Mindless eating - influências nas quantidades de consumo alimentar: revisão integrativa da literatura

Cristiani de Lima, Simone Bernardes

Resumo


Introdução: A obesidade e o sobrepeso vêm aumentando consideravelmente e a alta disponibilidade de alimentos industrializados é um dos grandes responsáveis. Pensando na compreensão das influências no comportamento alimentar o termo Mindless eating ou comer sem pensar, representa as decisões em relação a alimentação que acontece frente a distração que o ambiente propicia e envolve a presença de gatilhos ambientais, como: exposição, distração, tamanho dos utensílios e porções e variedade. Objetivos: analisar as evidências científicas disponíveis na literatura que abordem qual o impacto do comer sem pensar no consumo alimentar do adulto. Métodos: trata- se de uma Revisão Integrativa da Literatura, ao qual foi realizada uma busca nas bases de dados Lilacs e PubMed. Resultados: foram encontrados 145 artigos científicos somente na literatura em inglês. Após aplicados os critérios de inclusão e exclusão, um total de quinze estudos foram selecionados para esta revisão. Conclusão: evidenciou-se uma forte relação do comer sem pensar e o aumento considerável do consumo, podendo dobrar a quantidade ingerida em estado distraído, assim como foi possível verificar o quanto estamos sujeitos a seguir de forma inconsciente os comportamentos alimentares de outras pessoas, ou seja, o impacto do comer sem pensar vai muito além do que uma distração, são atos do dia a dia que passam despercebidos.

 

ABSTRACT 

Mindless Eating - Influences on Food Consumption Quantities: Literature Review

Introduction: Obesity and overweight have increased considerably and the high availability of processed foods is one of the main responsible. Thinking about the understanding of influences on eating behavior, the term Mindless eating or eating without thinking, represents the decisions regarding food that happens due to distraction the environment provides and involves the presence of environmental triggers such as: exposure, distraction, size of utensils and portions and variety. Objectives: To search for and analyze the scientific evidence available in the literature that addresses the impact of eating without thinking about adult food consumption. Methods: This is an integrative literature review, which was fetched in the Lilacs and PubMed databases. Results: 145 scientific articles were found only in the english literature. After applying the inclusion and exclusion criteria, a total of fifteen studies were selected for this review. Conclusion: there was a strong relationship between eating without thinking and a considerable increase in consumption, and doubling the amount consumed in an absent-minded state, just as it was possible to verify how unconsciously we are following the eating behaviors of other people, that is, the impact of eating without thinking goes beyond distraction, are acts of day to day that go unnoticed.


Palavras-chave


Ingestão de alimentos; Consumo de alimentos; Tamanho da porção

Texto completo:

PDF

Referências


-Bolhuis, D. P.; Lakemond, C. M. M.; Wijk, R. A.; Luning, P. A.; Graaf, C. Consumption with Large Sip Sizes Increases Food Intake and Leads to Underestimation of the Amount Consumed. Plos One. January. Vol. 8. 2013.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Obesidade. Brasília: Ministério da Saúde. 2006.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília: Ministério da Saúde. 2011.

-Carneiro, H. S. Comida e sociedade: uma história da alimentação. 7ª edição. São Paulo. Elsevier. 2003.

-Gonçalves, E. C. B. A. Análise De Alimentos: Uma Visão Química Da Nutrição. 3ª edição. São Paulo. Varela. 2012.

-Just, D. R.; Wansink, B. One man’s tall is another man’s small: how the framing of portion size influences food choice. Health Economics. Vol. 23. p. 776-791. 2014.

-Keenan, G. S.; Brunstrom, J. M.; Ferriday, D. Effects of meal variety on expected satiation: Evidence for a ‘perceived volume’ heuristic. Appetite. Vol. 89. p. 10-15. 2015.

-Marchiori D.; Papies E. K. A brief mindfulness intervention reduces unhealthy eating when hungry, but not the portion size effect. Appetite. Vol. 75. p. 40-45. 2014.

-Marchiori, D.; Corneille O. e Klein O. Container size influences snack food intake independently of portion size. Appetite. Vol. 58. p. 814-817. 2012.

-Nederkoorn, C. Effects of Sales Promotions, Weight Status, and Impulsivity on Purchases in a Supermarket. Obesity. Vol. 22. Num. 5. 2014.

-Ogden, J.; Coop, N.; Crump, R.; Field, L.; Hughes S.; Woodger N. Distraction, the desire to eat and food intake. Towards an expanded model of mindless eating. Appetite. Vol. 62. p. 119-126. 2013.

-Oldham-Cooper, R. E.; Hardman, C. A.; Nicoll, C. E.; Rogers, P. J.; Brunstrom, J. M. Playing a computer game during lunch affects fullness, memory for lunch, and later snack intake. The American Journal of Clinical Nutrition. Vol. 93. p. 308-313. 2011.

-Penaforte, F. R O.; Japur, C. C.; Garcia, R. W. D.; Hernandez J. C.; Linares P.; e Chiarello P. G. Plate size does not affect perception of food portion size. Journal of Human Nutrition and Dietetics. 27. p. 214-219. 2014.

-POF (Pesquisas de orçamentos familiares) 2008 – 2009. Antropometria e estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos no Brasil. IBGE. Ministério do planejamento orçamento e gestão. 2010.

-Prinsen, S.; Ridder D. T. D.; Vet, E. Eating by example. Effects of environmental cues on dietary decisions. Appetite. Vol. 70. p. 1- 5. 2013.

-Robinson, E.; Raa, W.; Hardman, C. A. Portion size and intended consumption. Evidence for a pre-consumption portion size effect in males? Appetite. Vol. 91. p. 83-89. 2015.

-Robinson, E.; Sheen, F.; Harrold, J.; Boyland, E.; Halford, J. C. G.; Masic U. Dishware size and snack food intake in a between-subjects laboratory experimente. Public Health Nutrition. Vol. 19. Núm. 4. p. 633-637. 2015.

-Schiõth, H. B.; Ferriday, D.; Davies, S. R.; Benedict, C.; Elmstahl, H.; Brunstrom, J. M. e Hogenkamp, P. S. Are You Sure? Confidence about the Satiating Capacity of a Food Affects Subsequent Food Intake. Nutrients. Vol 7. p. 5088-5097. 2015.

-Soares, A. L. G. Disponibilidade domiciliar de alimentos em Pelotas-RS: uma abordagem do ambiente obesogênico. Universidade Federal de Pelotas. Departamento de Medicina Social. Dissertação de Mestrado. Pelotas. 2013.

-Souza, M. T.; Silva, M. D.; Carvalho, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein. São Paulo. Vol. 8. Num. 1. 2010.

-Spanos, S.; Kenda, A. S.; Vartanian, L. R. Can serving-size labels reduce the portion-size effect? A pilot study. Eating Behaviors. Vol. 16. p. 42-42. 2015.

-VIGITEL. Vigilância de fatores de risco para doenças crônicas por inquérito telefônico. Ministério da saúde. Brasília. 2017.

-Wansink B.; Ittersum K. V. Portion Size Me: Plate-Size Induced Consumption Norms and Win-Win Solutions for Reducing Food Intake and Waste. Journal of Experimental Psychology: Applied. Vol. 19. Num. 4. p. 320-332. 2013.

-Wansink, B. Environmental factors that increase the food intake and consumption volume of unknowing consumers. Annual Review of Nutrition. Vol. 24. p. 455-479. 2004.

-Wansink, B. Mindless Eating: Why We Eat More Than We Think. New York: Bantam Books. 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui