Adesão ao tratamento dietoterápico e hábitos alimentares de diabéticos atendidos em um ambulatório de nutrição

  • Karina da Rocha Souza Nutricionista, Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Pelotas-RS, Brasil.
  • Alessandra Doumid Borges Pretto Doutora em Saúde e Comportamento, Professora Adjunta da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Pelotas-RS, Brasil.
  • Fabiana Barbosa Pacheco Pós-Graduanda em Nutrição e Alimentos da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Pelotas-RS, Brasil.
  • Pamela Silva Vitória Salerno Doutora em Saúde e Comportamento pela Universidade Católica de Pelotas (UCPEL), Pelotas-RS, Brasil.
  • Angela Nunes Moreira Doutora em Biotecnologia pela Universidade Federal de Pelotas, Professora Associada da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Pelotas-RS, Brasil.
Palavras-chave: Diabetes mellitus, Consumo Alimentar, Estado Nutricional

Resumo

Introdução e Objetivo: A manutenção contínua do tratamento para pacientes diabéticos é de difícil aceitação, em virtude da necessidade de disciplina e incorporação de hábitos alimentares e de vida. O estudo objetivou analisar à adesão ao tratamento dietoterápico e hábitos alimentares de diabéticos atendidos em um ambulatório de nutrição. Materiais e métodos: Estudo observacional com base na análise de dados secundários coletados em 2018. A adesão ao tratamento dietoterápico foi avaliada através da comparação de medidas antropométricas, hábitos alimentares e de saúde, entre a primeira e última consulta, relacionadas ao tempo de intervenção e ao número de consultas no período. As análises foram realizadas utilizando o pacote estatístico Stata® 11.1, com nível de significância de 5%. Resultados e discussão: A maioria da amostra é do sexo feminino (51%), com idade entre 19 a 64 anos, apresenta excesso de peso ou obesidade, obesidade abdominal e risco de desenvolver complicações metabólicas. Houve melhora significativa da maioria dos dados antropométricos, sendo que 60,71% dos pacientes perderam peso. A adesão ao tratamento foi parcial, pois embora os hábitos alimentares tenham melhorado entre as consultas, a maioria não foi significativa. Em relação à atividade física, houve redução significativa de pacientes sedentários.  Estudos com pacientes diabéticos mostram baixa adesão ao tratamento nutricional. Conclusão: É necessário reavaliar às abordagens e estratégias envolvidas na adesão do paciente quanto a melhora da qualidade da alimentação e dos hábitos de vida para que se tenha maior adesão ao tratamento.

Biografia do Autor

Pamela Silva Vitória Salerno, Doutora em Saúde e Comportamento pela Universidade Católica de Pelotas (UCPEL), Pelotas-RS, Brasil.

Doutora em Saúde e Comportamento pela Universidade Católica de Pelotas (UCPEL), Pelotas-RS, Brasil; Pós Doutoranda de Estudos de Esportes Coletivos pela Faculdade de Educação Física da Universidade Federal de Pelotas.

Angela Nunes Moreira, Doutora em Biotecnologia pela Universidade Federal de Pelotas, Professora Associada da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Pelotas-RS, Brasil.

Doutora em Biotecnologia pela Universidade Federal de Pelotas; Professora Associada da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Pelotas-RS, Brasil; Professora do Programa de Pòs Graduação em Nutrição e Alimentos e Biotecnologia da Universidade Federal de Pelotas.

Referências

-Amorim, R.G.; Calheiros, F.L.; Ferreira, R.B.; Santos, J.C. Excesso de peso na nefropatia diabética. GEPNEWS. Vol.2. Num.2. 2019. p.53-68.

-Ashwell, M.; Gunn, P.; Gibson, S. Waist-to-height ratio is a better screening tool than waist circumference and BMI for adult cardiometabolic risk factors: systematic review and meta-analysis. Obes. Rev. Vol. 13. Num. 3. 2012. p. 275-286.

-Assunção, S.C.; Fonseca, A.P.; Silveira, M.F.; Caldeira, A.P.; Pinho, L. Conhecimento e atitude de pacientes com diabetes mellitus da Atenção Primária à Saúde. Esc Anna Nery. Vol. 21. Num.4. 2017. p.1-7.

-Cadogno, J.S.; Fernandes, R.A.; Monteiro, H.L. Prática de atividades físicas e custo do tratamento ambulatorial de diabéticos tipo 2 atendidos em unidade básica de saúde. Arq Bras Endocrinol Metab. Vol.56.Num 16. 2012. p.6-11.

-Carvalho, F.S.; Netto, A.P.; Zach, P.; Sachs, A.; Zanella, M.T. Importância da orientação nutricional e do teor de fibras da dieta no controle glicêmico de pacientes diabéticos tipo 2 sob intervenção educacional intensiva. Arq Bras Endocrinol Metab. Vol.56 Num.2 2012.p.110-119.

