A atuação do nutricionista dentro de programas de promoção de atividade física e saúde: uma revisão sistemática

Ana Lorena Lima Ferreira, Carla Renata dos Santos Marques, Leiliane de Carvalho Cordeiro, Naiza Nayla Bandeira de Sá, Andréa das Graças Ferreira Frazão

Resumo


Introdução e objetivo: A inatividade física e a alimentação pouco saudável são fatores de risco para as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT). Este estudo objetivou identificar artigos sobre os programas de promoção de atividade física e suas interfaces com a nutrição. Materiais e métodos: Tratou-se de uma revisão sistemática, com busca em bancos de dados eletrônicos (SCIELO; BIREME e LILACS) com combinações de descritores em português: Atividade Física e Nutrição; Atividade Física e Saúde Pública; Atividade Física e Políticas Públicas; Atividade Física e Programas. Foram selecionados artigos originais, que avaliaram programas de atividade física no Brasil, com a atuação do nutricionista, publicados de 2004 a 2014. Foram excluídos artigos de revisão, de periódicos não indexados ou que não referenciaram a atuação do nutricionista. Discussão e resultados: Foram incluídos 12 artigos, a maioria da região sudeste e com atuação do nutricionista predominantemente com atividades de orientação nutricional, ou aconselhamentos baseados no guia alimentar da população brasileira. Conclusão: As atuações com orientação em grupo, combinadas com direcionamentos individualizados, mostraram-se mais efetivas na redução dos fatores de risco para DCNT. Contudo, a presença limitada do nutricionista nos programas de atividade física, pode ser considerado um dado preocupante para da saúde pública.

 

ABSTRACT 

The nutritionists activities within the programs of promotion of physical activity and health: a systematic review

Introduction and aim: Physical inactivity is the primary risk factor for chronic diseases and health hazards, such as, combining this risk factor with others, as well as snuff using and not healthy feeding, are responsible for approximately 80,0% of not contagious chronic diseases (NCCD). This review aimed to identify articles that relate health promotion programs and it's interface with nutrition. Materials and methods: It was a systematic review, with electronic databases SCIELO, BIREME and LILACS combining theses descriptors in Portuguese: Physical activity and nutrition; physical activity and public health; physical activity and program. Were selected original articles, that evaluated Brazilian's physical activity programs, within nutritionist's role, published from 2004 to 2014. Were excluded review articles, from unindexed journals or that ones that didn't have referred nutritionist 's role. Were included, after complete readings of these studies and exclusion of repeated, 12 articles. Results: Most of the studies were did at southeast region and the most often nutritionist's role was about healthy feeding orientations, or advising based at Brazilian's population alimentary guide. Conclusion: Nutritionist's role at physical activities programs can be considered effective, because it resulted at lower risks of (NCCD). But combining interventions, showed being more effective to more reliable results.


Palavras-chave


Exercício Físico; Nutrição; Saúde Pública e Programas

Texto completo:

PDF

Referências


-Achutti, A.; Azambuja, M. I. R. Doenças crônicas não-transmissíveis no Brasil: repercussões do modelo de atenção à saúde sobre a seguridade social. Ciência & saúde coletiva. Vol. 9. Num. 7. 2004. p. 833-840.

-Barbosa, F. V. C.; Campos, W.; Lopes, A. S. Epidemiology of physical inactivity, sedentary behaviors, and unhealthy eating habits among brazilian adolescents: a systematic review. Ciência & saúde coletiva. Vol. 9. Num. 1. 2014. p. 173-194. Disponível em:

-Barros, C. R.; Cezaretto, A.; Salvador, E. P.; Santos, T. C. dos; Siqueira-Catania, A.; Ferreira, S. R. G. Implementação de programa estruturado de hábitos de vida saudáveis para redução de risco cardiometabólico. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabolismo. Vol. 57. Num. 1. 2013. p. 7-18. Disponível em:

-Bezerra, I. M. P.; Oliveira, A. K. S.; Silva, C. C.; Lima Neto, E. A.; Silva, A. T. M. C. Velhas e novas formas de intervenção em saúde: os modelos assistenciais em análise. Saúde em debate. Vol. 35. Num. 89. 2011. p. 197-206. Disponível em:

-BVS, Biblioteca Virtual em Saúde. Rede de Países. 2014. Disponível em: .

