Fatores de risco e proteção para as doenças crônicas não transmissíveis em adultos de Barra Velha-SC

Suélen Boreck, Luciane Peter Grillo, Leo Lynce Valle de Lacerda, Alan de Jesus Pires de Moraes

Resumo


Introdução: As Doenças Crônicas Não Transmissíveis configuram como importante problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Caracterizam-se por ter uma etiologia incerta, múltiplos fatores de risco, longos períodos de latência, curso prolongado, origem não infecciosa e por estarem associadas a deficiências e incapacidades funcionais. Objetivo: O objetivo do estudo foi descrever as prevalências dos fatores de risco e proteção para doenças crônicas em uma amostra de 425 adultos do município de Barra Velha-SC por meio de um questionário validado. Resultados: Quando comparado os sexos, os homens apresentaram prevalências superiores e significativas nas variáveis consumo de carne com gordura (49,5%) e consumo abusivo de álcool (34,6%) e as mulheres no consumo regular de doces (26,1%) e assistir televisão por mais de três horas (54,7%). Em relação aos fatores de risco os adultos de Barra Velha apresentaram valores superiores e significativos no consumo de carne com gordura (39,4%), leite integral (39,5%) e assistir TV por mais de três horas (47,5%) quando comparados com dados nacionais e estaduais. Conclusão: É necessário investir em ações municipais que reduzam os fatores de risco e aumentem os fatores de proteção para doenças crônicas, impactando positivamente na redução da morbimortalidade desta população.

 

ABSTRACT 

Risk and protection factors for chronic noncommunicable diseases in adults of Barra Velha-SC

Introduction: Chronic Noncommunicable Diseases constitute an important public health problem in Brazil and in the world. They are characterized by having an uncertain etiology, multiple risk factors, long periods of latency, prolonged course, non-infectious origin and because they are associated with functional deficiencies and disabilities. Aim: The aim of the study was to describe the prevalence of risk factors and protection for chronic diseases in a sample of 425 adults in the municipality of Barra Velha, Brazil by means of a validated questionnaire. Results: When comparing the sexes, the men presented higher and significant prevalences in the variables of meat consumption with fat (49.5%) and alcohol consumption (34.6%) and women in regular consumption of sweets (26.1%). And watch television for more than three hours (54.7%). Regarding the risk factors, the adults of Barra Velha presented higher and significant values in the consumption of meat with fat (39.4%), whole milk (39.5%) and watching TV for more than three hours (47.5%) When compared to national and state data. Conclusions: It is necessary to invest in municipal actions that reduce risk factors and increase the protection factors for chronic diseases, positively impacting the reduction of morbidity and mortality in this population.


Palavras-chave


Promoção da saúde; Prevenção de doenças; Doença crônica; Fatores de risco; Obesidade

Texto completo:

PDF

Referências


-Baumgartel, C.; Onofrei, M.; Grillo, L. P.; Lacerda, L. L. V.; Mezadri, T. Fatores de risco e proteção de doenças crônicas em adultos: estudo de base populacional em uma cidade de médio porte no sul do Brasil. Rev Bras Med Fam Comunidade. Vol. 11. Num. 38. p. 1-13. 2016.

-Bell, J. A.; Kivimaki, M.; Batty, G. D.; Hamer, M. Metabolically healthy obesity: what is the role of sedentary behaviour? Preventive Medicine. Vol. 62. Num. 100. p. 35-37. 2014.

-Brasil, Ministério da Saúde. Banco de dados do Sistema Único de Saúde - DATASUS. Informações de Saúde, Sistema de Informações sobre Mortalidade. 2015a.

-Brasil. Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. Brasília: Ministério da Saúde. 2014b.

-Brasil. Ministério da Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília: Ministério da Saúde. 2011.

-Brasil. Ministério da Saúde. PNPS: revisão da Portaria MS/GM nº 687, de 30 de março de 2006/ Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília: Ministério da Saúde. 2015b.

-Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.681, de 7 de novembro de 2013: Redefine o Programa Academia da Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: Ministério da Saúde. 2013.

-Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 483, de 1º de abril de 2014. Redefine a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) e estabelece diretrizes para a organização das suas linhas de cuidado. Brasília: Ministério da Saúde. 2014a.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Alimentos regionais brasileiros. 2ª edição. Brasília: Ministério da Saúde. 2015c.

-Brasil. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2015: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2015. Brasília: Ministério da Saúde. 2016. 160p.

-Brasil. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2016: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2016. Brasília: Ministério da Saúde. 2017. 160p.

-CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento da safra brasileira de grãos. Vol. 1. Num. 1. 2013.

-Dunstan, D. W.; Barr, E. L.; Healy, G. N.; Salmon, J.; Shaw, J. E.; Balkau, B.; Magliano, D. J.; Cameron, A. J.; Zimmet, P. Z. Owen, N. Television viewing time and mortality: the Australian Diabetes, Obesity and Lifestyle Study (AusDiab). Circulation. Vol. 121. Num. 3. p. 384-391. 2010.

-Guarda, F. R. B.; Silva, R. N.; Feitosa, Nascimento, M. N.; Santos Neto, P. M.; Araújo Júnior, J. L. A. C. Caracterização das equipes do Programa Academia da Saúde e do seu processo de trabalho. Rev Bras Ativ Fis Saúde. Vol. 20. Num. 6. p. 638-640. 2015.

-IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades: dados básicos - Estimativa 2015.

-Inoue, S.; Sugiyama, T.; Takamiya, T.; Oka, K.; Owen, N.; Shimomitsu, T. Television viewing time is associated with overweight/obesity among older adults, independent of meeting physical activity and health guidelines. J. Epidemiol. Vol. 22. Num. 1. p. 50-56. 2011.

-Malta, D.C.; Silva Junior, J.B. O Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil e a definição das metas globais para o enfrentamento dessas doenças até 2025: uma revisão. Epidemiol. Serv. Saúde. Vol. 22. Num. 1. p.151-164. 2013.

-Malta, D. C.; Silva, J. B. Policies to promote physical activity in Brazil. Lancet. Vol. 380. Num. 9838. p. 195‑196. 2012.

-Malta, D. C.; Dimech, C. P. N.; Moura, L.; Silva Junior, J. B. Balanço do primeiro ano de implantação do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil, 2011 a 2022. Epidemiol Serv Saúde. Vol. 22. Num. 1. p. 171-178. 2013.

-Malta, D. C.; Oliveira, T. P.; Santos, M. A. S.; Andrade, S. S. C.A.; Silva, M. M. A. Avanços do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis no Brasil, 2011-2015. Epidemiol. Serv. Saúde. Vol. 25. Num. 2. p. 373-390. 2016a.

-Malta, D. C.; Santos, M. A. S.; Stopa, S. R.; Vieira, J. E. B.; Melo, E. A.; Reis, A. A. C. A Cobertura da Estratégia de Saúde da Família (ESF) no Brasil, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Ciênc. Saúde Coletiva. Vol. 21. Num. 2. p. 327-338. 2016b.

-Malta, D. C.; Silva Junior, J. B. O Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil e a definição das metas globais para o enfrentamento dessas doenças até 2025: uma revisão. Epidemiol. Serv. Saúde. Vol. 22. Num. 1. p. 151-164. 2013.

-Moura, E. C.; Silva, A. S.; Malta, D. C.; Morais Neto, O. L. Fatores de risco e proteção para doenças crônicas: vigilância por meio de inquérito telefônico, VIGITEL, Brasil, 2007. Cad. Saúde Pública. Vol. 27. Num. 3. p. 486-496. 2011.

-NCD Risk Factor Collaboration (NCD-RisC). Trends in adult body-mass index in 200 countries from 1975 to 2014: a pooled analysis of 1698 population-based measurement studies with 19,2 million participants. The Lancet. Vol. 387. Num. 10026. p. 1377-1396. 2016a.

-NCD Risk Factor Collaboration (NCD-RisC). Worldwide trends in diabetes since 1980: a pooled analysis of 751 population-based studies with 4·4 million participants. The Lancet, USA. Vol. 387. Num. 10027. p. 1513-1530. 2016b.

-Ribeiro, A.G.; Cotta, R. M. M.; Ribeiro, S. M. R. A promoção da saúde e a prevenção integrada dos fatores de risco para doenças cardiovasculares. Ciênc. Saúde Coletiva. Vol. 17. Num. 1. p. 7-17. 2012.

-Wijndaele, K.; Brage, S.; Besson, H.; Khaw, K. T.; Sharp, S. J.; Luben, R.; Wareham, N. J.; Ekelund, U. Television viewing time independently predicts all-cause and cardiovascular mortality: the EPIC Norfolk study. Int J Epidemiol. Vol. 40. Num. 1. p. 150-159. 2011.

-World Health Organization. Preventing chronic diseases: a vital investment. Geneva: World Health Organization. 2005.

-World Health Organization. WHO Global action plan for the prevention and control of noncommunicable disease 2013-2020. Geneva: World Health Organization. 2014b.

-World Health Organization. WHO Global status report on noncommunicable diseases 2014. Geneva: World Health Organization. 2014a.

-Yokota, R. T. C.; Vasconcelos, T. F.; Ito, M. K.; Dutra, E. S.; Baiochi, K. C.; Merchán-Hamann. E.; Lopes, E. B.; Barbosa, R. B. Prevalência de fatores de risco para doenças crônicas não-transmissíveis em duas regiões do Distrito Federal. Comun Ciênc Saúde. Vol. 18. Num. 4. p. 289-296. 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui