Estilo alimentar e prática de atividade física de adolescentes com excesso de peso

  • Rárica Isidório Sampaio Feitosa de Matos Vieira Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau-SC, Brasil
  • Marina Koffke Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau-SC, Brasil
  • Deise Maria Vargas Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau-SC, Brasil
  • Luciane Coutinho de Azevedo Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau-SC, Brasil Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí-SC, Brasil
Palavras-chave: Obesidade, Sobrepeso, Comportamento alimentar, Sedentarismo

Resumo

Comportamentos alimentares inadequados são hábitos deletérios à saúde que, associados à inatividade física, trazem consequências ao estado nutricional de crianças e adolescentes. Objetivou-se com este trabalho analisar a relação entre estilo alimentar e nível de atividade física em adolescentes com excesso de peso. Trata-se de uma pesquisa descritiva, exploratória e quantitativa, desenvolvida com adolescentes com sobrepeso e/ou obesidade. Destes, foram coletados dados relacionados ao comportamento alimentar pelo Questionário Holandês do Comportamento Alimentar (QHCA) e da prática de atividade física, utilizando o Questionário de atividade física para criança (PAQ-C). Adotou-se p <0,05 como nível de significância. Foram avaliados 51 adolescentes, com média de 11,92 ± 1,66 anos. Em sua maioria, classificados com sobrepeso. O QHCA demonstrou médias mais elevadas dos escores atribuídos ao estilo restritivo (2,1 ± 1,0 pontos) e de ingestão externa (2,3 ± 1,1 pontos) do que a média verificada no estilo alimentar emocional (1,6 ± 0,7 pontos). A maior parte se classificou como sedentária (64,7%; n=33), com média dos escores do PAC-C de 2,61 ± 0,57 pontos. Não houve associação dos escores atribuídos aos tipos de estilo alimentar com o nível de atividade física ou com as categorias de estado nutricional. Concluiu-se que, nesta amostra, prevaleceu o sedentarismo e os estilos alimentares restritivo e influenciado pelo meio externo. Além disso, não foi verificada correlação entre o estilo alimentar e nível de atividade física.

 

ABSTRACT 

Food style and practice of physical activity of adolescents with excess weight

Inadequate dietary behaviors are deleterious health habits, which, associated with physical inactivity have consequences for the nutritional status of children and adolescents. The objective of this study was to analyze the relationship between food style and level of physical activity in overweight adolescents. It is a descriptive, exploratory, and quantitative research, developed with adolescents with overweight and / or obesity. From these, data related to food behavior were collected by the Dutch Food Behavior Questionnaire (QHCA) and physical activity practice using the Physical Activity Questionnaire for Children (PAQ-C). We adopted p <0.05 as a level of significance. Fifty-one adolescents were evaluated, with a mean of 11.92 ± 1.66 years. Mostly were classified as overweight. The QHCA showed higher mean scores attributed to restrictive style (2.1 ± 1.0 points) and external (2.3 ± 1.1 points) than the mean emotional style (1.6 ± 0 points), 7 points), in relation to the level of physical activity, the major part was classified as sedentary (64.7%; n = 33), with mean PAC-C scores of 2.61 ± 0.57 points. There was no association between the scores attributed to the types of food style, the level of physical activity or the nutritional status. It was concluded that in this sample, sedentary lifestyle and restrictive and external eating styles prevailed. In addition, no correlation was found between dietary style and physical activity level.

Biografia do Autor

Rárica Isidório Sampaio Feitosa de Matos Vieira, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau-SC, Brasil
Graduada no curso de nutrição da Universidade Regional de Blumenau - FURB
Marina Koffke, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau-SC, Brasil

Graduada no curso de Nutrição da Universidade Regional de Blumenau - FURB 

Residente Multiprofissional em Saúde Materno Infantil. 

Deise Maria Vargas, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau-SC, Brasil

Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Mestre em Endocrinologia e Nutrição Pediátricas;

Doutora em Medicina e Cirurgia.

Docente no curso de graduação em Medicina (FURB), no Mestrado Profissional em Saúde Coletiva (FURB) e na Residência médica em Pediatria.

Linhas de Pesquisa em que atua:

Estudos clínicos e epidemiológicos em crianças e adolescentes com doença crônica;

Gestação e saúde pós-natal;

Massa óssea, osteoporose e osteometabolismo.

Luciane Coutinho de Azevedo, Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau-SC, Brasil Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí-SC, Brasil

FURB

Professora do Departamento de Ciências Farmacêutica, vinculada ao curso de Nutrição.

Professora Colaboradora do Mestrado em Saúde Coletiva

UNIVALI

Professora do curso de Nutrição.

Doutora em Neurociência, com atividades desenvolvidas com crianças e adolescentes em condições crônicas.

Referências

-Baños, R. M.; Cebolla, A.; Moragrega, I.; Van Strien, T.; Fernández-Aranda, F.; Agüera, Z.; Torre, Rafael de La.; Casanueva, F. F.; Fernández-Real, J. M.; Fernández-García, J. C.; Frühbeck, G.; Gómez-Ambrosi, J.; Jiménez-Murcia, S.; Rodríguez, R.; Tinahones, F. J.; Botella, C. Relationship between eating styles and temperament in an Anorexia Nervosa, Healthy Control, and Morbid Obesity female sample. Appetite. Vol. 76. p. 76-83. 2014.

-Bernardi, F; Cichelero, C; Vitolo, M.R. Comportamento de restrição alimentar e obesidade. Rev. Nutr. Campinas. Vol.18. Num. 1. p. 85-93. 2005.

-Braet, C.; Claus, L.; Goossens, L.; Moens, E.; Van Vlierberghe, L.; Soetens, B. Differences in eating style between overweight and normal-weight youngsters. Journal of Health Psychology. Vol.13. p. 733-743. 2008.

-Brasil, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009- POF, Rio de janeiro, 2010. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/>. Acessado 15/05/2017.

-Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Vigilância alimentar e nutricional - SISVAN: Orientações básicas para a coleta, o processamento, a análise de dados e a informação em serviços de saúde. Brasília. Ministério da Saúde. 2011. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/orientacoes_coleta_analise_dados_antropometricos.pdf>

-Chissini, R. B. C.; Oliveira, C.L.; Giannini, D. T.; Kuschnir, M. C. C. Obesidade na infância e adolescência: associação da inflamação e resistência à insulina com alterações metabólicas. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto. Vol. 14. Num. 3. 2015.

-Enes, C. C.; Slater, B. Obesidade na adolescência e seus principais fatores determinantes. Rev Bras Epidemiol. Vol.13. Num. 1. p. 163-171. 2010.

-Fernandez, J. R.; Redden, D. T.; Pietrobelli, A.; Allison, D.B. Waist circumference percentiles in nationally representative samples of African-American, European-American, and Mexican-American children and adolescents. J Pediatr. Vol. 145. Num. 4. p. 439-444. 2004.

-Ferreira, D. Q. C.; Fonsêca, D. X.; Santos, L. D. T.; Araújo, A. V. S.; Lima, J. C. O.; Castro, F. N.; Lopes, F. A. The three factor eating questionnaire-r21: avaliação do comportamento alimentar de estudantes de nutrição. Vol. 5. Num. 1. p. 75-84. 2016.

-Fortes, L. de S.; Amaral, A. C. S.; Almeida, S. de S.; Ferreira, M. E. C. Comportamento alimentar inadequado: uma investigação longitudinal com adolescentes do sexo feminino. Revista Paulista de Pediatria. Vol. 32. Num. 1. p. 85-91. 2014.

-Guedes, D. P.; Ribeiro, J. E.; Guedes, P. Medida da atividade física em jovens brasileiros: reprodutibilidade e validade do PAQ-C e do PAQ-A. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 21. Num. 6. 2015.

-Halberstadt, J.; Van Strien, T.; de Vet, E., E., I.; Braet, C.; Seidell, J. C. The association of eating styles with weight change after an intensive combined lifestyle intervention for children and adolescents with severe obesity. Appetite. Vol. 99. p. 82-90. 2016.

-Houben, K.; Nederkoorn, C.; Jansen, A. Too tempting to resist? Past success at weight control rather than dietary restraint determines exposure-induced disinhibited eating. Appetite. Vol. 59. Num. 2. 2012.

-Luciano, A. P.; Bertoli; C. J.; Adami, F.; Abreu, L. C. Nível de atividade física em adolescentes saudáveis. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 22. Num. 3. p. 191-194. 2016.

-Magalhães, P.; Motta, D. G. Uma abordagem psicossocial do estado nutricional e do comportamento alimentar de estudantes de nutrição. Nutrire: Rev Soc Bras Alim Nutr. Vol. 37. Num. 2. p. 118-132. 2012.

-Malta, D. C.; Andreazzil, M. A. R.; Campos, M. O.; Andrade, S.S.C. de A.; Sá, N.N.B de.; Moura, L. de.; Dias, A. J. R.; Crespo, C. D.; Silva Júnior, J. B. Tendência dos fatores de risco e proteção de doenças crônicas não transmissíveis em adolescentes, Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE 2009 e 2012). Rev Bras Epidemiol Suppl. PeNSE. 2014. p. 77-91.

-Mendonça, M. F. M. Fatores associados ao consumo de grupos alimentares em adolescentes da cidade de São Paulo. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. 2016.

-Organização Mundial da Saúde (OMS). Curvas de Crescimento da Organização Mundial da Saúde. Portal da Saúde - SUS. 2007. Disponível em: <http://dab.saude.gov.br/portaldab/ape_vigilancia_alimentar.php?conteudo=curvas_de_crescimento>. Acesso em: Jun. 2017.

-Passos, D. R. Dos; Gigante, D. P.; Maciel, F. V.; Matijasevich, A. Comportamento alimentar infantil: comparação entre crianças sem e com excesso de peso em uma escola do município de Pelotas, RS. Revista Paulista de Pediatria. São Paulo. Vol. 33. Num. 1. p. 42-49. 2015.

-Quaioti, T. C. B.; Almeida, S. de S. Determinantes psicobiológicos do comportamento alimentar: uma ênfase em fatores ambientais que contribuem para a obesidade. Psicologia USP. Vol. 17. Num. 4. 2006. p. 193-211.

-Rodrigues, D. C.; Guedes, G. C.; Fernandes, L. M.; de Oliveira, J. L. C. Estigmas dos profissionais de saúde frente ao paciente obeso: uma revisão integrativa. HU Revista. Vol. 42. Num. 3. 2016.

-Santos, C. C. dos; Poll, F.A.; Molz, P. Relação entre o estado nutricional, comportamento alimentar e satisfação corporal de escolares adolescentes de Santa Cruz do Sul, RS. Cinergis. Vol. 17. Num. 4. 2016. p.330-335.

-Silva, F. M. de A.; Menezes, A. S. Participação em aulas de educação física e atitudes positivas para a prática de atividade física em adolescentes do estado de Sergipe, Brasil. Scientia Plena. Vol. 12. Num. 8. 2016.

-Silva, L.C.B.; Tassitano, R.M.; Medeiros, H. J.; Knackfuss, M. I.; Cunha Júnior, A.T. Excesso de peso e fatores comportamentais. Motricidade. Vol. 12. Suppl. 2. 2016. p. 112-123.

-Silva, R. C. R.; Malina, R. M. Nível de atividade física em adolescentes do Município de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública. Vol. 16. Num. 4. 2000. p. 1091-1097.

-Souza, E. B. Transição nutricional no Brasil: análise dos principais fatores. Cadernos UniFOA. Vol. 5. Num. 13. 2017. p. 49-53.

-Snoek, H. M.; Engels, R. C.; Van Strien, T.; Otten, R. Emotional, external and restrained eating behaviour and BMI trajectories in adolescence. Appetite. Vol. 67. 2013. p. 81-87.

-Snoek, H. M.; Engels, R. C. M. E.; Janssens, J. M. A. M.; Van Strien, T. Parental behaviour and adolescents’ emotional eating. Appetite, Vol. 49. 2007. p. 223-230.

-Van Durme, K.; Goossens, L.; Braet, C. Adolescent aesthetic athletes: A group at risk for eating pathology?. Eating behaviors. Vol. 13. Num. 2. 2012. p. 119-122.

-Van Strien, T. C.; Herman, P.; Marieke W. Verheijden. Eating style, overeating, and overweight in a representative Dutch sample. Does external eating play a role?. Appetite. Vol. 52. 2009. p. 380-387.

-Van Strien, T; Frijters, J; Bergers, G; Defares, P. The Dutch Eating Behavior Questionnaire (DEBQ) for assessment of restrained, emotional, and external eating behavior. International Journal of Eating Disorders. Vol. 5. 1986. p. 295-231.

-Vasconcelos-Raposo, J.; Teixeira, C. M.; Pinto, A. F.; Pereira, C. A.; Fernandes, M. G.; Pinto, M. Atividade física, satisfação com a imagem corporal e comportamentos alimentares em adolescentes. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Vol. 14. Num. 3. 2014.

-Viana, V.; Sinde, S. Estilo alimentar: adaptação e validação do Questionário Holandês do Comportamento Alimentar. Psicologia: Teoria, Investigação e Prática. Vol. 8. 2003. p. 59-71.

-WHO, World Health Organization. Obesity and overweight [Internet]. Nov-2016. Disponível em: <http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs311/es>. Acesso em:18/11/2016.

-Zeeni, N.; Gharibeh, N.; Katsounari, I. The influence of sociocultural factors on the eating attitudes of Lebanese and Cypriot students: a crossâ€cultural study. Journal of Human Nutrition and Dietetics. Vol. 26. Num. Supl. 1. p. 45-52. 2013.

Publicado
2018-11-15
Como Citar
de Matos Vieira, R. I. S. F., Koffke, M., Vargas, D. M., & Azevedo, L. C. de. (2018). Estilo alimentar e prática de atividade física de adolescentes com excesso de peso. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 12(74), 745-755. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/787
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original