do Sul. 2018.

-Coelho, C. F.; Pereira, A. F.; Ravagnani, F. C. P.; Michelin, E.; Corrente, J. E.; Burini, R. C. Impacto de um programa de intervenção para mudança do estilo de vida sobre indicadores de aptidão física, obesidade e ingestão alimentar de indivíduos adultos. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 15. Num. 1. 2010. p. 21-27.

-Dantas, E. H. M. Atividade física, prazer e qualidade de vida. Revista Mineira de Educação Física. Viçosa. Vol. 7. Num. 1. 1999. p. 5-13.

-Fett, C. A.; Fett, W. C. R.; Marchine, J. S. Exercício Resistido vs Jogging em fatores de risco metabólicos de mulheres com sobrepeso/obesas. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 93. Num. 5. 2009. p.519-525.

-Gaber, C. E.; Blissmer, B.; Deschenes, M. R.; Franklin, B. A.; Lamonte, M. J.; Lee, I. M.; Nieman, D. C.; Swain, D. P. Quantity and quality of exercise for developing and maintaining cardiorespiratory, musculoskeletal and neuromotor fitness in apparently healthy adults: guidance for prescribing exercise. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol.43. Num.7. 2011. p. 1334-1359.

-Gresser, A. F. Qualidade de vida em mulheres com peso normal, sobrepeso e obesidade: uma perspectiva subjetiva e individual. Revista Baiana de Saúde Pública. Vol. 38. Num. 4. 2014. p. 897-912.

-Guimarães Junior, M. S.; Fraga, A. S.; Araújo, T. B.; Tenório, M. C. C. Fator de risco cardiovascular: a obesidade entre crianças e adolescentes nas macrorregiões brasileiras. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol.12. Num.69. 2018. p.132-142.

-Maia, R. H. S.; Navarro, A. C. O exercício físico leve a moderado como tratamento da obesidade, hipertensão e diabetes. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol.11. Num.66. 2017. p.393-402.

-Marcon, E. R. Efeito de um programa de exercícios físicos sobre diferentes abordagens no tratamento clínico da obesidade mórbida. Tese de Doutorado. UFRS. Porto Alegre. 2015.

-Marcon, E. R.; Gus, I.; Neumann, C. R. Impacto de um programa mínimo de exercícios físicos supervisionados no risco cardiometabólico de pacientes com obesidade mórbida. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabolismo. Vol. 55. Num. 5. 2011.

-Matsudo, S.; Araújo, T.; Matsudo, V.; Andrade, D.; Andrade, E.; Oliveira, L. C.; Braggion, G. Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 6. Num. 2. 2001. p. 5-18.

-Matsudo, S.; Araújo, T.; Matsudo, V.; Andrade, D.; Andrade, E.; Oliveira, L. C.; Braggion, G. Nível de atividade física da população do Estado de São Paulo: análise de acordo com o gênero, idade, nível socioeconômico, distribuição geográfica e de conhecimento. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Vol. 10. Num. 4. 2002. p. 41-50.

-Mendonça, C.P. Práticas alimentares e de atividade física de mulheres obesas atendidas em unidades de saúde pública do município de Niterói: trajetórias e narrativas. Tese de Doutorado. ENSP-FIOCRUZ. Rio de Janeiro. 2005.

-Mendonça, C. P.; Anjos, L. A. Aspectos das práticas alimentares e da atividade física como determinantes do crescimento do sobrepeso/obesidade no Brasil. Caderno de Saúde Pública. Vol. 20. Num. 3. 2004. p. 698-709.

-Neves, S. M. M.; Chagas, M. O. Avaliação da qualidade de vida de pessoas com obesidade mórbida. Estudos. Goiânia. Vol. 42. Num. 4. 2015. p. 465-479.

-Orsi, J. V. A.; Nahas, F. X.; Gomes, H. C.; Andrade, C. H. V.; Veiga, D. F.; Novo, N. F.; Ferreira, L. M. Impacto da obesidade na capacidade funcional de mulheres. Revista da Associação Médica Brasileira. Vol. 54. Num. 2. 2008. p. 106-109.

-Pitanga, F. J. G.; Lessa, I.; Pitanga, C. P. S.; Costa, M. C. Atividade física na prevenção das comorbidades cardiovasculares em mulheres obesas: quanto é suficiente? Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 16. Num. 4. 2011. p.334-338.

-Silva, E. C.; Martins, M. S. A. S.; Guimarães, L. V.; Segri, N. J.; Lopes, M. A. L.; Espinosa, M. M. Prevalência de hipertensão arterial sistêmica e fatores associados em homens e mulheres residentes em municípios da Amazônia Legal. Revista Brasileira de Epidemiologia. Vol.19. Num.1. 2016. p.38-51.

-Silva, G. L.; Toigo, A. M. Prevalência de exercício físico em indivíduos submetidos a cirurgia bariátrica em Porto Alegre-RS. Arquivos de Ciências da Saúde da Unipar. Umuarama. Vol. 16. Num. 2. 2012. p. 67-71.

-Silva, J. A.; Monteiro, F. A.; Nunes, R. C. M.; Costa, J. A. B. N.; Tavares, F. C. L. P. Avaliação de Aspectos Clínicos e Nutricionais em Obesos em Pré e Pós Operatório de Cirurgia Bariátrica em um Hospital Universitário de João Pessoa-PB. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol.11. Num. 67. 2017. p. 506-522.

-Souza, K. O.; Johann, L. R. V. O. Cirurgia bariátrica e qualidade de vida. Psicologia Argumento. Vol. 32. Num. 79. 2014. p. 155-164.

-Tavares, T. B.; Nunes, S. M.; Santos, M. O. Obesidade e qualidade de vida: revisão da literatura. Revista de Medicina de Minas Gerais. Belo Horizonte. Vol. 20. Num. 3. 2010. p. 359-366.

-The Whoqol Group. The World Health Organization Quality of Life Assessment. Position paper from the World Health Organization. Social Science and Medicine. Vol. 41. 1995. p. 1403-1409.

-World Health Organization. Diet, nutrition and the prevention of chronic diseases. p. 69-73. Geneva. 1990.

-World Health Organization. Global Strategy on Diet, Physical Activity and Health. Disponível em: https://www.who.int/dietphysicalactivity/childhood_what/en/.

Acessado em 26/06/2019.

-World Health Organization. Global Recommendations on Physical Activity for Health. Disponível em: http://www.who.int/dietphysicalactivity/physical-activity-recommendations-18-64years.pdf. Acessado em 04/06/2018.

Publicado
2020-10-17
Como Citar
Silva, C. P. D., Moraes, A. F. L., Carrilho, T. R. B., Mattos, J. A. de, & Cocate, P. G. (2020). Nível de atividade física e qualidade de vida em obesos mórbidos pré-cirurgia bariátrica. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 14(85), 282-292. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1259
Seção
Artigos Científicos - Original