Fatores associados ao estado nutricional de escolares: condições demográficas, socioeconômicas, alimentares e de atividade física

  • Luana Bernardi Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Irati, Paraná, Brasil.
  • Mario Umberto Menon Departamento de Matemática, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Irati, Paraná, Brasil.
  • Daiana Novello Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Irati, Paraná, Brasil.
Palavras-chave: Estado Nutricional, Criança, Relações familiares.

Resumo

Introdução: Atualmente, constata-se o processo de transição nutricional. As mudanças no estado nutricional vêm ocorrendo em crianças, principalmente, devido a diminuição da prática de atividade física, bem como pelo aumento no consumo de alimentos e bebidas com baixo teor nutricional. Objetivo: Avaliar aspectos demográficos, socioeconômicos, nutricionais e de atividade física e suas relações com o estado nutricional de escolares. Materiais e Métodos: Estudo transversal com 552 escolares (7 a 9 anos de idade), matriculados em 16 escolas públicas da área urbana. Avaliaram-se dados demográficos e socioeconômicos da família e informações relativas ao estado nutricional, alimentação e prática de atividade física das crianças. O diagnóstico nutricional foi definido por meio do Índice de Massa Corporal para idade e sexo. Foram utilizados os testes de qui-quadrado e exato de Fisher, além de regressão logística para avaliar a associação entre as variáveis. Resultados: houve predomínio de peso adequado (58,3%), de pouca prática de atividade física (68,1%), de bons hábitos alimentares (79,7%) e de bons conhecimentos em nutrição (59,8%). O baixo peso esteve associado às crianças com responsáveis com idade > 40 anos (OR=0,09 IC95%: 0,01-0,65). Conclusão: A população investigada apresenta alta prevalência de excesso de peso. Somente a maior faixa etária do responsável mostrou exercer influência sobre o estado de baixo peso. Assim, outros estudos necessitam ser realizados para que novas variáveis possam ser identificadas na influência de desvios nutricionais.

Biografia do Autor

Luana Bernardi, Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Irati, Paraná, Brasil.

Professora do Centro Universitário Anhanguera; Graduada em Nutrição, Especialista em Nutrição clínica e alimentos funcionais e Mestre em Desenvolvimento Comunitário; Atualmente cursa Doutorado em Saúde e Desenvolvimento da Região Centro Oeste pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Mario Umberto Menon, Departamento de Matemática, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Irati, Paraná, Brasil.

Possui graduação em Matemática pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (1986), Mestrado em Estatistica pela Universidade Estadual de Londrina (1995) e Doutorado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (2005); Atualmente é professor associado do departamento de matemática da Universidade Estadual do Centro-Oeste; Tem experiência na área de Probabilidade e Estatística, com ênfase em Estatística Aplicada, atuando principalmente nos seguintes temas: estatística, cálculo numérico.

Daiana Novello, Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Irati, Paraná, Brasil.

Possui Graduação em Nutrição pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ (1999), Especialização em Nutrição Clínica pela Universidade Federal do Paraná - UFPR (2002) e Especialização em Docência no Ensino Superior pela Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO (2004), Mestrado em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Paraná - UFPR (2005) e Doutorado em Tecnologia de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2011); É docente do Curso de Nutrição da Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO desde 2000 e docente do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Desenvolvimento Comunitário da Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO desde 2013; Atualmente, é bolsista Produtividade em Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico - Extensão da Fundação Araucária-PR; Possui experiência na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos e Saúde Pública, atuando principalmente com os seguintes temas: nutrição, análise sensorial de alimentos, alimentos funcionais, redução de sódio, reaproveitamento de alimentos e questões interdisciplinares relacionadas à saúde.

Referências

-Bertin, R.L.; Malkowski, J.; Zutter, L.C.I.; Ulbrich, A.Z. Estado nutricional, hábitos alimentares e conhecimentos de nutrição em escolares. Revista Paulista de Pediatria. Vol. 28. Num. 3. 2010. p. 303-308.

-Benício, M.H.D.; Martins, A.P.B.; Venancio, S.I.; Barros, A.J.D. Estimativas da prevalência de desnutrição infantil nos municípios brasileiros em 2006. Revista de Saúde Pública. Vol. 47. Num. 3. 2013. p. 560-570.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional: orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2011. 76p. http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/orientacoes_coleta_analise_dados_antropometricos.pdf. Acesso em 10/09/2019.

-Barros, M.V.G.; Assis, M.A.; Pires, M.C.; Grossemann, S.; Vasconcelos, F.A.G.; Luna, M.E.P.; Barros, S.S.H. Validação de um questionário de atividade física e consumo alimentar para crianças de sete a dez anos de idade. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil. Vol. 7. Num. 4. 2007. p. 437-448.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Sade. Departamento de Atenção Básica. Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Incorporação das curvas de crescimento da Organização Mundial da Saúde de 2006 e 2007 no SISVAN; 2007. http://nutricao.saude.gov.br/docs/geral/ curvas_oms_2006_2007.pdf. Acesso em 10/09/2019.

-Barbosa, O.A. Avaliação do estado nutricional e frequência do consumo de alimentos em crianças de 4 a 6 anos: o caso da escola municipal São Judas Tadeu - Uberaba-MG. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro-RJ. Rio de Janeiro. 2005.

-Castro, T.G.; Novaes, J.F.; Silva, M.R.; Costa, N.M.B.; Franceschini, S.C.C.; Tinôco, A.L.A.; Leal, P.F.G. Caracterização do consumo alimentar, ambiente socioeconômico e estado nutricional de pré-escolares de creches municipais. Revista de Nutrição. Vol. 18. Num. 3. 2005. p. 321-330.

-Costa, F.F. Hábitos alimentares e de atividade física de escolares de escolares de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina-SC. Santa Catarina. 2010.

-Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Overweight and obesity; childhood overweight and obesity, contributing factors. http://www.cdc.gov/obesity/childhood/causes.html. Acesso em 7/02/2019.

-Chung, S.J.; Lee, Y.N.; Kwon, S.J. Factors associated with breakfast skipping in elementary school children in Korea. Korean Journal of Community Nutrition. Vol. 9. Num. 1. 2004. p. 3-11.

-Carvalho, E.B.; Papaléo, A.L. Recreios ativos através do resgate das brincadeiras infantis. In: Boccaletto EMA, Mendes RT, Vilarta R, eds. Estratégias de promoção da saúde do escolar: atividade física e alimentação Saudável. 1rd ed. Campinas. IPES. 2010. p. 7-14.

-Enes, C.C.; Slater, B. Obesity in adolescence and its main determinants. Revista Brasileira de Epidemiologia. Vol. 13. Num. 1. 2010. p. 163-171.

-Freitas Júnior IF, Balikian Júnior P, Miyashita LK, Neiva CM, Isidorio SC. Crescimento e estado nutricional de crianças e adolescentes de Presidente Prudente, São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil. Vol. 8. Num. 3. 2008. p. 265-274.

-Felisbino-Mendes, M.S.; Campos, M.D.; Lana, F.C.F. Avaliação do estado nutricional de crianças menores de 10 anos no município de Ferros, Minas Gerais. Revista da Escola de Enfermagem da USP. Vol. 44. Num. 2. 2010. p. 257-265.

-Flores, L.S.; Gaya, A.R.; Petersen, R.D.S.; Gaya, A. Trends of underweight, overweight, and obesity in Brazilian children and adolescents. Jornal de Pediatria. Vol. 89. Num. 5. 2013. p. 456-461.

-Faghih, S.; Keshani, P.; Salar, A, et al. Assessment of Obesity, Unhealthy Food Habits, and Nutritional Knowledge of Primary School Children. International Journal of School Health. Vol. 2. Num. 2. 2015. p. 25186.

-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de orçamentos familiar 2008-2009: antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. Rio de Janeiro. IBGE. 2010.

-Kigaru, D.M.D.; Loechl, C.; Moleah, T.; Macharia-Mutie, C.W.; Ndungu, Z.W. Nutrition knowledge, attitude and practices among urban primary school children in Nairobi City, Kenya: a KAP study. BMC Nutrition. Vol. 1. 2015. p. 44.

-Lima, R.P.A.; Pereira, D.C.; Luna, R.C.P.; Gonçalves, M.C.R.; Lima, R.T.; Batista Filho, M.; Filizola, R.G.; De Moraes, R.M.; Asciutti, L.S.R.; Costa, M.J.C. BMI, Overweight Status and Obesity Adjusted by Various Factors in All Age Groups in the Population of a City in Northeastern Brazil. International Journal of Environmental Research and Public Health. Vol. 12. Num. 4. 2015. p. 4422-4438.

-Lucas, E.A.J.C.L. Os significados das práticas de promoção da saúde na infância: um estudo do cotidiano escolar pelo desenho infantil. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo-SP. São Paulo. 2013.

-Lopes, P.C.S.; Prado, S.R.L.A.; Colombo, P. Fatores de risco associados à obesidade e sobrepeso em crianças em idade escolar. Revista Brasileira de Enfermagem. Vol. 63. Num. 1. 2010. p. 73-78.

-Marshall, S.J.; Biddle, S.J.; Gorely, T.; Cameron, N.; Murdey, I. Relationships between media use, body fatness and physical activity in children and youth: A meta-analysis. International Journal of Obesity. Vol. 28. Num. 10. 2004. p. 1238-1246.

-Mello, A.D.M.; Marcon, S.S.; Hulsmeyer, A.P.C.R.; Cattai, G.B.P.; Ayres, C.S.L.S.; Santana, R.G. Prevalence of overweight and obesity in six to ten year-old students from urban county schools. Revista Paulista de Pediatria. Vol. 28. Num. 1. 2010. p. 48-54.

-Morales-Ruán, M.D.C.; Hernández-Prado, B.; Gómez-Acosta, L.M.; Shamah-Levy, T.; Cuevas-Nasu, L. Obesity, overweight, screen time and physical activity in Mexican adolescents. Salud Pública de México. Vol. 51. Num. 4. 2009. p. 613–20.

-Ndukwu, C.; Egbuonu, I.; Ulasi, T.; Ebenebe, J. Determinants of undernutrition among primary school children residing in slum areas of a Nigerian city. Nigerian Journal of Clinical Practice. Vol. 16. Num. 8. 2013. p. 178-183.

-Onis, M.; Onyango, A.W.; Borghi, E.; Siyam, A.; Nishida, C.; Siekmann, J. Development of a WHO growth reference for school-aged children and adolescents. Bulletin of the World Health Organization. Vol. 85. Num. 9. 2007. p. 660-667.

-Oliveira, F.C.C.; Cotta, R.M.M.; Ribeiro, A.Q.; Sant’anna, L.F.R.; Priore, S.E.; Franceschini, S.C.C. Estado nutricional e fatores determinantes do déficit estatural em crianças cadastradas no programa bolsa família. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde. Vol. 20. Num. 1. 2011. p. 207-218.

-Onis, M.; Blossner, M.; Borghi, E. Global prevalence and trends of overweight and obesity among preschool children. The American Journal of Clinical Nutrition. Vol. 92. Num. 5. 2010. p. 1257-1264.

-O’Connor, T.M.; Chen, T.A.; Baranowski, J.; Thompson, D.; Baranowski, T. Physical activity and screen-media-related parenting practices have different associations with children’s objectively measured physical activity. Journal of Childhood Obesity. Vol. 9. Num. 5. 2013. p. 446-453.

-Pelegrini, A.; Silva, D.A.S.; Petroski, E.L.; Glaner, M.F. Estado nutricional e fatores associados em escolares domiciliados na área rural e urbana. Revista de Nutrição. Vol. 23. Num. 5. 2010. p. 839-846.

-Rocha, G.A.; Rocha, E.J.M.; Martins, C.V. The effects of hospitalizations on the nutritional states of children. Jornal de Pediatria. Vol. 82. Num. 1. 2006. p. 70-74.

-Reinehr, T.; Kersting, M.; Chahda, C.; Andler, W. Nutritional knowledge of obese compared to non obese children. Nutrition Research. Vol. 23. 2003. p. 645-9.

-Racette, S.B.; Deusinger, S.S.; Deusinger, R.H. Obesity: overview of prevalence, etiology, treatment. Physical Therapy. Vol. 83. Num. 3. 2003. p. 276-288.

-Reis, M.; Águas, M. Duração do desemprego e transições para o emprego formal, a inatividade e a informalidade. Economia Aplicada. Vol. 18. Num. 1. 2014. p. 35-50.

-Srivastava, A.; Mahmood, S.E.; Srivastava, P.M.; Shrotriya, V.P.; Kumar, B. Nutritional status of school-age children - A scenario of urban slums in India. Archives of Public Health. Vol. 70. Num. 1. 2012. p. 1-8.

-Silveira, K.B.R.; Alves, J.F.R.; Ferreira, H.S.; Sawaya, A.L.; Florêncio, T.M.M.T. Associação entre desnutrição em crianças moradoras de favelas, estado nutricional materno e fatores socioambientais. Jornal de Pediatria. Vol. 86. Num. 3. 2010. p. 215-220.

-Silva, E.M. Estatística. Vol. I e II. Atlas. Editora Atlas. 2010.

-Schuch, I.; Castro, T.G.; Vasconcelos, F.A.G.; Dutrad, C.L.C.; Goldani, M.Z. Excess weight in preschoolers: prevalence and associated factors. Jornal de Pediatria. Vol. 89. Num. 2. 2013. p. 179-188.

-Triches, R.M.; Giugliani, E.R.J. Obesidade, práticas alimentares e conhecimentos de nutrição em escolares. Revista de Saúde Pública. Vol. 39. Num. 4. 2005. p. 541-547.

-Vicenzi, K.; Henn, R.L.; Weber, A.P.; Backes, V.; Paniz, V.M.V.; Donatti, T.; Olinto, M.T.A. Insegurança alimentar e excesso de peso em escolares do primeiro ano do Ensino Fundamental da rede municipal de São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil. Caderno de Saúde Pública. Vol. 31. Num. 5. 2015. p. 1084-1094.

-Vilchis-Gil, J.; Galván-Portillo, M.; Klünder-Klünder, M.; Cruz, M.; Flores-Huerta, S. Food habits, physical activities and sedentary lifestyles of eutrophic and obese school children: a case-control study. BMC Public Health. Vol. 15. 2015. p. 124.

-World Health Organization (WHO). Malnutrition. [acessado 2019 Nov 12]. Disponível em: http://www.who.int/water_sanitation_health/diseases/malnutrition/en/.

-World Health Organization (WHO). 2012. Children: Reducing Mortality. [acessado 2019 Nov 12. Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs178/en/.

-Wijga, A.H.; Scholtens, S.; Bemelmans, W.J.; Jongste, J.C.; Kerkhof, M.; Schipper, M.; Sanders, E.A.; Gerritsen, J.; Brunekreef, B.; Smit, H.A. Comorbidities of obesity in school children: a cross-sectional study in the PIAMA birth cohort. BMC Public Health. Vol. 10. Num. 1. 2010. p. 184-193.

Publicado
2020-11-03
Como Citar
Bernardi, L., Menon, M. U., & Novello, D. (2020). Fatores associados ao estado nutricional de escolares: condições demográficas, socioeconômicas, alimentares e de atividade física. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 14(87), 560-570. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1318
Seção
Artigos Científicos - Original