Comparação de modelos de indução da síndrome metabólica: dieta com excesso de frutose e dieta hiperlipdêmica

Érica Ballestreri, Isadora Fogaça Marcon, Rejane Giacomelli Tavares

Resumo


Introdução: A Síndrome Metabólica (SM) é uma doença crônica não transmissível, associada a um conjunto de riscos cardiometabólicos. Constitui uma importante ameaça à saúde pública devido à sua associação com o aumento no risco de desenvolver Diabetes Mellitus tipo 2 e doença cardiovascular. Sua etiopatogenia ainda carece de uma definição bem estabelecida, portanto a busca de um modelo experimental adequado para simular a SM é extremamente válida, visando contribuir com progressos na compreensão da etiologia e intervenções terapêuticas desta síndrome. Objetivo: Comparar e validar dois modelos de indução da SM, em ratos Wistar. Materiais e Métodos:  Foram utilizados 80 ratos Wistar machos com  90 dias de vida, pesando entre 200-300g. Os animais foram divididos em grupo controle (n=30), que recebeu ração normocalórica, grupo frutose (n=30), que recebeu ração adicionada de 60% (p/p) de frutose e grupo hiperlipidêmica (n=20) que recebeu ração adicionada de chocolate, bolacha e amendoim. Resultados: Quando comparados o grupos controle e grupos testes, verificamos aumento significativo do peso corporal, glicemia e ácido úrico em ambas as dietas em relação ao controle, além de diferença significativa nos níveis de triglicerídeos e glicemia no grupo da dieta hiperlipidêmica em relação ao grupo frutose. Os demais parâmetros analisados não apresentaram alterações significativas. Conclusão: Somente a dieta hiperlipidêmica foi capaz de induzir a SM, apresentando alteração em três parâmetros conforme critério diagnóstico da NCEP ATPIII, sendo, portanto, a dieta de escolha para estudos futuros sobre a SM.

 

ABSTRACT

Comparison between models of metabolic syndrome induction: diet with fructose excesso and hyperlipidemic

Introduction: The Metabolic Syndrome (MS) is a not transmissible chronic disease, associated to cardio metabolic risk factors. It is considered an important menace to the public health due to the association with the increase of the development possibility of Diabetes Mellitus type 2 and cardiovascular disease. There is no proper definition of etiopatogenia, therefore, the search for suitable experimental model to simulate MS is extremely important, which will contribute with the progress in the understanding of the etiology and in the therapeutic interventions of this syndrome. Aim: To compare and validate two MS induction models in Wistar mice. Materials and Methods: 80 Wistar mice with ninety days of life and 200-300g were used. The animals were separated in: control group (n=30), which received normocaloric ration, fructose group (n=30), which received ration with 60% (p/p) of fructose e hyperlipidemic group (n=20) which received a ration with chocolate, cookies and peanuts. Results: Comparing the control and test groups of the diet with fructose, we verified a significant increase of the body mass, glycemia and uric acid in both diets compared to the control, as well as significant differences in the levels of triglycerides and glucose levels in the hyperlipidemic diet group than in the fructose group. The rest of the analyzed parameters did not show significant alterations in both diets. Conclusion: Only the hyperlipidemic diet was capable of inducing the MS, by showing variations in three parameters as the diagnostic criterion of NCEP ATPIII, therefore, chosen as the diet for studies about MS.


Palavras-chave


Modelos animais; Doenças crônicas não transmissíveis; Dieta de cafeteria; Dosagens bioquímicas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui