Avaliação da mobilidade e força de preensão palmar em adultos com obesidade grau III em pré-operatório de cirurgia bariátrica

  • Amanda Rafaella Araújo Campos Residente no Hospital Geral Estadual Dr. Alberto Rassi, Goiânia, Goiás, Brasil.
  • Gustavo Silva Azevedo Tutor do Programa de Residência Multiprofissional do Hospital Geral Estadual Dr. Alberto Rassi, Goiânia, Goiás, Brasil.
  • Tânia Cristina Dias da Silva Hamu Universidade Estadual de Goiás, Departamento de Fisioterapia, Goiânia, Goiás, Brasil.
  • Thatyane Cruvinel Silva Hungria Residente no Hospital Geral Estadual Dr. Alberto Rassi, Goiânia, Goiás, Brasil.
Palavras-chave: Cirurgia Bariátrica, Força Muscular, Limitação da Mobilidade, Obesidade, Grupos Etários

Resumo

Introdução: O excesso de peso afeta todo o organismo e pode levar a complicações clínico-funcionais. Objetivo: Verificar a influência da idade na força e mobilidade do obeso grau III em pré-operatório de cirurgia bariátrica. Materiais e Métodos: Estudo transversal analítico, composto por 100 participantes. A amostra foi dividida em dois grupos de acordo com a idade, grupo I (18 a 39 anos) e grupo II (40-59 anos). A força muscular foi mensurada pelo dinamômetro e a mobilidade pelo TUG Test. Para os testes estatísticos, foi considerado um nível de significância de 5% (p≤0,05). Resultados: Nesse estudo predominaram mulheres (79%), de raça parda (45%), casados (69%), com ensino médio completo (32%) e sedentários (66%). A média de idade foi de 39,37 anos (±9,77), renda percapta de R$779,97 (± 678,30) e IMC de 49,35 (± 6,43). A mobilidade dada pelo TUG teste foi de 10,22 ± 2,15 segundos. Na FPP a maioria apresentou uma média de força considerada normal, 84%, de acordo com os valores de referência do próprio dinamômetro. A FPP (Kg), TUG (s), IMC apresentaram significância estatística entre os grupos. Conclusão: Identifica-se um comprometimento importante da mobilidade e possível relação com a obesidade. Por não ter sido encontrados valores de referência dos instrumentos para o perfil populacional estudado, este estudo infere o comprometimento da mobilidade do indivíduo obeso e desperta a necessidade de novos estudos e a validação de valores de referência para esta população.

Referências

-ABESO. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Diretrizes Brasileiras de Obesidade. 4º Edição. São Paulo. 2016.

-Anjos, P.S.; Carvalho R.P.; Bastouly M.; Tucci H.T. Avaliação da Mobilidade e Qualidade de Vida em Pacientes Obesos Pré Cirurgia Bariátrica: Estudos Preliminares. Anais do V Congresso Brasileiro de Eletromiografia e Cinesiologia e X Simpósio de Engenharia Biomédica. Sao Paulo. 2018. p. 972-973.

-Ashford, R.F.; Nagelburg, S.; Adkins, R. Sensitivity of the Jamar Dynamometer in Detecting Submaximal Grip Effort. The Journal of Haand Surgery. Vol. 21. Num. 4. 1996. p. 402-405.

-Augusto, V.G.; Barbosa, J.B.; Silva, A.P.; Abreu, A.M.; Aguiar, B.G. Percepção de saúde e incapacidade funcional em indivíduos obesos antes e após cirurgia bariátrica. Formiga. Vol.13. Num. 2. 2018. p. 59-66.

-Barbosa, P.A.V.; Faria, A.M.; Vento, D.A.; Ayres, F.M.; Formiga, C.K.M.R.; Hamu, T. A influência do excesso de peso na força muscular e na funcionalidade de mulheres jovens. Revista Interdisciplinar de Estudos em Saúde. Vol. 8. Num.1. 2019. p. 250-262.

-Bastos, E.C.L.; Barbosa, E.M.W.G.; Soriano, G.M.S.; Santos, E.A.; Vasconcelos, S.M.L. Fatores determinantes do reganho ponderal no pós-operatório de cirurgia bariátrica. ABCD Arquivo Brasileiro de Cirurgia Digestiva. Vol.26. 2013. p. 26-32.

-Bohannon, R.W. Reference Values for the Timed Up and Go Test: A Descriptive Meta- Analysis. Journal of Geriatric Physical Therapy. Vol. 29. Num.2. 2006. p. 64-68.

-Brasil. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2018: Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico. 1° Edição. Brasília. 2019.

-Carbelon, C.F. Influência da Dor Osteomuscular nas Atividades Laborais em Obesos. Dissertação de Mestrado. PUC-RS. Porto Alegre. 2013.

-Carvalho, A.S.; Rosa, R.S. Cirurgias bariátricas realizadas pelo sistema único de saúde no período 2010-2016: estudo descritivo das hospitalizações no Brasil. Epidemiol. Serv. Saude. Vol. 28. Num. 1. 2019.

-Costa, D.; Forti, E.M.P.; Souza, F.S.P.; Moulim, M.C.B.; Vanelli, R.P.B. Fisioterapia em Pacientes Submetidos à Cirurgia Bariátrica. IN: Assobrafir; Martins, J.A.; Karsten, M.; Corso S.D. PROFISIO Programa de Atualização em Fisioterapia Cardiovascular e Respiratória. Porto Alegre. Artmed Panamericana. 2018.

-Ferreira, J.D.C.; Pedroso, C.F.; Sousa, T.R. Perfil Clínico e Avaliação da Dor de Pacientes Obesos no Período Pré- Operatório de Cirurgia Bariátrica. Revista Científica da Escola Estadual de Saude Publica de Goiás - Cândido Santiago-RESAP. Vol. 2. Num. 4. 2017. p. 82-96.

-Haftenberger, M.; Mensink, G.B.; Herzog, B.; Herzog, B.; Kluttig, A.; Greiser, K.H.; Merz, B.; Nöthlings, U.; Schlesinger, S.; Vogt, S.; Thorand, B.; Peters, A.; Ittermann, T.; Völzke, H.; Schipf, S.; Neamat-Allah, J.; Kühn, T.; Kaaks, R.; Boeing, H.; Bachlechner, U.; Scheidt-Nave, C.; Schienkiewitz, A. Changes in body weight and obesity status in German adults: results of seven population-based prospective studies. Eur J Clin Nutr. Vol.70. Num.3. 2016. p. 300-305.

-Heitmann, B.L.; Garby, L. Padrões de mudanças de peso a longo prazo no sobrepeso desenvolvendo homens e mulheres dinamarqueses com idade entre 30 e 60 anos. International Journal of Obesity. Vol.23. 1999. p. 1074-1078.

-Ling, C.; Kelechi, T.; Mueller, M.; Brotherton, S.; Smith, S. Gait and Function in Class III Obesity. Journal of Obesity. 2012. p. 1-8.

-Mathiowetz, V. Effects of three Trials on Grip and Pinch Strength Measurements. Journal of Hand Therapy. Vol. 3. 1990. p. 195-198.

-Meng, H.; Connor, D. P.; Lee, B.C.; Layne, C.S.; Gorniak, S.L. Alterations in over-ground walking patterns in obese and overweight adults. Gait Posture. 2017. p.145-150.

-Montzel, D.R.V.B.; Costa, B.V.L.; Silva, F.M. Ganho de peso por década entre trabalhadores de um hospital público: estudo de coorte histórica. Ciencia e Saúde Coletiva. Vol.24. Num.7. 2019. p. 2453-2460.

-Moraes, A.L.; Almeida, E.C.; Souza, L.B. Percepções de obesos deprimidos sobre os fatores envolvidos na manutenção da sua obesidade: investigação numa unidade do Programa Saúde da Família no município do Rio de Janeiro. Physis Revista de Saúde Coletiva. Vol.23. Num.2. 2013. p.553-572.

-Moura, P.M.L.S. Estudo da força de preensão palmar em diferentes faixas etárias do desenvolvimento humano. Dissertação de Mestrado. UNB. Brasilia. 2008

-Oliveira, D.M.; Merighi, M.A.B.; Jesus, M.C.P. A decisão da mulher obesa pela cirurgia bariátrica à luz da fenomenologia social. Rev Esc Enferm USP. Vol.48. Num.6. 2014. p.970-976.

-Pavanate, A.A.; Hauser, E.; Gonçalves, A.K.; Mazo, G.Z. Avaliação do equilíbrio corporal em idosas praticantes de atividade física segundo a idade. Vol.40. Num. 4. 2018. p.404-409.

-Picoli, T.S.; Figueiredo, L.L.; Patrizzi, L.J. Sarcopenia e envelhecimento. Fisioterapia e Movimento. Vol. 24. Num. 3. 2011. p. 455-462.

-Podsiadlo, D.; Richardson, S. The Timed ”Up & Go”: A Test of Basic Functional Mobilitv for Frail Elderlv Persons. Jornal da Sociedade Americana de Geriatria. 1991. p.142-148.

-Rodriguez, J.H.; Puig, M.E.L; Calles, L.C.E. Algunos aspectos de interés relacionados con la obesidad sarcopénica. Revista Cubana de Endocrinologia. Vol. 26. Num. 3. 2015.

-Soccol, F. B.; Peruzzo, S.S.; Mortari, D.; Scortegagna, G.; Sbruzzi, G.; Santos, P.C.; Rockenbach, C.W.F.; Leguisamo, C.P. Prevalência de artralgia em indivíduos obesos no pré e pós-operatório tardio de cirurgia bariátrica. Scientia Médica. Vol. 19. Num.2. 2009. p. 69-74.

-Vivolo, S.R.GF.; Sarno, F. Epidemiologia da Obesidade em Adultos no Brasil e no Mundo. IN: Mancini, M.C. Tratado de Obesidade. 2ª edição. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan. 2015.

-WHO. World Health Organization Technical Report Series 894. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Geneva. 2000. p. 1-252.

-WHO. Physical activity. World Health Organization. 2018. Disponivel em: <http://www.who.int/en/news-room/fact-sheets/detail/physical-activity>. Acesso em: 18/10/ 2018.

Publicado
2022-07-08
Como Citar
Campos, A. R. A., Azevedo, G. S., Hamu, T. C. D. da S., & Hungria, T. C. S. (2022). Avaliação da mobilidade e força de preensão palmar em adultos com obesidade grau III em pré-operatório de cirurgia bariátrica. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 15(97), 994-1002. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1353
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original