Consumo alimentar e adequação nutricional de adultos com obesidade

Luana Costa Rendeiro, Carla Ribeiro Ferreira, Adriano Augusto Reis Souza, Dyanara de Almeida Oliveira, Rosilene Reis Della Noce

Resumo


Introdução: Com as mudanças do perfil epidemiológico e nutricional da população faz-se necessário estudar o consumo alimentar para esclarecer associações entre dieta e doenças, como a obesidade. Objetivo: Avaliar o consumo alimentar e adequação nutricional, em adultos com obesidade. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal com 50 pacientes, entre 18 e 60 anos, atendidos em um Hospital Universitário. Realizou-se aferição de peso e estatura, para o cálculo do Índice de Massa Corporal; avaliação da composição corporal, por bioimpedância; avaliação de consumo alimentar, utilizando o Recordatório de 24h. A adequação de macronutrientes, a partir das recomendações da Organização Mundial de Saúde, e para fibras a partir da Dietary Reference Intakes. Resultados e discussão: A média de Índice de Massa Corporal foi de 37,33 kg/m2. Quanto à composição corporal, o valor médio, em Kg, para massa gorda e massa de músculo esquelético foi de 43,55 e 31,78, respectivamente. Na avaliação do consumo alimentar, encontrou-se valores médios de 1.937,28 Kcal, consumo abaixo do recomendado para carboidratos (51,25%), acima para proteínas (19,94%), adequado para lipídeos (28,31%) e abaixo do recomendado de fibras para homens (27,52g) e acima para as mulheres (38,20g). Conclusão: A ingestão energética, de macronutrientes e fibras não têm a capacidade de explicar sozinhos o estado nutricional da população em estudo, já que fatores hormonais, psicológicos e de atividade física podem levar ao quadro de obesidade, no entanto, fica caracterizada uma dieta hiperproteica, com redução do consumo de carboidratos e pobre em fibras para os homens e elevado para as mulheres.

 

ABSTRACT 

Food consumption and nutritional adequacy of adults with obesity

Introduction: With changes in the epidemiological and nutritional profile of the world population it is necessary to study food consumption to clarify associations between diet and diseases such as obesity. Objective: To evaluate dietary intake and its nutritional adequacy in obese adults. Methodology: It is a cross-sectional study with 50 patients, aged between 18 and 60 years, attended at a University Hospital. Weight and height were measured, for the calculation of Body Mass Index; body composition was evaluated by bioimpedance; food consumption evaluation, using the 24-hour recall. The macronutrients adequacy based on the recommendations of the Organization World Health Organization, and for fibers from the Dietary Reference Intakes. Results and discussion: The mean Body mass index was 37.33 kg / m2. Regarding body composition, the mean value in kg for fat mass and lean skeletal muscle  was 43.55 and 31.78, respectively. In the food evaluation, we found mean values of 1,937.28 Kcal, below the recommended for carbohydrates (51,25%), above recommended for proteins (19,94%), suitable for lipids (28,31%) and below recommended fiber for men (27.52g) and above for women (38.20g). Conclusion: The energy intake, macronutrients and fibers do not have the capacity to explain themselves the nutritional status of the study population, since hormonal, psychological and physical activity factors might lead to obesity, however, a hyperproteic diet has been characterized, with a reduction in the carbohydrate consumption and low in fiber for men and high for women.


Palavras-chave


Dieta; Composição corporal; Obesidade

Texto completo:

PDF

Referências


-Alves, L.B. Avaliação da composição corporal de indivíduos obesos candidatos à cirurgia bariátrica: Programa de pós-graduação em medicina e ciências da saúde da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Tese de doutorado. PUCRS-RS. Porto Alegre. 2016.

-Alves, R.F.S.; Faerstein, E. Desigualdade educacional na ocorrência de obesidade abdominal por gênero e cor/raça: Estudo Pró-Saúde, 1999-2001 e 2011-2012. Caderno de Saúde Pública. Rio de Janeiro. Vol. 32. Num. 2. 2016. p. 1-7.

-Amorim, A.R.; Rossner, S.; Neovius, M.; Lourenço, P.M.; Linne Y. Does excess pregnancy weight gain constitute a major risk for increasing long term BMI?. Obesity. Vol.15. Num 5. 2007. p. 1278-1286.

-Anjos, L. A. Índice de massa corporal (massa corporal. estatura-2) como indicador do estado nutricional de adultos: revisão da literatura. Revista Saúde Pública. São Paulo. Vol. 26. Num. 6. 1992. p. 431-436.

-Barbosa, P.J; Lessa, I.; de Almeida Filho, N.; Magalhães, L.B.; Araújo J. Critério de obesidade central em população brasileira: impacto sobre síndrome metabólica. Arquivo Brasileiro Cardiologia. Rio de Janeiro. Vol. 87. Num. 4. 2012. p. 407-414.

-Brasil. Política de valorização garante salário-mínimo de R$ 937 em 2017. 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2017.

-Bueno, A.L.; Czepielewski, M.A. O recordatório de 24 horas como instrumento na avaliação do consumo alimentar de cálcio, fósforo e vitamina D em crianças e adolescentes de baixa estatura. Revista Nutrição. Campinas. Vol. 23. Num. 1. 2010. p. 65-73.

-Campos, V. C.; Bastos, J. L.; Gauche, H.; Boing, A. F.; Assis, M. A. A. Fatores associados a o consumo adequado de frutas, legumes e verduras em adultos de Florianópolis. Revista Brasileira de Epidemiologia. São Paulo. Vol. 13. Num. 2. 2010. p. 352-362.

-Costa, M.A.P.; Vasconcelos, A.G.G.; Fonseca, M.J.M. Prevalência de obesidade, excesso de peso e obesidade abdominal e associação com prática de atividade física em uma universidade federal. Revista Brasileira de Epidemiologia. São Paulo. 2014. p. 421-436.

-Farias de Queiroz, M.; De Santana M.A.C.; Silva, M.G.V.; Cavalcante, G.K.G.; Guimarães, A.N.; Andrade, M.F.; Rampeloti, M.A.A. Perfil nutricional de portadores de síndrome de Down no agreste de Pernambuco. Nutricion Clínica y Dietética Hospitalaria. Pernambuco. Vol. 36. Num. 3. 2016. p. 122-129.

-Ferraz, I.A.R. Perfil alimentar de mulheres de baixa renda com excesso de peso/obesidade: Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Dissertação de Mestrado. EBMSP-Ba. Bahia. 2013.

-Ferreira, M.G.; Silva, N.F.; Schmidt, F.D.; Silva, R.M.V.G.; Sichieri, R.; Guimarães, L.V.; Pereira, R.A. Desenvolvimento de Questionário de Frequência Alimentar para adultos em amostra de base populacional de Cuiabá, região Centro-oeste do Brasil. Revista Brasileira Epidemiologia. Cuibá. Vol. 13. Num. 3. 2010. p. 413-424.

-Ferreira, R.A.B.; Benicio, M.H.D.A. Obesidade em mulheres brasileiras: associação com paridade e nível socioeconômico. Revista Pan-americana de Saúde Pública. Washington. Vol. 37. Num. 4/5. 2015. p. 337-342.

-Ferreira, V.A; Magalhães, R. Obesidade e pobreza: o aparente paradoxo. Um estudo com mulheres da Favela da Rocinha, Rio de Janeiro, Brasil. Caderno de Saúde Pública. Rio de Janeiro. Vol. 21. Num.6. 2005. p. 1792-1800.

-Figueiredo, I. C. M.; Jaime, P. C.; Monteiro, C. A. Fatores associados ao consumo de frutas, legumes e verduras em adultos da cidade de São Paulo. Revista de Saúde Pública. São Paulo. Vol. 42. Num. 5. 2008. p. 777-785.

-Fisberg, R.M.; Colucci, A.C.A.; Morimoto, J.M.; Marchioni, D.M.L. Questionário de frequência alimentar para adultos com base em estudo populacional. Revista Saúde Pública. São Paulo. Vol. 42. Num. 3. 2008. p. 550-554.

-Fisberg, R.M.; Marchioni, D.M.L.; Colucci, A.C.A. Avaliação do consumo alimentar e da ingestão de nutrientes na prática clínica. Arquivo Brasileiro de Endocrinologia e Metabolismo. São Paulo. Vol. 53. Num. 5. 2009. p. 617-624.

-Fonseca, M.J.M. Faerstein, E.; Chor, D.; Lopes, C.S.; Andreozzi, V.L. Associações entre escolaridade, renda e Índice de Massa Corporal em funcionários de uma universidade no Rio de Janeiro, Brasil: Estudo Pró-Saúde. Caderno de Saúde Pública. Rio de Janeiro. Vol. 22. Num. 11. 2006. p. 2359-2367.

-Gali, J. Osteoporose. Acta Ortopédica Brasileira. São Paulo. Vol. 9. Num. 2. 2004. p. 3-12.

-Gigante, D.P.; Moura, E.C.; Sardinha, L.M.V. Prevalência de excesso de peso e obesidade e fatores associados, Brasil, 2006. Revista de Saúde Pública. Rio de Janeiro. Vol. 43. Num. 2. 2009. p. 83-89.

-Holanda, L.B.; Filho, A.A.B. Métodos aplicativos em inquéritos alimentares. Revista Paulista de Pediatria. São Paulo. Vol. 24. Num. 1. 2006. p. 62-70.

-Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de Orçamentos familiares 2008-2009 - POF. Rio de Janeiro, 2010.

-Institute of Medicine (IOM). Dietary Reference Intakes: The Essential Guide to Nutrient Requirements, 2006. Disponível em: . Acesso em 07 de dezembro de 2016.

-Jackson, M.; Walker, S.; Cruickshank, J.K.; Sharma, S.; Cade, J.; Mbanya, J-C. Diet and overweight and obesity in populations of African origin: Cameroon, Jamaica and the UK. Public Health Nutr. Cambridge. Vol. 10. 2006. p. 122-130.

-Lagiou, P.; Sandin, S.; Lof, M.; Trichopoulos, D.; Adami, H. O.; Weiderpass, E. Low carbohydrate-high protein diet and incidence of cardiovascular diseases in Swedish women: prospective cohort study. Vol. 344. 2012. p. e4026.

-Lima, L.P.; Sampaio, H.A.C. Caracterização socioeconômica, antropométrica e alimentar de obesos graves. Revista de Ciência e Saúde Coletiva. Fortaleza. Vol. 12. Num. 4. 2007. p. 1011-1020.

-Marchi-Alves, L.M.; Yagi, C.M.; Rodrigues, C.S.; Mazzo, A.; Rangel, E.M.L.; Girão, F.B. Obesidade infantil ontem e hoje: importância da avaliação antropométrica pelo enfermeiro. Escola Anna Nery. Rio de Janeiro. Vol. 15. Num. 2. 2011. p. 238-244.

-Masson, C.R.; Da Costa, J.S.; Olinto, M.T.A.; Meneghel, S.; Costa, C.C.; Bairros, F.; Hallal, P.C. Prevalência de sedentarismo nas mulheres adultas da cidade de São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil. Caderno de Saúde Pública. Rio de Janeiro. Vol. 21. Num. 6. 2005. p. 1685-1694.

-Mello, V.D.; Laaksonen, D.E. Fibras na dieta: tendências atuais e benefícios à saúde na síndrome metabólica e no Diabetes mellitos tipo 2. Arquivo Brasileiro de Endocrinologia Metabólica. São Paulo. Vol. 53. Num. 5. 2009. p. 509-158.

-Mendonça, M.R.T.; Silva, M.A.M.; Rivera, I.R.; Moura, A.A. Prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes da cidade de Maceió. Revista da Associação Médica Brasileira. São Paulo. Vol. 56. Num. 2. 2010. p. 192-196.

-Merchant, A.T.; Vatanparast, H.; Barlas, S.; Dehgha, M.; Shah, S.M.; DE KONING L. Carbohydrate intake and overweight and obesity among healthy adults. J Am Diet Assoc. Chicago. Vol. 109. 2009. p. 1165-1172.

-Ministério da Saúde. Belém tem 50,4% da população com excesso de peso. Portal da Saúde. 2016a. Disponível em: < http:// portalsaude.saude.gov.br/ index.php/ cidadao/ principal/ agencia-saude/noticias-anteriores-agencia-saude/5608>. Acesso em: 27 dez. 2016.

-Ministério da Saúde. Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL). Hábitos dos brasileiros impactam no crescimento da obesidade e aumenta prevalência de diabetes e hipertensão. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação (NEPA). Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO). Campinas. Vol. 4. 2011.

-Organização Mundial de Saúde (OMS). Obesidade e Sobrepeso. [Revisado em Agosto de 2014]. 2014. Disponível em: . Acesso em: 11 de dez. 2016.

-Pereira, L.M.; Vieira, A.L.S.; Horta, P.M.; Santos, L.C. Fracionamento da dieta e o perfil nutricional e de saúde de mulheres. Revista Nutrição. Campinas. Vol. 27 Num. 1. 2014. p.15-23.

-Pereira, L.O.; Francischi, R.P.; Klopfer, M.; Sawada, L.A.; Santos, R.; Vieira, P., et al. Obesidade e sua Implicações – Ação da Atividade Física e Controle Nutricional. Revista Brasileira de Nutrição Clínica. São Paulo. Vol. 14. 1999. p. 9-17.

-Rech, C.R.; Petroski, E.L.; Silva,R.C.R.; Silva, J.C.N. Indicadores antropométricos de excesso de gordura corporal em mulheres. Revista Brasileira de Medicina e Esporte. São Paulo. Vol. 12. Num. 3. 2006. p. 119-124.

-Rezende, F.; Rosado, L.; Franceschinni, S.; Rosado, G.; Ribeiro, R.; Martins, J.C.B. Revisão Crítica dos métodos disponíveis para avaliar a composição corporal em grandes estudos populacionais e clínicos. Organo Oficial de La Sociedad Latino Americana de Nutrición. Caracas. Vol. 57. Num. 4. 2007. p. 327-334.

-Sampaio, L.R.; Oliveira, A.N.; Roriz, A.K.C.; Oliveira, C.C.; Ramos, C.I.; Eickemberg, M.; Silva, M.C.M.; Moreira, P.A.; Oliveira, T.M.; Leite, V.R. Avaliação Nutricional. Salvador. EDUFBA. 2012. p. 82.

-Sauer P.; Oliveira, K.S.;Carvalho, L.;Ferraro, J.L.S.; Alves, M.K.; Perfil alimentar de pacientes com sobrepeso e obesidade atendidos em uma clínica de Porto Alegre entre os anos de 2000 a 2006. X Salão de Iniciação Científica. PUCRS. Rio Grande do Sul. 2009.

-Silva, E.A.; Silva, R.L.; Conceição, R.P.; Zinhani, D.Q; Salgueiro, M.M.H.A.O. Excesso de peso em usuários de unidades básicas de saúde. ABCS Health Science. São Paulo. Vol. 41. Num. 1. 2016. p. 10-14.

-Silva, F.M.J; Almeida, R.T; Jesus, L.S; Jesus, G.M. Associação entre número de filhos e obesidade central em um grupo de usuárias e profissionais do programa saúde da família em Feira de Santana, Bahia. 62ª Reunião Anual da SBPC. UFRN. Natal. 2010.

-Silva, H. P. C. Você é o que você come? Um estudo sobre o perfil de sobrepeso e obesidade no Brasil e os determinantes do IMC. Curso de Ciências Econômicas do Instituto de Ensino e Pesquisa. Monografia. ISPER-SP. São Paulo. 2011.

-Slater, B.; Marchini, D.L.; Fisberg, R. Estimativa de prevalência de ingestão inadequada de nutrientes. Revista de Saúde Pública. São Paulo. Vol. 38. Num. 4. 2004. p. 599-605.

-Souza, D.R.; Anjos, L.A.; Wahrlich, V.; Vasconcellos, M.T.L.; Machado, J.M. Ingestão alimentar e balanço energético da população adulta de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil: resultados da Pesquisa de Nutrição, Atividade Física e Saúde (PNAFS). Caderno de Saúde Pública. Rio de Janeiro. Vol. 26. Num. 5. 2010. p. 879-890.

-Tischler, A.B. Caracterização do perfil corporal de pacientes obesos e portadores de hipertensão arterial sistêmica admitidos em uma clínica-escola de nutrição no município de Lauro de Freitas-BA. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol.7. Num.38. 2013. p.27-34. Disponível em:

-Villamor, E.; Cnattingius, S. Interpregnancy weight change and risk of adverse pregnancy outcomes: a population-based study. Lancet. Vol. 368. Num. 9542. 2006. p. 1164-1170.

-Viudes, D.R.; BrecaiL, M.K.; Silva, J.S.; Levinske, L.C.; Melhem, A.R.F.; Kühl, A.M.Perfil nutricional e consumo alimentar de pacientes com excesso de peso atendidos por um ambulatório de nutrição.Publicatio UEPG: Ciências Biológicas e da Saúde. Ponta Grossa. Vol. 20. Num. 2. 2015. p.115-124.

-World Health Organization (WHO). Diet, nutrition and the prevention of diseases. Reporto f a joint WHO/FAO Expert consultation. WHO, Genebra, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui