Avaliação da composição corporal e dos componentes da dieta mediterrânea em universitários brasileiros e europeus

Camilla Dare, Renata Furlan Viebig, Naiana Silva Pereira Batista

Resumo


O presente estudo teve como objetivo avaliar a composição corporal e a presença de componentes da dieta mediterrânea em universitários de Instituições de Ensino Superior, sendo uma em São Paulo (Brasil) e a outra em Lisboa (Portugal). Metodologia: Foram avaliados 73 estudantes, brasileiros e europeus, homens e mulheres. Foram aferidos: peso, estatura e sete dobras cutâneas para estimativa do percentual de gordura corporal. O Índice de Massa Corporal (IMC) foi calculado e avaliado segundo a Organização Mundial da Saúde (WHO, 1998). Também foi aplicada a bioimpedância tetrapolar. Resultado: A idade média dos universitários foi 20,68 anos (±2,40), sendo 38,36% do gênero masculino. Cerca de um terço (31,30%) dos estudantes não praticavam atividade física e 12,3% relataram serem tabagistas. A média de IMC dos europeus foi de 22,48kg/m2 contra 23,26kg/m2 dos brasileiros. Já a porcentagem de gordura média dos europeus foi de 15,11% contra 22,43% dos brasileiros. O consumo de frutas e oleaginosas em ambos universitários foi inferior às recomendações da Dieta Mediterrânea, sendo que os Brasileiros consumiam menos frutas do que os Europeus. Todos os universitários Brasileiros relataram consumir carne vermelha acima do recomendado e 88% deles não consumiam peixes ou frutos do mar. Conclusão: Tanto os parâmetros antropométricos e de composição corporal, quanto a frequência de consumo de alimentos da Dieta Mediterrânea mostraram-se melhor avaliados em universitários Europeus, do que em Brasileiros.

 

ABSTRACT 

Body composition and components of Mediterranean Diet in Brazilian and European University Students

The present study aimed to evaluate the body composition and the presence of components of the Mediterranean diet in university students of two universities, one in São Paulo (Brazil) and one in Lisbon (Portugal). Method: It was evaluated 73 students from Brazil and European countries, including men and women. The project measures: weight, height, and seven skin folds to appraise the percentage of body fat. The Body Mass Index (BMI) was calculated and evaluated according to the World Health Organization (WHO, 1998). The bio impedance was used to check the percentage of body fat. Results: The average age of the students was 20.68 years (± 2.40) and 38.36% were male. Approximately one-third (31.30%) of the students did not practice any physical activity and 12.3% had smoking habits. The average of European students BMI were 22,48 kg/m2 against 23,26 kg/m2 of Brazilians students BMI. The average percentage of fat of Europeans was 15.11% against 22.43% of Brazilians. The consumption of fruits and nuts in both was lower than the Mediterranean Diet recommendations, and Brazilians consumed less fruit than Europeans. All the Brazilian students reported consuming red meat above recommendation and 88% of them did not consume any fish or seafood. Conclusion: Considering the anthropometry and body composition parameters, the frequency of the food consumption of the Mediterranean diet was better evaluated by the European university students than the Brazilians students.


Palavras-chave


Dieta mediterrânea; Antropometria; Estudantes

Texto completo:

PDF

Referências


-Azevedo, E.C.C.; Dias, F.M.R.S.; Diniz, A.S.; Cabral, P.C. Consumo alimentar de risco e proteção para as doenças crônicas não transmissíveis e sua associação com a gordura corporal: um estudo com funcionários da área de saúde de uma universidade pública de Recife-PE, Brasil. Ciênc. Saúde Coletiva. Vol. 19. Núm. 5. p. 1613-1622. 2014.

-Barrios-Vicedo, R.; Navarrete-Muñoz, E.M.; Hera, M.G.; González-Palacios, S.; Valera-Gran, D.; Checa-Sevilla, J.F.; Gimenez-Monzo, D.; Vioque, J. Una menor adherencia a la dieta mediterrânea se associa a una peor salud auto-percibida en población universitária. Nutr. Hosp. Vol. 31. Núm. 2. p. 785-795. 2015.

-Babio, N.; Toledo, E.; Estruch, R.; Ros, E.; Martínez-González, M.A.; Castañer, O.; Bulló, M.; Corella, D.; Arós, F.; Gómez-Gracia, E.; Ruiz-Gutiérrez, V.; Fiol, M.; Lapetra, J.; Lamuela-Raventos, R.M.; Serra-Majem, L.; Pintó, X.; Basora, J.; Sorlí, J.V.; Salas-Salvadó, J. Mediterranean diets and metabolic syndrome status in the Predimed randomized trial. Can. Med. Assoc. J. Vol. 186. Núm. 17. p. e649-657. 2014.

-Bergier, J.; Kapka-Skrzypczak, L.; Biliński, P.; Paprzycki, P.; Wojtyła, A. Physical activity of Polish adolescents and young adults according to IPAQ: a population based study. Ann Agric Environ Med. Vol. 19. Núm. 1. p. 109-115. 2012.

-Burriel, F.C.; Urrea, R.S.; García, C.V.; Tobarra, M.M.; Meseguer, M.J.G. Hábitos alimentarios y evaluación nutricional en una población universitária. Nutr. Hosp. Vol. 28. Núm. 2. p. 438-446. 2013.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Instituto Nacional do Câncer. Coordenação de Prevenção e Vigilância. A situação do câncer no Brasil. Rio de Janeiro. INCA. 2006.

-Cervi, A.; Franceschini, S.C.C.; Priore, S.E. Análise crítica do uso do índice de massa corporal para idosos. Rev. Nutr. Campinas. Vol. 18. Núm. 6. p. 765-775. 2005.

-Chierico, F.D.; Vernocchi, P.; Dallapiccola, B.; Putignani, L. Mediterranean Diet and Health: Food Effects on Gut Microbiota and Disease Control. International Journal of Molecular Sciences. 2014.

-Dura Trave, T.; Castroviejo Gandarias, A. Adherencia a la dieta mediterránea en la población universitaria. Nutr. Hosp. Vol. 26. Núm. 3. p. 602-608. 2011.

-Durnin, J.V.; Womersley, J. Body fat assessed from total body density and its estimation from skinfold thickness: measurements on 481 men and women aged from 16 to 72 years. British Journal of Nutrition. p. 77-97. 1974.

-Fundación Dieta Mediterránea. Disponível em: . Acesso: 05/2015.

-Guedes, D.P. Procedimentos clínicos utilizados para análise da composição corporal. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 15. Núm. 1. Núm. 113-129. 2013.

-Jackson, A.S.; Pollock, M.L. Generalized equations for predicting body density of men. British Journal of Nutrition. Vol. 40. p. 497-504. 1978.

-Ledo-Varela, M.T.; Luis Román, D.A.; González-Sagrado, M.G.; Jauregui, O.I.; Vicente, R.C.; Lafuente, R.A. Características nutricionales y estilo de vida en universitários. Nutr. Hosp. Vol. 26. Núm. 4. p. 814-818. 2011.

-Lohman, T.G. Advances in body composition assessment. Champaign. Human Kinetics. 1992.

-Malta, D.C.; Bernal, R.T.I.; Oliveira, M. Tendências dos fatores de risco de doenças crônicas não transmissíveis, segundo a posse de planos de saúde, Brasil, 2008 a 2013. Ciênc. Saúde Coletiva. Vol. 20. Núm. 4. p. 1005-1016. 2015.

-Malta, D.C.; Bernal, R.I.T.; Almeida, M.C.M.; Ishitani, L.H.; Girodo, A.M.; Paixão, L.M.M.M.; Oliveira, M.T.C.; Pimenta Junior, F.G.; Silva Júnior, J.B. Desigualdades intraurbanas na distribuição dos fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis, Belo Horizonte, 2010. Rev. bras. epidemiol. Vol. 7. Núm. 3. p. 629-641. 2014.

-Martí, A.Z.; Cascales, R.F.; Martínez, M.J.C.; Sánchez, J.A.H.; Pérez, A.L. Adherencia a la dieta mediterrânea y su relación cone l estado nutricional en personas mayores. Nutr. Hosp. Vol. 31. Núm. 4. p. 1667-1674. 2015.

-Martínez Roldán, C.; Veiga Herreros, P.; López De Andrés, A.; Cobo Sanz, J. M.; Carbajal Azcona, A. Evaluación del estado nutricional de un grupo de estudiantes universitarios mediante parámetros dietéticos y de composición corporal. Nutr. Hosp. Vol. 20. Núm. 3. p. 197-203. 2005.

-Nascente, F.M.; Jardim, T.V.; Peixoto, M.D.; Carneiro, C.S.; Mendonça, K.L.; Póvoa, T.I.; Sousa, A.L.; Barroso, W.K.; Jardim, P.C. Sedentary lifestyle and its associated factors among adolescents from public and private schools of a Brazilian state capital. BMC Public Health. Vol. 16. Núm. 1. p. 1177. 2016.

-Nacif, M.; Viebig, R.F. Avaliação antropométrica nos ciclos da vida: uma visão prática. 2ª edição. Metha. 169p. 2011.

-Nunes, R.R.; Clemente, E.L.S.; Pandini, J.A.; Cobas, R.A.; Dias, V.M.; Sperandel, S.; Gomes, M.B. Confiabilidade da classificação do estado nutricional obtida através do IMC e três diferentes métodos de percentual de gordura corporal em pacientes com diabetes melito tipo 1. Arq. Bras. Endocrinol. Metab. Vol. 53. Núm. 3. 2009.

-Olearo, B.; Del Castillo, M.S.; Boselli, P.M.; Micó, L. Assessment of body composition, through anthropometric and non-anthropometric methods, of University students from Valencia (Spain). Nutr. Hosp. Vol. 30. Núm. 4. p. 911-918. 2014.

-Pereira-Da-Silva, L.; Pinto, E. Low adherence to mediterranean diet in Portugal: Pregnant women nutrition in Portugal and its repercussions. Current mother-infant health in Portugal, Acta Med Port. Vol. 10. p. 658-666. 2016.

-Perez, P.M.P.; Castro, I.R.R.D.; Franco, A.D.S.; Bandoni, D.H.; Wolkoff, D.B. Práticas alimentares de estudantes cotistas e não cotistas de uma universidade pública brasileira. Ciênc. Saúde Coletiva. Vol. 21. Núm. 2. p. 531-542. 2014.

-Ramalho, A.A.; Dalamaria, T.; Souza, O.F.D. Consumo regular de frutas e hortaliças por estudantes universitários em Rio Branco, Acre, Brasil: prevalência e fatores associados. Cad. Saúde Pública. Vol. 28. Núm. 7. p. 1405-1413. 2012.

-Rezende, F.; Rosado, L.; Franceschinni, S.; Rosado, G.; Ribeiro, R.; Marins, J.C.B. Revisão crítica dos métodos disponíveis para avaliar a composição corporal em grandes estudos populacionais e clínicos. Archivos Latino Americanos de Nutricion. Vol. 57. Núm. 4. 2007.

-Rezende, F.A.C.; Rosado, L.E.F.P.L.; Franceschini, S.C.C.; Rosado, G.P.; Ribeiro, R.C.L. Aplicabilidade do índice de massa corporal na avaliação da gordura corporal. Rev. Bras. Med. Esporte. Vol. 16. Núm. 2. 2010.

-Rios, D.G.; Ramos, G.P.; Mendes, T.T.; De Barros, C.L.M. Comparação de diferentes métodos de estimativa do percentual de gordura em estudantes universitários. Revista Mineira de Ciências da Saúde. Vol. 2. p. 21-27. 2010.

-Santos, P.M.D. A qualidade da dieta mediterrânea numa população jovem do Sul de Portugal. TCC de licenciatura. Universidade do Porto. Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação. Porto. Portugal. 2003.

-Trichopoulou, A.; Martínez-González, M.A.; Tong, T.Y.; Forouhi, N.G.; Khandelwal, S.; Prabhakaran, D.; Mozaffarian, D.; De Lorgeril, M. Definitions and potential health benefits of the Mediterranean diet: views from experts around the world. BMC Medicine. Vol. 12. p. 112. 2014.

-Vitiello, V.; Germani, A.; Capuzzo Dolcetta, E.; Donini, L.M.; Del Balzo, V. The New Modern Mediterranean Diet Italian Pyramid. Ann Ig. Vol. 28. p. 179-186. 2016.

-Vuksan, V.; Rogovik, A.; Jenkins, A.; Peeva, V.; Beljan-Zdravkovic, U.; Stavro, M.; Fairgrieve, C.; Devanesen, S.; Hanna, A.; Watson, W. Cardiovascular risk factors, diet and lifestyle among European, South Asian and Chinese adolescents in Canada. Paed Child Healt-Can. Vol. 17. Núm. 1. p. 1-6. 2012.

-World Health Organization. Obesity. Preventing and managing the global epidemic: report of a WHO Consultation. Geneva, World Health Organization. Technical Report Series. 894. 1998.

-World Health Organization. Global Action Plan for the Prevention and Control of NCDs 2013-2020. Geneva. World Health Organization. 2013.

-Zaccagni, L; Barbieri, D.; Gualdi-Russo, E. Body composition and physical activity in Italian university students. Journal of Translational Medicine. Vol. 12. p. 120. 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui