Consumo hídrico e prevalência de constipação intestinal em acadêmicas de uma instituição de ensino privada de Blumenau-SC

  • Ionara Bensberg Viscki Graduanda em Nutrição pelo Centro Universitário Dante - UNIDANTE, Blumenau-SC, Brasil.
  • Laís Sabrine de Oliveira Professora em Nutrição pelo Centro Universitário Dante - UNIDANTE, Blumenau-SC, Brasil.
Palavras-chave: Constipação Instestinal, Motilidade gastrointestinal, Mulheres

Resumo

A constipação intestinal é caracterizada por um retardo no esvaziamento intestinal de difícil definição pois para defini-la, é preciso levar em conta a frequência de evacuações, a consistência das fezes e a sensação de esvaziamento intestinal completo. O presente estudo teve como objetivo analisar a prevalência de constipação intestinal em acadêmicas do curso de nutrição em uma instituição privada de ensino superior de Blumenau, Santa Catarina. Trata-se de uma pesquisa de natureza quantitativa sistemática do tipo transversal. A coleta de dados foi realizada no período de 03/11/20 a 10/11/20 através da aplicação de um questionário virtual, elaborado de acordo com os Critérios de Roma III e avaliação do consumo hídrico. Compuseram a amostra do estudo 50 acadêmicas, cuja faixa etária variou entre 20 e 39 anos. Os resultados sugeriram que 54% das participantes apresentaram dois ou mais sintomas sugestivos de constipação intestinal. Os sintomas mais prevalentes relatado pelas participantes foram: sensação de evacuação incompleta, 54% (n=27) e fezes endurecidas/ fragmentadas 54% (n=27). No que se refere à ingestão total de água pura relatada, 14 participantes afirmaram consumir a quantidade recomendada pelo Guia Alimentar para a População Brasileira (dois litros), o que corresponde a 28 % da amostra. Desta maneira, conclui-se que este estudo representa uma contribuição para o reconhecimento da importância da constipação intestinal, uma vez que a presença de tais sintomas influencia na qualidade de vida dos indivíduos.

Referências

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à saúde. Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Guia Alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável/Ministério da Saúde. 2006.

-Braz, M.M.; Kelling, B.I.; Arruda, G.T.; Stallbaum, J.H. A constipação intestinal em idosas participantes de um programa de promoção à saúde, em Santa Maria-RS: sua prevalência, sintomas e fatores psicossociais associados. Revista Kairós Gerontologia. Vol.18. Num.3. 2015. p. 381-395.

-Chiarelli, P.; Brown, W.; McElduff, P. Constipação em mulheres australianas: prevalência e fatores associados. Int Urogynecol J. Vol.11. 2000. p. 71-78.

-Cofré, P.L.; Germain, F.P.; Medina, L.L.; Orellana, H.G.; Suárez, J.M.; Vergara, T.A. Manejo de la constipación crónica del adulto: Actualización. Revista Médica del Chile. Vol. 136. Num.4. 2008. p. 507-516.

-Collete, V.L.; Araújo, C.L.; Madruga, S.W. Prevalência e fatores associados à constipação intestinal: um estudo de base populacional em Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad Saúde Pública. Vol. 26. Num.7. 2010. p. 1391- 1402.

-Drossman, D.A. Os distúrbios gastrointestinais funcionais e o processo Roma III. Gastroenterology. Vol. 130. 2006. p. 1377-1390.

-Garrigues, V.; Galvez, C.; Ortiz, V.; Ponce, M.; Nos, P.; Ponce, J. Prevalência de constipação: concordância entre vários critérios e avaliação da acurácia diagnóstica dos sintomas qualificantes e definição autorreferida em inquérito de base populacional na Espanha. Am J Epidemiol. Vol. 5. Num.159. 2004. p. 520-526.

-Guyton, A.C.; Hall, J.E. Tratado de Fisiologia Médica. 12ª edição. Rio de Janeiro. Elsevier. 2011. p. 844.

-Harrington, K.L.; Haskvistz, E.M. Managing a patient’s constipation with Physical Therapy. Journal of the American Physical Therapy Association, Vol. 86. 2006. p. 1511-1519.

-Haug, T.T.; Mykletun, A.; Dahl, A.A. A ansiedade e a depressão estão relacionadas aos sintomas gastrointestinais na população em geral? Scand J Gastroenterol. Vol. 37. Num. 3. 2002. p. 294- 298.

-Higgins, P.D.; Johanson, J.F. Epidemiologia da constipação na América do Norte: uma revisão sistemática. Am J Gastroenterol. Vol. 99. Num. 4. 2004. p. 750-759.

-Klauser, A.G.; Voderholzer, W.A.; Heinrich, C.A.; Schindlbeck, N.E.; Müller- Lissner, S.A. Modificação comportamental da função colônica. A constipação pode ser aprendida? Dig Dis Sci. Vol. 35. Num. 10. 1990. p. 1271-1275.

-Lacerda Filho, A.; Lima, M.J.; Magalhães, M.F.; Paiva, R.A.; Cunha-Melo, J.R. O papel da avaliação clínica e dos testes de fisiologia colo-reto anal no diagnóstico etiológico da constipação intestinal crônica. Arq Gastroenterol. Vol. 45. Num. 1. 2008. p. 50-57.

-Lembo, A.; Camilleri, M. Chronic Constipation. N Engl J Med. Vol. 349. Num. 14. 2003. p. 1360-1368.

-Locke, G.R.; Pemberton, J.H.; Phillips, S.F. Revisão técnica AGA sobre constipação. Gastroenterol. Vol. 119. Num. 6. 2000. p. 1766-1778.

-Neves, M.Q.T.S. Manual de fisiopatologia. 2ª edição. São Paulo. Roca. 2007.

-Pare, P.; Ferrazzi, S.; Thompson, W.G, Irvine EJ, Rance L. Um levantamento epidemiológico da constipação no Canadá: definições, taxas, dados demográficos e preditores de busca por cuidados de saúde. Am J Gastroenterol. Vol. 96. Num.11. 2001. p. 3130-3137.

-Schmidt, F.M.Q.; Santos, V.L.C.G. Prevalência de constipação na população adulta em geral: uma revisão integrativa. J Wound Ostomy Continence Nurs. Vol. 41. Num.1. 2014. p. 70-76.

-Stewart, W.F.; Liberman, J.N.; Sandler, R.S.; Woods, M.S.; Stemhagen, A.; Chee, E.; Lipton, R.B.; Farup, C.E. Estudo de epidemiologia da constipação (EPOC) nos Estados Unidos: relação de subtipos clínicos com características sociodemográficas. Am J Gastrenterol. Vol. 94. Num. 12. 1999. p. 3530-3540.

-Walter, S.; Hallböök, O.; Gotthard, R.; Bergmark, M.; Sjödahl, R. Um estudo de base populacional sobre os hábitos intestinais em uma comunidade sueca: prevalência de incontinência fecal e constipação. Scand J Gastroenterol. Vol. 37. Num. 8. 2002. p. 911-916.

Publicado
2022-03-29
Como Citar
Viscki, I. B., & Oliveira, L. S. de. (2022). Consumo hídrico e prevalência de constipação intestinal em acadêmicas de uma instituição de ensino privada de Blumenau-SC. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 15(93), 310-315. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1701
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original