Prevalência e fatores de risco relacionados à síndrome metabólica em militares do exército brasileiro na guarnição de Santa Maria-RS

  • Alessandra Soares Ayres Fraga Doutoranda em Nanociências (PPGNANO), Universidade Franciscana (UFN), Santa Maria- RS, Brasil.
  • Rômulo de Oliveira Fraga Mestrando em Ciências da Saúde e da Vida, Universidade Franciscana (UFN), Santa Maria- RS, Brasil.
  • Natielen Jacques Schuch Doutora em Ciências pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP), Docente nos cursos de Nutrição e Mestrado em Ciências da Saúde e da Vida, Universidade Franciscana (UFN), Santa Maria- RS, Brasil.
Palavras-chave: Aptidão Física, Estado Nutricional, Militares, Obesidade, Síndrome Metabólica

Resumo

Introdução: A Síndrome Metabólica (SM) é um dos principais desafios no século. Estudos evidenciam um panorama de epidemia com associação à obesidade, alertando acerca dos riscos para a saúde mundial.  Os militares não são exceções, mesmo com treinamentos físicos regulares, padrões alimentares restritos e estilo de vida ativo, eles também estão sujeitos ao acometimento pela síndrome. Objetivo: Identificar a prevalência e os fatores de risco relacionados à Síndrome Metabólica, em militares do Exército Brasileiro (EB) na Guarnição de Santa Maria-RS. Materiais e Metodos: Estudo transversal, composto por 224 militares, em Organizações Militares do EB, composta por questionário sociodemográfico, avaliação antropométrica, aferição da pressão arterial e análise de prontuários eletrônicos para os exames bioquímicos. A SM foi classificada de acordo com os critérios do National Cholesterol Education Program Adult Treatment Panel III (NCEP-ATP III). Resultados: A prevalência da SM foi de 16,1%, indivíduos sindrômicos possuíam idades superiores e com mais tempo de carreira militar (p<0,001), e apresentavam peso e IMC mais elevados, (p<0,001). Os parâmetros clínicos de participantes com SM mostraram (p<0,001). Militares que não praticavam atividade física tiveram RP aumentada para SM em 106,3%. Conclusão: Ainda que menos propensa à obesidade em relação à população civil, a amostra apresentou grande número de militares com sobrepeso ou obesos. Destacou-se na pesquisa, ainda, a forte associação entre a inatividade física e a Síndrome Metabólica. O presente estudo revela a necessidade de medidas de cautela na instituição visando que os índices apontados não venham a, doravante, convergir para os indicadores da população geral.

Referências

-Afonso, C.A.G. Excesso de peso, Síndrome metabólica, Ingestão nutricional e Atividade física numa amostra de População Prisional. Tese de Doutorado. Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto. Porto. 2019.

-Akl, L.D.; Ana L.R. Valadares, A.L.R.; Moraes, M.J.; Pinto- Neto, A.M.; Lagrutta, B.; Costa-Paiva, L. Metabolic syndrome in HIV-infected middle-aged women on antiretroviral therapy: prevalence and associated factors. The Brazilian Journal of Infectious Diseases. Vol. 21. Num. 3. 2017. p. 263-269.

-Alberti, K.G.M.M.; Eckel, R.H.; Grundy, S.M.; Zimmet, P. Z.; Cleeman, J.I.; Donato, K.A.; Fruchat, Jean-Charles; James, W.P.T.; Loria, C.M.; Smith Jr, S.C. Harmonizing the metabolic syndrome: a joint interim statement of the international diabetes federation task force on epidemiology and prevention; national heart, lung, and blood institute; American heart association; world heart federation; international atherosclerosis society; and international association for the study of obesity. Circulation. Vol. 120. Num. 16. 2009. p. 1640-1645.

-Almeida, S.D.S. Síndrome metabólica no policial militar do estado de Goiás. 2017. Tese de Doutorado. Universidade Federal de Goiás. Goiânia. 2017.

-Bernardo, A.F.B.; Rossi, R.C.; Souza, N.M.D.; Pastre, C.M.; Vanderlei, L.C.M. Associação entre atividade física e fatores de risco cardiovasculares em indivíduos de um programa de reabilitação cardíaca. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol.19. Num.4. 2013. p. 231-235.

-Costa, F.F.D.; Montenegro, V.B.; Lopes, T.J.A.; Costa, E.C. Combinação de fatores de risco relacionados à síndrome metabólica em militares da Marinha do Brasil. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 97. Num. 6. 2011. p. 485-492.

-Eckel, R.H.; Alberti, K.G.; Grundy, S.M.; Zimmet, P.Z. The metabolic syndrome. The Lancet. Vol. 365. Num. 9468. 2005. p. 1415-1428.

-Filho, R.T.B.; D’Oliveira JR. A. The prevalence of metabolic syndrome among soldiers of the military police of Bahia state, Brazil. American Journal of Men's Health. Vol. 8. Num. 4. 2014. p. 310-315.

-Fonseca, É.J.N.D.C.; Rocha, T.P.O.; Nogueira, I.A.L.; Melo, J.B.D.; Silva, B.L.; Lopes, E.J.; Figueredo Neto, J.A.D. Síndrome Metabólica e Resistência Insulínica pelo Homa-IR no Climatério. International Journal of Cardiovascular Sciences. Vol. 31. Num. 3. 2018. p. 201-208.

-Francisco, P.M.S.B.; Assumpção, D.D.; Borim, F.S.A.; Senicato, C.; Malta, D.C. Prevalência e coocorrência de fatores de risco modificáveis em adultos e idosos. Revista de Saúde Pública. Vol. 53. 2019. p. 86.

-Gallardo-Alfaro, L.; Bibiloni, M.D.M.; Mascaró, C.M.; Montemayor, S., Ruiz-Canela, M.; Salas-Salvadó, J.; Tur, J.A. Leisure-Time Physical Activity, Sedentary Behaviour and Diet Quality are Associated with Metabolic Syndrome Severity: The PREDIMED-Plus Study. Nutrients. Vol. 12. Num. 4. 2020. p. 1013.

-Grundy, S.M.; Cleeman, J.I.; Daniels, S.R.; Donato, K.A.; Eckel, R.H.; Franklin, B.A.; Costa, F. Diagnosis and management of the metabolic syndrome: an American Heart Association/National Heart, Lung, and Blood Institute scientific statement. Circulation. Vol. 112. Num. 17. 2005. p. 2735-2752.

-Janak, J.C.; Perez, A.; Alamgir, H.; Orman, J. A.; Cooper, S.P.; Shuval, K.; Gabriel, K.P. US military service and the prevalence of metabolic syndrome: Findings from a cross-sectional analysis of the Cooper Center Longitudinal Study, 1979-2013. Preventive Medicine. Vol. 95. 2017. p. 52-58.

-Kweitel, S. IMC: Herramienta poco útil para determinar el peso ideal de un deportista. Revista Internacional de Medicina y Ciencias de la Actividad Física y del Deporte/International Journal of Medicine and Science of Physical Activity and Sport. Vol.7. Num. 28. 2007. p. 274-289.

-Lee, J.H.; Seo, D.H.; Nam, M.J.; Lee, G.H.; Yang, D.H.; Lee, M.J.; Hong, S. The prevalence of obesity and metabolic syndrome in the Korean military compared with the general population. Journal of Korean Medical Science. Vol. 33. Num. 25. 2018.

-Lemes, B.; Vieira, S.S.; Silva Jr, J.A.; Carvalho, P.D.T.C.; Costa, W.O.; Bocalini, D.S.; Serra, A.J. Treinamento físico militar modifica parâmetros antropométricos e funcionais. Conscientia e Saúde. Vol. 13. Num. 1. 2014. p. 31-38.

-Lima, N.P.; Horta, B.L.; Motta, J.V.D.S.; Valença, M.S., Oliveira, V.; Santos, T.V.D.; Barros, F.C. Evolução do excesso de peso e obesidade até a idade adulta, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, 1982-2012. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 31. 2015. p. 2017-2025.

-Mallmann, N.H. Marcadores bioquímicos da Síndrome Metabólica em indivíduos hiperuricêmicos. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Amazonas. Manaus.2014.

-Martinez, E.C. Fatores de Risco de Doença Aterosclerótica Coronariana em Militares da Ativa do Exército Brasileiro com idade superior a 40 anos. Dissertação de Mestrado. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca da Fundação Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro. 2004.

-Martinez, E.C. Atividade física, condicionamento cardiorrespiratório, estado nutricional, adipocitocinas e suas relações com fatores de risco cardiovascular em homens com idade superior a 35 anos. Tese de Doutorado. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca da Fundação Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro. 2009.

-Matsudo, S.; Araújo, T.; Marsudo, V.; Andrade, D.; Andrade, E.; Braggion, G. Questionário internacional de atividade física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde. Vol. 6. Num. 2. 2001. p. 5-18.

-Muniz, G.R.; Bastos, F.P.M. Prevalence of obesity among the military from Brazilian Air Force and its implications for aerospatial medicine. Revista de Educação e de Tecnologia Aplicadas à Aeronáutica. Vol. 2. Num. 1. 2010. p. 25-36.

-Nápoles, M.B.; Rodríguez, O.P.; Santos, M. Síndrome X. La epidemia del siglo XXI. InfoCiencia. Vol. 17. Num. 1. 2020. p. 12.

-Nascimento, L.L.D.; Goulart Filho, E.Z.; Silveira, M.A.M.; Pereira Neto, P.H.; Bezerra, J.P.G.; Penido, A.; Guerra, A.P. Fatores de risco cardiovasculares em militares da 7 Circunscrição de Serviço Militar. Revista de Trabalhos Acadêmicos Universo Goiânia. Num. 5. 2018.

-National Institutes of Health (NIH publication n. 00-4084). The Practical guide identification, evaluation, and treatment of overweight and obesity in adults. Bethesda. MD: 2000.

-Neves, E.B. Prevalence of overweight and obesity among members of the Brazilian army: association with arterial hypertension. Ciência e Saúde Coletiva. Vol. 13. Num. 5. 2008. p. 1661-1668.

-Neves, E.B.; Rosa, S.E.; Fortes, M.S. Prevalence and anthropometric predictors of metabolic syndrome in the Brazilian military. Journal of Science and Medicine in Sport. Vol. 20. 2017. p. S158.

-Nóbrega, L.F.M.; Secco, M.B.G. Evolução da Educação Física no Exército Brasileiro. Revista Navigator: subsídios para a história marítima do Brasil. Vol. 12. Num. 23. 2016. p. 91-101.

-Payab, M.; Hasani-Ranjbar, S.; Merati, Y.; Esteghamati, A.; Qorbani, M.; Hematabadi, M.; Shirzad, N. The prevalence of metabolic syndrome and different obesity phenotype in Iranian male military personnel. American Journal of Men's Health. Vol. 11. Num. 2. 2017. p. 404-413.

-Pickering, T.G.; Hall, J.E.; Appel, L.J.; Falkner, B.E.; Graves, J.; Hill, M.N.; Roccella, E.J. Recommendations for blood pressure measurement in humans and experimental animals: part 1: blood pressure measurement in humans: a statement for professionals from the Subcommittee of Professional and Public Education of the American Heart Association Council on High Blood Pressure Research. Circulation. Vol. 111. 2005. p. 697-716.

-Ramires, E.K.N.M.; Menezes, R.C.E.D.; Longo-Silva, G.; Santos, T.G.D.; Marinho, P.D.M.; Silveira, J.A.C.D. Prevalência e fatores associados com a Síndrome Metabólica na população adulta brasileira: pesquisa nacional de saúde-2013. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 110. Num. 5. 2018. p. 455-466.

-Rosa, S.E.D.; Lippert, M.A.; Marson, R.A.; Fortes, M.D.S.R.; Rodrigues, L.C.; Fernandes Filho, J. Physical performance, body composition and metabolic syndrome in military personnel from the brazilian army. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 24. Num. 6. 2018. p. 422-425.

-Saklayen, M.G. The global epidemic of the metabolic syndrome. Current Hypertension Reports. Vol. 20. Num. 2. 2018. p. 12.

-Schetz, M.; De Jong, A.; Deane, A.M.; Druml, W.; Hemelaar, P.; Pelosi, P.; Jaber, S. Obesity in the critically ill: a narrative review. Intensive Care Med. Vol. 45. 2019. p. 757-769.

-Silva, J.M.C. Prevalência e fatores associados à Síndrome Metabólica em Militares do Exército Brasileiro. Dissertação de Mestrado. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca da Fundação Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro. 2013.

-Vidigal, F.C.; Bressan, J.; Babio, N.; Salas-Salvadó, J. Prevalence of metabolic syndrome in Brazilian adults: a systematic review. BMC Public Health. Vol. 13. Num. 1. 2013. p. 1198.

-Wachholz, P.A.; Masuda, P.Y. Caracterização e prevalência de síndrome metabólica em idosos segundo dois critérios diagnósticos diferentes. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento. Vol.14. Num.1. 2009.

-WHO. World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic of obesity. Report of the WHO Consulation of Obesity. Geneva. p.3-5 June. 1997.

Publicado
2022-03-29
Como Citar
Fraga, A. S. A., Fraga, R. de O., & Schuch, N. J. (2022). Prevalência e fatores de risco relacionados à síndrome metabólica em militares do exército brasileiro na guarnição de Santa Maria-RS. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 15(93), 210-224. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1664
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original