Estudo de caso: composição dos pratos e percepção dos responsáveis sobre a alimentação de crianças em um restaurante self-service

Daniela Hörlle, Márcia Arocha Gularte, Débora Oliveira da Silva, Fabiana Torma Botelho

Resumo


A obesidade tornou-se um problema de saúde pública, sendo uma ameaça à saúde em todas as faixas etárias, inclusive crianças. Conforme dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares em 2010, uma em cada três crianças de 5 a 9 anos estava acima do peso e 31% das famílias realizavam refeições fora do domicílio, sendo este um fator relevante no que diz respeito à obesidade, uma vez que em estabelecimentos que fornecem refeições nem sempre estão à disposição ou são escolhidas preparações saudáveis. O objetivo deste estudo de caso foi avaliar a composição dos pratos e a percepção dos responsáveis sobre a alimentação de crianças em um restaurante tipo self-service, assim como as características sociodemográficas e antropométricas das crianças e responsáveis. Os dados foram obtidos por meio de registro fotográfico do prato de crianças e seus responsáveis e entrevista posterior com os responsáveis, utilizando questionário sobre a alimentação e dados antropométricos e sociodemográficos. Os pratos foram classificados conforme a composição: “com arroz”, “com feijão”, “com arroz e feijão”, “com carne”, “com salada”, “com pastelarias e fritos” e “com arroz, feijão, carne e salada”. Participaram do estudo 30 responsáveis e 15 crianças, sendo que 80% dos pratos das crianças e 90% dos pratos dos responsáveis foram classificados “com pastelarias e fritos” e 47% consideravam a refeição das crianças em restaurante como saudável. Faz-se necessária a orientação e conscientização dos responsáveis quanto às escolhas alimentares saudáveis, para que as crianças tenham exemplos e adquiram hábitos saudáveis na alimentação fora de casa desde a infância.

 

ABSTRACT

Case study: composition of the dishes and the perception of responsible about feeding children in a buffet-by-weight restaurant

Obesity has become a public health problem, being a health threat in all age groups, including children. According with data from the Household Budget Survey in 2010, one in three children with 5 to 9 years old were overweight and 31% of families performed meals away from home, which is a relevant factor with regard to obesity, because in establishments that provide meals not always have or are chosen healthy preparations. The aim of this case study was to evaluate the composition of the dishes and the perception of responsible about feeding of children in a buffet-by-weight restaurant, as well as sociodemographic characteristics and nutritional status of children and responsible. Data were obtained through photographic children´s plate and their parents, while weighing in the balance, and subsequent interview with responsible, using a questionnaire about feeding, anthropometric and socio demographic date. The dishes were classified according with composition ("with rice", "with beans", "with rice and beans", "with meat", "with salad", "with pastries and fried" and "with rice, beans, meat and salad"). The study included 30 responsible and 15 children, where 80% of children's dishes and 90% of the dishes of those responsible were classified "with pastries and fried" and 47% considered the children´s meals in the restaurant as healthy. It´s necessary guidance and awareness of responsible regarding healthy food choices in restaurants, for that the children can have examples healthy habits on feeding away from home since childhood.

Palavras-chave


Escolhas alimentares; Obesidade; Alimentação fora do lar

Texto completo:

PDF

Referências


-American Academy of Pediatrics. Obesity in Children. Pediatric Nutrition Handbook. Illinois: AAP. p.423-458. 1998.

-Bertuol, C. D.; Navarro, A. C. Consumo alimentar e prevalência de sobrepeso/obesidade em pré-escolares de uma escola infantil pública. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. Vol. 9. Núm. 52. p.127-134. 2015. Disponível em:

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Guia alimentar para a população brasileira - Promovendo alimentação saudável. 2ª edição. Brasília. 2014.

-Birch, L. L. Development of food preferences. Annu Ver Nutr. Vol. 19. Núm. 1. p.41-62. 1999.

-Carrazzoni, D. S.; Pretto, A. D. B.; Albernaz, E. P.; Pastore, C. A. Prevalência de fatores na primeira infância relacionados à gênese da obesidade em crianças atendidas em um ambulatório de Nutrição. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. Vol. 9. Núm. 50. p.74-81. 2015. Disponível em:

-Farias Junior, J. C. Validade das medidas auto-referidas de peso e estatura para o diagnóstico do estado nutricional de adolescentes. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant. Vol. 7. Núm. 2. p.167-174. 2007.

-Fiates, G. M. R.; Amboni, R. D. M. C.; Teixeira, E. Comportamento consumidor, hábitos alimentares e consumo de televisão por escolares de Florianópolis. Rev. Nutr. Vol. 21. Núm. 1. p.105-114. 2008.

-Hammer, L. D. Obesidade. In: Green, M.; Haggerty, R. J.; editors. Pediatria Ambulatorial. Porto Alegre. Artes Médicas. p.440-445. 1992.

-IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de orçamentos familiares-POF, 2008-2009: Despesas, rendimentos e condições de vida. 2010. Disponível em:

php?id_noticia=1648&id_pagina=1>

-Jomori, M. M. Escolha alimentar do comensal de um restaurante por peso. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis-SC. 2006.

-Leal, D. Crescimento da alimentação fora do domicílio. Segurança Alimentar e Nutricional. Vol. 17. Núm. 1. p.123-132. 2010.

-Matos, S.; Barreto, M. L.; Rodrigues, L. C.; Oliveira, V. A.; Oliveira, L. P. M.; D’Innocenzo, S.; Teles, C. A. S.; Pereira, S. R. S.; Prado, M. S.; Assis, A. M. O. Padrões alimentares de crianças menores de cinco anos de idade residentes na capital e em municípios da Bahia, Brasil, 1996 e 1999/2000. Cad. Saúde Pública. Vol. 30. Núm. 1. p.44-54. 2014.

-Mello, E. D.; Luft, V. C.; Meyer, F. Obesidade Infantil: Como podemos ser eficazes? Jornal de Pediatria. Vol. 80. Núm. 3. 2004.

-Momm, N.; Hofelmann, D. Avaliação da qualidade da dieta de escolares por seus pais e/ou responsáveis. Demetra: Alimentação, Nutrição e Saúde. Vol. 8. Núm. 3. p.361-377. 2013.

-Monteiro, C. A.; Conde, L. Evolução da Obesidade nos anos 90: trajetória da enfermidade segundo estratos sociais no nordeste e sudeste do Brasil. In: Monteiro C.A., organizador. Velhos e novos males da saúde no Brasil: a evolução do país e suas doenças. São Paulo: Editora Hucitec/Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde, Universidade de São Paulo, São Paulo. p.420-443. 2000.

-Oliveira, A. S.; Silva, V. A. P.; Alves, J. J.; Fagundes, D.; Pires, I. S. C.; Miranda, L. S. Hábitos alimentares de pré-escolares: A influência das mães e da amamentação. Alim. Nutr. Vol. 23. Núm. 3. p.377-386. 2012.

-Oliveira, C. L.; Fisberg, M. Obesidade na Infância e Adolescência: Uma Verdadeira Epidemia. Arq. Bras. Endocrinol. Metab. Vol. 47. Núm. 2. 2003.

-Oliveira, S. A.; Ellison, R. C.; Moore, L. L.; Gillman, M. W.; Garrahie, E. J.; Singer, M. R. Parent-child relationships in nutrient intake: the Framingham Children’s Study. Am J Clin Nutr. Vol. 56. Núm. 3. p.593-538. 1992.

-Peixoto, M. R. G.; Benício, M. H. D.; Jardim, P. C. B. V. Validity of self-reported weight and height: the Goiânia study, Brazil. Rev. Saúde Pública. Vol. 40. Núm. 6. 2006.

-Proença, R. P. Alimentação e Globalização: Algumas Reflexões. Ciência e Cultura. Vol. 62. Núm. 4. p.43-47. 2010.

-Puhl, R. M.; Schwartz, M. B. If you are good you can have a cookie: how memories of childhood food rules link to adult eating behaviors. Eating Behav. Vol. 4. p.283-293. 2003.

-Ramos, M.; Stein, L. M. Desenvolvimento do comportamento alimentar infantil. Artigo de revisão. Jornal de Pediatria. Vol. 76. Núm. 3. 2000.

-Rodrigues, A. G. M.; Proença, R. P. C.; Calvo, M. C. M.; Fiates, G. M. F. Perfil da escolha alimentar de arroz e feijão na alimentação fora de casa em restaurante de bufê por peso. Ciênc Saúde Coletiva. Vol. 18. Núm. 2. p.335-346. 2013.

-Rodrigues, A. G. M. Estado nutricional, indicadores sociodemográficos, comportamentais e de escolha alimentar de comensais em restaurante de bufê por peso. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianopolis-SC. 2011.

-Sichieri, R. Dietary patterns and their associations with obesity In the Brazilian city of Rio de Janeiro. Obes Res. Vol. 10. Núm. 1. p.42-49. 2002.

-Silva, S. A.; Santos, P. N. S.; Moura, E. C. Associação entre excesso de peso e consumo de feijão em adultos. Rev Nutr. Vol. 23. Num. 2. p.239-250. 2010.

-Styne, D. M. Childhood and adolescent obity. Prevalence and significance. Pediat Clin North Amer. Vol. 48. p.823-853. 2001.

-Vasques, C. T.; Félix, R. C.; Vieira, H. J. S.; Gomes, C. F. A amamentação pode prevenir a obesidade infantil? Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar. Maringá. Paraná. Brasil. 2009.

-Vieira, V. A. Relação do estado nutricional e satisfação com a imagem corporal entre escolares da rede pública de ensino de São Paulo. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. Vol. 5. Núm. 26. p.90-99. 2011. Disponível em:

-WHO. World Health Organization. Diet, nutrition and the prevention of chronic diseases. World Health Organ Tech Rep Ser. Vol. 916. p.1-149. 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui