Atividade física e sedentarismo: Perfil dos adolescentes com excesso de peso

  • Tamara Silva Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande-PB, Brasil.
  • Rafaela Ramos Dantas Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande-PB, Brasil.
  • Nathalia Costa Gonzaga Escola Técnica de Saúde da Universidade Federal da Paraíba (ETS-UFPB), João Pessoa-PB, Brasil.
  • Rayanna Wanessa Guimaraes Coelho Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande-PB, Brasil.
  • Alexsandro Silva Coura Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande-PB, Brasil.
  • Carla Campos Muniz Medeiros Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande-PB, Brasil.
Palavras-chave: Adolescente., Obesidade, Estilo de vida Sedentário, Promoção da saúde, Epidemiologia

Resumo

Introdução: Adolescentes obesos ou com sobrepeso apresentam hábitos de vida de risco como inatividade física e/ou sedentarismo Objetivo: Avaliar a atividade física e o sedentarismo em adolescentes com excesso de peso e sua associação com os fatores sociodemográficos. Materiais e Métodos: Estudo transversal, envolvendo 128 adolescentes entre 10 e 18 anos, com sobrepeso ou obesidade, acompanhados no Centro de Referência em Obesidade Infantil. O estado nutricional foi classificado de acordo com o Centers for Disease Control and Prevention. Os adolescentes foram categorizados em inativos (nenhuma atividade física); insuficientemente ativos (>0 e <300 minutos/semana); ou ativos (≥300 minutos/semana). Foram considerados como sedentários aqueles que passavam ≥2h/dia assistindo TV, usando computador e/ou jogando vídeo game. Para avaliação da associação dos fatores foi utilizado o teste do qui-quadrado e adotado um nível de significância de 5%. As análises estatísticas foram realizadas no SPSS 22.0. Resultados: 50,8% da amostra é insuficientemente ativa e 88% apresentavam hábitos sedentários. A inatividade física esteve associada ao sexo feminino (p<0,001) e a faixa etária entre 15 e 19 anos (p=0,006).  A maioria não praticava atividade física fora da escola (64,7%), porém realizavam o translado para escola a pé (61,3%) Conclusão: Há alta frequência de inatividade física e sedentarismo nos adolescentes com sobrepeso ou obesidade, porém apenas a inatividade apresenta associação com os fatores sociodemográficos. O conhecimento dos fatores associados ao comportamento sedentário e/ou aos níveis insuficientes de atividade física, nessa população, permitirá a elaboração de estratégias e ações voltadas para promover um estilo de vida mais saudável.

Referências

-Abbes, P.T.; Lavrador, M.S.F.; Escrivão, M.A.M.S.; Taddei, J.A.A.C. Sedentarismo e variáveis clínico-metabólicas associadas à obesidade em adolescentes. Revista de Nutrição. Vol. 24. Num. 4. 2011. p. 529-38.

-Almeida, A.A.M. Consumo de chocolate, estado nutricional e atividade física e de lazer na adolescência escolar. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo. São Paulo. 2010.

-Araújo, R.A.; Brito, A.K.A.; Silva, F.M. O papel da educação física escolar diante da epidemia da obesidade em crianças e adolescentes. Educação Física em Revista. Vol. 4. Num. 2. 2010.

-Brasil. Decreto presidencial nº. 6.286, de 05 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola - PSE, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília-DF. 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6286.htm

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília-DF. 2011b. 148 p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/plano_acoes_enfrent_dcnt_2011.pdf

-Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n° 719. Institui o Programa Academia da Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde. Brasília-DF. 2011a. Disponível em: https://atencaobasica.saude.rs.gov.br/upload/arquivos/201510/01114724-20141103165640br-portaria-719-2011-academia-de-saude-1.pdf

-Bauman, A.E.; Reis, R.S.; Sallis, J.F.; Wells, J.C.; Loos, R.J.F.; Martin, B.W. Correlates of physical activity: why are some people physically active and others not? The Lancet. Vol. 380. 2012. p. 258-71.

-Byun, W.; Dowda, M.; Pate R. Associations between screen-based sedentary behavior and cardiovascular disease risk factors in korean youth. Journal of Korean Medical Science. Vol. 27. Num. 4. 2012. p. 388-94.

-Center of disease control and prevention. Table for calculated body mass index values for selected highs and weights for ages 2 to 20 years. National Center for Health Statistc. Revisado em 2013. Disponível em: https://www.cdc.gov/nccdphp/dnpa/healthyweight/assessing/bmi/00binaries/bmi-tables.pdf

-Coelho, L.G.; Cândido, A.P.C.; Machado-Coelho, G.L.L.; Freitas, S.N. Associação entre estado nutricional, hábitos alimentares e nível de atividade física em escolares. Jornal de Pediatria. Vol. 88. Num. 5. 2012. p. 406-12.

-Epstein, L.H.; Roemmich, J.N.; Robinson, J.L.; Paluch, R.A.; Winiewcz, D.D.; Fuerch, J.H.; Robinson, T.N. A randomized trial of the effects of reducing television viewing and computer use on body mass index in young children. Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine. Vol. 162. Num. 3. 2008. p. 239-45.

-Farias Júnior, J.C.; Lopes, A.S.; Mota, J.; Hallal, P.C. Prática de atividade física e fatores associados em adolescentes no Nordeste do Brasil. Revista de Saúde Pública. Vol. 46. Num. 3. 2012. p. 505-15.

-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa nacional de saúde do escolar 2009. Rio de Janeiro. 2009. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv43063.pdf

-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009: aquisição alimentar domiciliar per capita: Brasil e grandes regiões. Rio de Janeiro. 2010. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv47307.pdf

-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar - PENSE 2012. Rio de Janeiro. 2013. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv97870.pdf

-Khoo, S.; Al-Shamli, A.K. Leisure-time physical activity and physical fitness of male adolescents in Oman. Asia Pacific Journal Public Health. Vol. 24. Num. 1. 2010. p. 128-35.

-Lee, I-M.; Shiroma, E.J.; Lobelo, F.; Puska, P.; Blair, S.N.; Katzmarzyk, P.T. Effect of physical inactivity on major non-communicable diseases worldwide: an analysis of burden of disease and life expectancy. The Lancet. Vol. 380. Num. 9838. 2012. p. 219-329.

-Malta, D.C.; Andreazzi, M.A.R.; Oliveira-Campos, M.; Andrade, S.S.C.A.; Sá, N.N.B.; Moura, L.; Dias, J.A.R.; Crespo, C.D.; Silva Júnior, J.B. Trend of the risk and protective factors of chronic diseases in adolescents, National Adolescent School-based Health Survey (PeNSE 2009 e 2012). Revista Brasileira de Epidemiologia. São Paulo. Vol.17. supl.1. 2014. p.77-91.

-Mattos, M.G.; Neira, M.G. Educação física infantil: construindo o movimento na escola. 5ª edição. Phorte. 2005.

-Santos, C.M.; Wanderley, J.R.S.; Barros, S.S.H.; Farias, J.J.C.; Barros, M.V.G. Prevalência e fatores associados à inatividade física nos deslocamentos para escola em adolescentes. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 26. Num. 7. 2010. p. 1419-30.

-Schmidt, M.I.; Duncan, B.B.; Silva, G.A.; Menezes, A.M.; Monteiro, C.A.; Barreto, S.M. Char, D.; Menezes, P.R. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. The Lancet. Rio de Janeiro. Fiocruz. 2011. p. 61-74.

-Simões, E.J.; Hallal, P.; Pratt, M.; Ramos, L.; Munk, M.; Damascena, W.; Perez, D.P.; Hoehner, C.M.; Gilbertz, D.; Malta, D.C.; Brownson, R.C. Effects of a community based supervised intervention on physical activity levels among residents of Recife, Brazil. American Journal of Public Health. Vol 99. 2009. p. 68-75.

-Silva, K.L.; Sena, R.R.; Grillo, M.J.C.; Horta, N.C.; Prado, M.C. Educação em enfermagem e os desafios para a promoção de saúde. Revista Brasileira de Enfermagem. Vol.62. Num.1. 2009. p.86-91.

-Souza, E.A.; Barbosa Filho, V.C.; Nogueira, J.A.D.; Azevedo, J.M.R. Atividade física e alimentação saudável em escolares brasileiros: revisão de programas de intervenção. Cadernos de Saúde Pública. Vol.27. num. 8. 2011. p.1459-1471.

-World Health Organization. Diet, nutrition and prevention of chronic diseases. Série Who Technical Report. Geneva. 2003. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/42665/WHO_TRS_916.pdf?sequence=1

-World Health Organization. The use and interpretation of antropometry. Technical Report Series. No. 854. Geneva. 1995. Disponível em: http://www.who.int/childgrowth/publications/physical_status/en/index.html

Publicado
2021-07-15
Como Citar
Silva, T., Dantas, R. R., Gonzaga, N. C., Coelho, R. W. G., Coura, A. S., & Medeiros, C. C. M. (2021). Atividade física e sedentarismo: Perfil dos adolescentes com excesso de peso. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 14(88), 792-801. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1385
Seção
Artigos Científicos - Original