-Daniele, T.M.C.; Vasconcelos, J.P.; Coutinho, F.G. Avaliação do autocuidado de pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2 em uma unidade de atenção básica. Cinergis. Vol. 15. Num 3. 2014. p.135-139.

-Groffi, D.P.; Simões, P.W.T.A.; Fagundes, A.L.S.C. Adesão ao tratamento dos pacientes diabéticos tipo II usuários da estratégia saúde da família situada no bairro Metropolitano de Criciúma-SC. Arquivos Catarinenses de Medicina. Vol. 40. Num. 3. 2011. p. 43-48.

-Guidoni, C.M.; Oliveira, C.M.X.; Freitas, O.; Pereira, L.R.L. Assistência ao diabetes no Sistema Único de Saúde: análise do modelo atual. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences. Vol. 45. Num. 1. 2009. p.37-48.

-Lacerda, F.V.; Pacheco, M.T.M. A ação das fibras alimentares na prevenção da constipação intestinal. X Encontro Latino-Americano de Iniciação Científica e VI Encontro Latino-Americano de Pós-Graduação. Universidade do Vale do Paraíba. 2016.

-Machado S.P.; Rodrigues D.G.C.; Viana K.D.A.L.; Sampaio H.A.C. Correlação entre o índice de massa corporal e indicadores antropométricos de obesidade abdominal em portadores de diabetes mellitus tipo 2 Rev Bras Promoç Saúde. Fortaleza. Vol. 25. Num.4.2012. p. 512-520.

-Ministério da saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. Brasília. 2ª edição. 2014.

-Oliveira, G.M.; Teixeira, C.S. Pacientes diabéticos: autoconhecimento sobre a doença e adesão ao tratamento. União das Faculdades dos Grandes Lagos. Vol. 1. Num.1.2019. p.1-9.

-Oliveira, L.M.S.M.; Souza, M.F.C.; Souza, L.A.; Melo, I.R.C. Adesão ao tratamento dietético e evolução nutricional e clínica de pacientes com diabetes mellitus tipo 2. HU Revista, Juiz de Fora. Vol. 42. Num.4. 2016. p.277-282.

-OMS. Organização Mundial de Saúde. Physical status: the use and interpretation of anthropometry.2007.

-Pereira, J.; Frizon, E. Adesão ao tratamento nutricional de portadores de diabetes mellitus tipo 2: uma revisão bibliográfica. RASBRAN. Revista da Associação Brasileira de Nutrição. Vol. 8. Num 2. 2017. p. 58-66.

-Pitanga, F.J.; Lessa, I. Sensibilidade e especificidade do índice de conicidade como discriminador do risco coronariano de adultos em Salvador, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia. Vol. 7. Num.3. 2004.p.259-269.

-Rodrigues, L.R.; Souza, C.T.; Souza, D.T.; Ferron, A.J.T.; Ferron, F.V.F. Estado nutricional e perfil alimentar dos pacientes atendidos em ambulatório de nutrição. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol. 13. Num. 80. 2019. p.561-569.

-Roos, A.C.; Baptista, D.R.; Miranda, R.C. Adesão ao tratamento de pacientes com diabetes mellitus 2. Demetra. Vol.10. Num. 2. 2015.p. 329-346.

-Rohani, B. Oral manifestations in patients with diabetes mellitus. World J Diabetes. Vol. 10. Núm. 9. 2019.485-489.

-Seo, D. C.; Choe, S.; Torabi, M.; Mohammad, R. Is waist circumference≥ 102/88 cm better than body mass index ≥ 30 to predict hypertension and diabetes development regardless of gender, age group, and race/ethnicity? Meta-analysis. Preventive medicine. Vol. 97. 2017. p. 100-108.

-Sociedade Brasileira de Diabetes. Diretrizes 2019-2020. Editora científica Clannad. 491p.

-Wong, E.; Backholer, K.; Gearon, E.; Harding, J.; Freak-Poli, R.; Stevenson, C.; Peeters, A. Diabetes and risk of physical disability in adults: a systematic review and metaanalysis. The lancet Diabetes & endocrinology. Vol. 1. Num. 2. 2013. p.106-114.

Publicado
2021-07-15
Como Citar
Souza, K. da R., Pretto, A. D. B., Pacheco, F. B., Salerno, P. S. V., & Moreira, A. N. (2021). Adesão ao tratamento dietoterápico e hábitos alimentares de diabéticos atendidos em um ambulatório de nutrição. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 14(88), 860-869. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1425
Seção
Artigos Científicos - Original