-BIREME/OPAS/OMS. LILACS: Uma História de Inovações. 2009. Disponível em: .

-Conforto, E. C.; Amaral, D. C.; Silva, S. L. da. Roteiro para revisão bibliográfica sistemática: aplicação no desenvolvimento de produtos e gerenciamento de projetos. 8º Congresso Brasileiro de Gestão de Desenvolvimento de Produto. Anais. 2011. Disponível em:

-Cordeiro, A. M.; Oliveira, G. M.; Rentería, J. M.; Guimarães, C. A. Revisão Sistemática: Uma Revisão Narrativa. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Vol. 34. Num. 6. 2007. p. 428-431. Disponível em:

-Costa, B. V. L; Mendonça, R. D.; Santos, L. C.; Peixoto, S. V.; Alves, M; Lopes, A. C. S. Academia da Cidade: um serviço de promoção da saúde na rede assistencial do Sistema Único de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 18. Num. 1. 2013. p. 95-102. Disponível em

-Costa Junior, G. R.; Tonello, L.; Neves, R. L.; Ribeiro, J. C.; Miranda, E. F. Qualidade de vida, estilo de vida e saúde: um artigo de revisão. Revista Amazônia. Vol. 1. Num. 1. 2013. p. 33-40.

-Farias, J. J. C.; Lopes, A. S.; Florindo, A. A.; Hallal, P. C. Validade e reprodutibilidade dos instrumentos de medida da atividade física do tipo self-report em adolescentes: uma revisão sistemática. Caderno de Saúde Pública. Vol. 28. Num. 9. 2010. p. 1669-1691.Disponível em:

-Ferreira, M.; Matsudo, S.; Matsudo, V.; Braggion, G. Efeitos de um programa de orientação de atividade física e nutricional sobre o nível de atividade física de mulheres fisicamente ativas de 50 a 72 anos de idade. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 11. Num. 3. 2005. p. 172-176. Disponível em:

-Frade, R. E. T. Análise Da Influência De Um Programa Nutricional E De Condicionamento Físico Em Variáveis Antropométricas Em Uma Academia De São Paulo. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva. Vol. 8. Num. 45. 2014. p. 156-163. Disponível em:

-Frias, A. C.; Antunes, J. L. F.; Narvai, P. C. Precisão e validade de levantamentos epidemiológicos em saúde bucal: cárie dentária na Cidade de São Paulo, 2002. Revista Brasileira de Epidemiologia. Vol. 7. Num. 2. p. 144-154. Disponível em:

-Goersch, C. M.; Lamboglia, F.; Franchi, K. M. B.; Batista, L. G.; Maia, D. S. S. Prática da Atividade Física como Facilitadora da Promoção de Saúde: Relato de Experiência Exitosa do Pró-Saúde e Pet-Saúde da UNIFOR. Revista Brasileira de Promoção de Saúde. Vol. 25. Num. 4. 2012. p. 521-526.

-Hallal, P. C.; Tenório, M. C. M.; Tassitano, R. M.; Reis, R. S.; Carvalho, Y. M.; Cruz, D. K. A.; Damascena, W.; Malta, D. C. Avaliação do programa de promoção da atividade física Academia da Cidade de Recife, Pernambuco, Brasil: percepções de usuários e não-usuários. Caderno de Saúde Pública. Vol. 26. Num. 1. p. 70-78. Disponível em:

-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009: análise do consumo alimentar pessoal no Brasil. IBGE. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Rio de Janeiro. 2011. 150 p

-Kohl, H. W.; Craig, C. L.; Lambert, E. V.; Inoue, S.; Alkandari, J. R.; Leetongin, G.; Kahlmeier, S. The pandemic of physical inactivity: global action for public health. The Lancet. Vol. 380. Num. 9838. 2012. p. 294-305.

-Krause, M. P.; Buzzachera, C. F.; Hallage, T.; Pulner, S. B.; Silva, S. G. Influência do nível de atividade física sobre a aptidão cardiorrespiratória em mulheres idosas. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 13. Num. 2. 2007. p. 97-102. Disponivel em:

-Malta, D. C.; Iser, B. P. M.; Claro, R. M. Prevalência de fatores de risco e proteção para doenças crônicas não transmissíveis em adultos: estudo transversal, Brasil. Epidemiologia e Serviços de Saúde. Vol. 22. Num. 3. 2011. p. 423-434.

-Mello, E. D.; Luft, V. C. M. F. Atendimento ambulatorial individualizado contra o Programa de Educação em grupo: Qual oferece Mais Mudança de Hábitos Alimentares e de Atividade Física em Crianças obesas? Jornal de Pediatria. Vol. 80. Num. 6. p. 468-474. Disponível a partir de:

-Mendes, E. V. Capítulo 1 - As situações das condições de saúde e os sistemas de atenção à saúde. IN: Mendes, E. V. As redes de atenção à saúde. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde. 2011. p.25-59. Disponível em: .

-Ministério da Saúde. DATASUS. Indicadores de Dados Básico. Brasil. Rede Interagencial de Informação para Saúde – RIPSA. Brasília. 2012. Disponível em

-Ministério da Saúde. Portaria nº 710, de 10 de junho de 1999. Aprova a Política Nacional de Alimentação e Nutrição-PNAN e dá outras providências. Diário Oficial da União 11 junho de 1999.

-Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção de Saúde. Vigitel Brasil 2013: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília. Ministério da Saúde. 2014. Disponível em .

-Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Secretaria de Orçamento Federal. Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Indicadores - Orientações Básicas Aplicadas à Gestão Pública/Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Coordenação de Documentação e Informação – Brasília: Ministério do Planejamento, 2012.

-Nehme, N. S. Implantação do Sistema de Gestão da Qualidade em um Laboratório de Pesquisa do Instituto Oswaldo Cruz (IOC): desafios e soluções da realidade do Programa de Acreditação de Laboratórios Clínicos (PALC). Dissertação de Mestrado. Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). Rio de Janeiro. 2008.

-Novelli, V. F. Observatório de Saúde: revisão sistemática. Dissertação de Mestrado. Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. São Paulo. 2006.

-Oliveira, P.; Lacerda, J. Habilidades e competências desejáveis aos profissionais de inteligência competitiva. Ciência da Informação. Vol. 36. Num. 2. 2007. p. 46-53. Disponível em:

-Packer, A. L. SciELO - 15 Anos de Acesso Aberto: um estudo analítico sobre Acesso Aberto e comunicação científica. Unesco. 2014. p. 188. Disponível em:

-Poeta, L. S.; Duarte, M. F. S.; Caramelli, B.; Jorge, M.; Giuliano, I. C. B. Efeitos do exercício físico e da orientação nutricional no perfil de risco cardiovascular de crianças obesas. Revista da Associação Medica Brasileira. Vol. 59. Num. 1. 2013a. p. 56-63. Disponível em:

-Poeta, L. S.; Duarte, M. F. S.; Giuliano, I. C. B.; Mota, J. Intervenção interdisciplinar em Crianças obesas e o Impacto na Saúde e Qualidade de vida. Jornal de Pediatria. Vol. 89. Num. 5. 2013b. p. 499-504. Disponível em:

-Ribeiro, A. G.; Cotta, R. M. M.; Silva, L. S.; Ribeiro, S. M. R.; Dias, C. M. G. C.; Mitre S. M.; Nogueira-Martins, M. C. F. Hipertensão arterial e orientação domiciliar: o papel estratégico da saúde da família. Revista de Nutrição. Vol. 25. Num. 2. 2012. p. 271-282. Disponível em:

-Ripsa, Rede Interagencial de Informação para a Saúde. Indicadores Básicos para a Saúde no Brasil: conceitos e aplicações / Rede Interagencial de Informação para a Saúde, Ripsa. 2. ed. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde. 2008. p. 350. Disponível em:

-Rocha, C. L.; Garcia, L. Avaliação nutricional, alimentar e dos hábitos de vida de trabalhadores de um hotel do litoral baiano. Revista da Unifebe. Vol. 1. Num. 10. 2012. p. 59-67.

-Rombaldi, A. J.; Neutzling, M. B.; Silva, M. C. D.; Azevedo, M. R.; Hallal, P. C. Factors associatedwith regular non-diet soft drink intake among adults in Pelotas, Southern Brazil. Revista de Saúde Pública. Vol. 45. Num. 2. 2011. p. 382-390. Disponível em:

-Romeiro, C.; Nogueira, J. A. D.; Tinoco, S. G.; Carvalho, K. M. B. O modelo lógico como ferramenta de planejamento, implantação e avaliação do programa de promoção da saúde na estratégia de saúde da família do Distrito Federal. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 18. Num. 1. 2013. p. 132-142.

-Scarpa, S. C.; Kurashima, C. H.; Takito, M. Y. Impacto da orientação para a prática regular de atividade física dois anos após o parto. Revista Brasileira de. Saúde Materno Infantil. Vol. 12. Num. 2. 2012. p. 155-164. Disponível em:

-Scherr, C.; Cunha, A. B.; Magalhães, C. K.; Abitibol, R. A.; Barros, M.; Cordovil, I. Intervenção nos hábitos de vida em instituição pública. Arquivos Brasileiros de. Cardiologia. Vol. 94. Num. 6. 2010. p. 1-08. Disponível em: .

-Schmidt, M. I.; Duncan, B. B.;Azevedo e Silva, G.; Menezes, A. M.; Monteiro, C. A.; Barreto, S. M.; Chor, D.; Menezes, P. R. Chronic noncommunicable diseases in Brazil: burden and current challenges. The Lancet. Vol. 377. Num. 9781. 2011. p. 1949-1961. Disponivel em:

-Silva, M. P.; Santos, J. W. P.; Souza, A. N.; Tempesta, S. D.; Avelino, R. A. Programa multidisciplinar para promoção da saúde envolvendo atividade física supervisionada: ações do PAFIPNES na atenção à saúde de mulheres em uma Unidade Básica de Saúde de São José do Rio Pardo-SP. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 6. Num. 1. 2011. p. 362-366.

-Toledo, M. T.; Abreu, M. N.; Lopes, A. C. S. Adesão a modos saudáveis de vida mediante aconselhamento por profissionais de saúde. Revista de Saúde Pública. Vol. 47. Num. 3. 2013. p. 540-548. Disponível em: .

-Vasconcelos, F. A. G. de. Tendências Históricas dos Estudos dietéticos no Brasil. História, Ciências, Saúde-Manguinhos. Vol. 14. Num. 1. 2007. p. 197-219. Disponível a partir de:

-Venturim, L. M. V. P.; Cade, N. V. Efeitos do programa "P.E.S.O." (Promoção de estilo de vida saudável na obesidade) sobre variáveis antropométricas, hemodinâmicas e bioquímicas. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 12. Num. 1. 2007. p. 19-26. Disponível em:

-World Health Organization. Global Recommendations on Physical Activity for Health. Geneva. World Health Organization. 2010. p. 60. Disponível em

-World Health Organization. Global status report on noncommunicable diseases 2010 [Internet]. Geneva. World Health Organization. 2011 p. 176.

-World Health Organization. Use and interpretation of anthropometric indicators of nutritional status. Bull World Health Organ. Geneva. World Health Organization. Vol. 64. Num. 9. 1986. p. 929-941. Disponível em:


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui