Associação entre omissão do desjejum e o excesso de peso em funcionários de uma empresa de tecnologia em Joinville

Luiza Kuhnen Teixeira, Luciana Regina Narloch Rizzo Hahn

Resumo


O excesso de peso é uma epidemia mundial e representa fator de risco para outras doenças crônicas não transmissíveis. Determinadas práticas alimentares contemporâneas podem provocar o desencadeamento do excesso de peso. Evidências científicas têm relacionado a omissão do desjejum ao maior risco de desenvolvimento de excesso de peso. O presente estudo teve por objetivo investigar a associação da não realização do desjejum com o excesso de peso, e com o risco de complicações metabólicas em 87 indivíduos adultos funcionários de uma empresa de tecnologia da cidade de Joinville. Foram analisados o Índice de Massa Corporal (IMC), e a circunferência da cintura (CC), e aplicado um questionário estruturado para investigar a frequência da realização do desjejum, bem como, nos casos de omissão, os motivos de tal conduta. Os dados foram expressos em média e desvio padrão (DP). Para a análise estatística foi utilizado o teste t e qui-quadrado, considerando p<0,05. Os resultados mostraram médias de IMC e CC significativamente superiores no grupo de omissores em relação às médias observadas no grupo de não omissores (p=0,040 e p=0,022 respectivamente). O teste qui-quadrado encontrou também relação significativa entre a omissão do desjejum e o aumento da CC (p=0,002), porém não revelou relação entre excesso de peso e omissão de café da manhã. Os resultados sugerem que a não realização do desjejum pode influenciar negativamente no peso do indivíduo, o que representa maior risco de desenvolvimento de doenças crônicas, e promove o aumento da CC, elevando os riscos cardiovasculares e metabólicos.

 

ABSTRACT 

Association between breakfast skipping and nutritional status in employees of a technology company in Joinville

Overweight is a global epidemic which is becoming the major public health problem as it represents a risk factor for other chronic non-communicable diseases. Certain contemporary dietary practices can promote the weight gain. Scientific evidence has related the omission of breakfast to the greater risk of developing overweight. The present study is aimed at investigating the association of having or not breakfast with overweight in 87 adult individuals in a technology company in the city of Joinville. The Body Mass Index (BMI) and the Waist Circumference (WC) were analyzed and a structured questionnaire was used to investigate the frequency of breakfast consumption and the motivations for omission cases. The collected data were expressed in the form of average and standard deviation (SD). For statistical analysis t-test and chi-square test were applied considering the level of significance of p<0.05. The results have shown significantly higher averages for BMI and WC in the group of breakfast skippers when compared to the non-skippers group (p=0,040 e p=0,022 respectively). The chi-square test also indicated a strong correlation between breakfast omission and increased WC (p<0.002), but it has not revealed a correlation for overweight and breakfast skipping. The results suggest that not having breakfast regularly could negatively influence the individual’s weight, which represents a higher risk of developing chronic non-communicable diseases and, more importantly, promote the increase of the waist circumference (WC), increasing the cardiovascular and metabolic risks.


Palavras-chave


Sobrepeso; Desjejum; Estado nutricional

Texto completo:

PDF

Referências


-Ackuaku-Dogbe, E.M.; Abaidoo, B. Breakfast eating habits among medical students. Ghana Medical Journal. Vol. 48. Num. 2. 2014. p. 66-70.

-Affenito, S.G. Breakfast: a missed opportunity. Journal of Americam Diet Associatin. Vol. 107. 2007. p. 562-569.

-Alexander, K. E. Association of breakfast skipping whit visceral fat and insulin índices in overweight latino youth. Obesity Journal. Vol.17. Num. 8. 2009. p. 1528-1533.

-Alves, H.J.; Boog, M.C.F. Comportamento alimentarem moradia estudantil: um espaço para promoção da saúde. Revista de Saúde Pública. Vol. 41. Num. 2. 2007. p. 197-204.

-Associaçao Médica Brasileira-AMB. Declaração de Helsinki da Associacão Médica Mundial (WMA) (versão 2013), 2016. Disponível em: Acesso em: 11/05/2016

-Batista, J.G.C.; e colaboradores. Nutritional Status Associated to Skipping Breakfast in Brazilian Health Service Patients. Annais of nutrition and metabolism. Vol. 69. Num.1, 2016. p. 31-40.

-Behrens. B. Is breakfast or breakfast skipping associated with adiposity in adults? Methodological considerations. TCC. CFS Honors Program Undergraduate Theses. Purdue University. 2009.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em saúde. Vigitel Brasil 2006. Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico 2006 - % de excesso de peso segundo Região (capitais). Brasília. 2006.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em saúde. Vigitel Brasil 2014. Saúde Suplementar: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília. 2015.

-Brasil. Ministério da Saúde. Resolução 466 de 12 de dezembro de 2012. Disponível em: Acesso em: 23/04/2017.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: obesidade. Brasília. 2014.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília. 2008.

-Brasil. Ministério da Saúde. Portal da Saúde. 2016. Disponível em: Acesso em: 13/05/2016.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília. 2008.

-David, J. C.; e colaboradores. Effect of breakfast omission on subjective appetite, metabolism, acylated ghrelin and GLP-17-36 during rest and exercise. Nutrition. Vol. 32. 2016. p. 179-185.

-Falk, L.W., Bisogni C.A., Sobal, J. Personal, social, and situational influences associated with dietary experiences of participants in an intensive heart program. Journal of Nutrition Education and Behavior. Vol. 32. Num. 5. 2000. p. 251-60.

-Goon, S.; Islam, S. Breakfast Skipping and Obesity Risk among Urban Adults in Bangladesh. International Journal of Public Health Science. Vol. 3. Num. 1. 2014. p. 15-22.

-Keski-Rahkonen, A.; e colaboradores. Breakfast skipping and health compromising behaviors in adolescents and adults. European Journal of Clinical Nutrition. Vol. 57. 2003. p. 842-853.

-Lambert, J.L.; e colaboradores. As principais evoluções dos comportamentos alimentares: o caso da França. Revista de Nutrição. Vol. 18. Num. 5. 2005. p. 577-591.

-Lysen, L. K.; Israel, D. A. Nutrição para saúde e ginástica. IN: Maham, L. K.; Escott-Stump, S. Krause: Alimentos, nutrição e dietoterapia. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

-Morales, F.; e colaboradores. Breakfast quality and its relationship to the prevalence of overweight and obesity in adolescents in Guadalajara (Spain). Nutriticion Hospitalaria. Vol.26. Num. 5. 2011. p. 952-958.

-Odegaard, A. O. Breakfast Frequency and Development of Metabolic Risk. Diabetes Care. Vol. 36. 2013. p. 3100-3106.

-Petroski, E.L. Antropometria: técnicas e padronizações. Porto Alegre. Palloti. 1999.

-Sun, J.; e colaboradores. Factors associated with skipping breakfast among Inner Mongolia Medical students in China. BMC Public Health. Vol. 13. 2013. p. 13-42.

-Timlin, M.; e colaboradores. Breakfast eating and weight change in a 5-year prospective analysis of adolescents: Project EAT (Eating Among Teens). Pediatrics. Vol. 121. Num. 3. 2008. p. 638-645.

-Timlin, M.; Pereira, M.A. Breakfast frequency and quality in the etiology of adult obesity and chronic diseases. Nutrition Review. Vol. 65. Num. 2007. p. 268-281.

-Trancoso, S.C.; Cavalli, S.B.; Proença, R. P. C. Café da manhã: caracterização, consumo e importância para a saúde. Revista de Nutrição. Vol. 23. Num. 5. 2010. p. 859-869.

-Uemura, M.; e colaboradores. Breakfast skipping is positively associated with incidence of type 2 diabetes mellitus: evidence from the aichi workers’ cohort study. Journal of Epidemiology. Vol. 25. Num. 5. 2015. p. 351-358.

-Watanabe, Y. Skipping Breakfast is Correlated with Obesity. Journal of Rural Medicine. Vol. 9. Num. 2. 2014. p. 51-58.

-WHO. World Health Organization. Global database on body mass index. 2016.

-WHO. World Health Organization. Obesity and overweight. 2015.

-WHO. World Health Organization. Obesity: Preventing and Managing the Global Epidemic. Report of a WHO Consultation on Obesity, Geneva: World Health Organization. 1999. p. 5-15.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui