Consumo de alimentos ultraprocessados e estado nutricional de acadêmicos do curso de nutrição

  • Naisa Stefany Rodrigues Macedo Bacharel em Nutrição pela Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna-FASI, Brasil.
  • Isabela Caroline Magalhães Soares Bacharel em Nutrição pela Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna-FASI, Brasil.
  • Samara Cardoso de Jesus Bacharel em Nutrição pela Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna-FASI, Brasil.
  • Eryka Jovânia Pereira Mestranda em Saúde, Sociedade e Ambiente pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri-UFVJM; Docente do Curso de Nutrição da Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna-FASI, Brasil.
  • Ronilson Ferreira Freitas Doutorando em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros-Unimontes, Docente do Curso de Nutrição da Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna-FASI, Brasil.
Palavras-chave: Ultraprocessados, Consumo Alimentar, Estado Nutricional, Acadêmicos, Nutrição

Resumo

Introdução: O ingresso na universidade causa alterações no estilo de vida da sociedade e induzem alterações nos hábitos alimentares com repercussão na qualidade de vida e saúde dos estudantes. Objetivo: Avaliar o consumo de alimentos ultraprocessados e estado nutricional de acadêmicos do curso de nutrição. Materiais e Métodos: Estudo de caráter descritivo, transversal, quantitativo, realizado mediante aplicação de Questionário de Frequência Alimentar. Resultados: A amostra foi composta por 145 acadêmicos de nutrição, com média de idade 23,30 ± 4,70. O do sexo feminino apresentou maior prevalência (85%). As informações do estado nutricional, revelaram que 27,6% dos participantes apresentavam sobrepeso e obesidade. Quanto ao consumo de alimentos ultraprocessados, identificou- se a prevalência no consumo de salsicha, linguiça, bacon/toucinho e mortadela. O consumo de maionese, batata frita, pizza, balas, pirulitos e chicletes também se mostraram habituais. Conclusão: Apesar de se tratar de futuros profissionais detentores de conhecimento da ciência nutricional, o presente estudo conclui- que os acadêmicos do curso de graduação em Nutrição apresentam hábitos alimentares inadequados, contrariando as perspectivas de adesão ao estilo de vida saudável. Deste modo, torna- se necessário a instituição de discussões acerca desta temática e a importância de se introduzir o conhecimento adquirido no cotidiano e o autocuidado alimentar.

Biografia do Autor

Ronilson Ferreira Freitas, Doutorando em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros-Unimontes, Docente do Curso de Nutrição da Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna-FASI, Brasil.

Doutorando em Ciências pela Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes.

Referências

-Alquino, J. K.; Pereira, P.; Reis, V. M. C. P. Hábito e consumo alimentar de estudantes do curso de nutrição das Faculdades de Montes Claros-Minas Gerais. Revista Multitexto. Vol. 3. Num. 1. 2015. p.82-88.

-Bielemann, R. M.; Motta, J. V. S.; Minten, G. C.; Horta, B. L.; Gigante, D. P. Consumo de alimentos ultraprocessados e impacto na dieta de adultos jovens. Revista de Saúde Pública. Vol. 49. Num. 28. 2015. p. 1-10.

-Blanco-Rojo, R.; Sandoval-Insausti, H.; Lópes-Garcia, E.; Graciani, A.; Ordovás, J. M.; Banegas, J. R.; Rodríguez-Artalejo, F.; Guallar-Castillon, P. Consumption of ultra-processed foods and mortality: a national prospective cohort in Spain. Mayo Clinic Proceedings. Vol. 94. Num. 11. 2019. p. 2178-2188.

-El Ansari, W.; Suominen, S.; Samara, A. Eating habits and dietary intake: is adherence to dietary guidelines associated with importance of healthy eating among Undergraduate University Students in Finland? Central European Journal of Public Health. Vol. 23. Num. 4. 2015. p. 306-313.

-Kim, K.; Hyeon, J.; Ah Lee, S.; Ok Kwon, S.; Lee, H.; Keum, N.; Lee, J.K.; Park, S. M. Role of total, red, processed, and white meat consumption in stroke incidence and mortality: a systematic review and meta‐analysis of prospective cohort studies. Journal of the American Heart Association: Cardiovascular and Cerebrovascular Disease. Vol. 6. Num. 9. 2017.

-Lanzillotti, H. S.; Barros, M. E.; Jesus, L. S.; Marchitto, R. R.; Portella, E. S.; Soares, E. A. Estimativa do padrão alimentar de estudantes de Nutrição de uma universidade estadual no Rio de Janeiro, Brasil. DEMETRA - Alimentação, Nutrição & Saúde. Vol. 14. 2019. p. 1-21.

-Lean, M. E. J.; Han, T. S.; Morrison, C. E. Waist circumference as a measure for indicating need for weight management. BMJ. Vol. 311. Num. 6998. 1995. p. 158-61.

-Lima, R. S; Ferreira Neto, J. A; Farias, R. C. P. Alimentação, comida e cultura: o exercício da comensalidade: uma revisão de literatura. Demetra - Alimentação, Nutrição & Saúde. Vol. 10. Num. 3. 2015. p. 507-522.

-Louzada, M. L. C.; Martins, A. P. B.; Canella, D. S.; Baraldi, L. G.; Levy, R. B.; Claro, R. M.; Moubarac, J; C.; Cannon, G.; Monteiro, C. A. Ultra-processed foods and the nutritional dietary profile in Brazil. Revista Saúde Pública. Vol. 49. Num. 38. 2015. p.1-11.

-Louzada, M. L. C.; Martins, A. P. B.; Canella, D. S.; Baraldi, L. G.; Levy, R. B.; Claro, R. M.; Moubarac, J; C.; Cannon, G.; Monteiro, C. A. Impact of ultra-processed foods on micronutrient content in the Brazilian diet. Revista Saúde Pública. Vol. 49. Num. 45. 2015. p.1-8.

-Machado, P. P.; Claro, R. M.; Canella, D. S.; Sarti, F. M.; Levy, R. B. Price and convenience: The influence of supermarkets on consumption of ultra-processed foods and beverages in Brazil. Appetite. Vol. 116. 2017. p. 381-388.

-Perez, P. M. P.; Castro, I. R. R.; Canella, D. S.; Franco, A. S. Effect of implementation of a University Restaurant on the diet of students in a Brazilian public university. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 24. Num.6. 2019. p. 2351-2360.

-Previdelli, Á. N.; Andrade, S. C. de; Pires, M. M.; Ferreira, S. R. G.; Fisberg, R. M.; Marchioni, D. M. A revised version of the Healthy Eating Index for the Brazilian population. Rev. Saúde Pública. Vol. 45. Num. 4. 2011. p. 794-8.

-Rico-Campá, A.; Martínez-González, M. A.; Alvarez-Alvarez, I.; Medonça, R. D.; Fuente-Arrillaga, C.; Gómez-Donoso, C.; Bes-Rastrollo, M. Association between consumption of ultra-processed foods and all cause mortality: SUN prospective cohort study. The BMJ. Vol. 365. 2019.

-Rossetti, F. X.; Silva, M. V. Práticas e percepções de universitários sobre alimentação: estudo qualitativo utilizando grupos focais. Segur. Aliment. Nutr. Vol. 25. Num. 3. 2018. p. 81-93.

-Steele, E. M.; Baraldi, L. G.; Louzada.; Mourabac, J. C.; Mozaffarian, D.; Monteiro, C. A. Ultra-processed foods and added sugars in the US diet: evidence from a nationally representative cross-sectional study. BMJ Open. Vol. 6. Num. 3. 2016.

-Szwarcwald, C. L.; Damacena, G. N. Amostras complexas em inquéritos populacionais: planejamento e implicações na análise estatística dos dados. Revista Brasileira de Epidemiologia. Vol.11. Num.1. 2008. p. 38-45.

-WHO. World Health Organization. Global recommendations on physical activity for health. Geneve: World Health Organization. 2010.

Publicado
2020-11-03
Como Citar
Macedo, N. S. R., Soares, I. C. M., Jesus, S. C. de, Pereira, E. J., & Freitas, R. F. (2020). Consumo de alimentos ultraprocessados e estado nutricional de acadêmicos do curso de nutrição. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 14(87), 699-706. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1357
Seção
Artigos Científicos - Original