Prevalência de comportamento de risco para compulsão alimentar em adolescentes de um colégio particular em São Luís-MA

Mayana Veras Serra, Gabriel Mateus Nascimento de Oliveira

Resumo


Qualquer jovem com práticas alimentares não saudáveis de controle de peso corporal ou que apresente certa obsessão quanto ao alimento/forma/peso ou exercício pode ser um candidato a um transtorno alimentar. Considerando isso e o crescimento das produções científicas sobre o tema foi que objetivou-se investigar a prevalência de comportamento de risco para compulsão alimentar em adolescentes do Colégio Master em São Luís-MA. Trata-se de um estudo quantitativo observacional transversal descritivo com 139 estudantes de uma escola particular com faixa etária de 12 a 17 anos. Para o diagnóstico utilizou-se o Questionário sobre Padrões de Alimentação e Peso Revisado (QEWP-R), criado para o diagnóstico do TCAP (Transtorno da Compulsão Alimentar Periódico) e de quadros subclínicos de compulsão alimentar, validado por (BORGES e colaboradores, 2005). Dos adolescentes participantes deste estudo a maioria era do sexo feminino, renda familiar de 3 a 4 salários mínimos e cor/raça parda. No que se refere ao estado nutricional, a eutrofia foi apontada como dominante; identificou-se que 1,4% da amostra apresentou TCAP e 41% apresentaram episódios de compulsão alimentar nos últimos seis meses. Desse grupo de comportamento de risco/casos subclínicos de compulsão alimentar periódica, os principais relatos que se relacionam aos episódios foram: comer muito mais rápido que o usual e comer grandes quantidades de comida sem fome. Além disso, dos adolescentes que já tiveram episódios de compulsão, mais da metade relataram comportamentos compensatórios para evitar ganho de peso (jejum, pílulas de emagrecimento e exercício excessivo) e uma porcentagem relativamente alta afirmaram já ter usado laxante, diurético e indução de vômito para controle de peso corpóreo. Os dados evidenciaram a importância de se voltarem esforços para tratamento precoce de episódios de compulsão e a identificação de subgrupos de risco. Espera-se que os resultados dessa pesquisa possam subsidiar o desenvolvimento de outras pesquisas, além de atividades na escola com implantação de palestras para conscientizar pais e alunos sobre o transtorno alimentar e fomentar mudanças que causem impactos positivos sobre a saúde e qualidade de vida deste público.

 

ABSTRACT 

Prevalence of risk behavior for binge eating in teenagers from a private college in Sao Luís-MA

Any young person with unhealthy body weight control practices or who has a certain obsession with food/shape/weight or exercise can be a candidate for an eating disorder. Considering this and the growth of scientific productions on the subject was that it was aimed to investigate the prevalence of risk behavior for binge eating in adolescents of the Master College in São Luís-MA. It is a descriptive cross-observational quantitative study with 139 students from a private school with an age of 12 to 17 years. For the diagnosis, the questionnaire was used on standards of food and weight reviewed (QEWP-R), created for the diagnosis of the TCAP (periodic food compulsion disorder) and subclinical tables of binge eating, validated by (BORGES and contributors, 2005). Of the adolescents participating in this study most were female, family income from 3 to 4 minimum wages and color/brown race. As regards the nutritional status, the Eutrophy was appointed as dominant; It was identified that 1.4% of the sample presented TCAP and 41% presented episodes of Binge eating in the last six months. Of this group of risk behavior/subclinical cases of periodic binge eating, the main reports that relate to the episodes were: eat much faster than usual and eat large amounts of food without hunger. In addition, teenagers who have had episodes of compulsion, more than half reported compensatory behaviors to avoid weight gain (fasting, slimming pills and excessive exercise) and a relatively high percentage stated already have used laxative, diuretic and vomit induction for bodily weight control. The data showed the importance of returning efforts to early treatment of binge episodes and the identification of risk sub-groups. It is expected that the results of this research can subsidize the development of other research, in addition to activities in the school with the implementation of lectures to educate parents and students about the food disorder and to promote changes that cause impacts health and quality of life of this public.


Palavras-chave


Transtorno da compulsão alimentar; Adolescente; Transtornos da alimentação

Texto completo:

PDF

Referências


-American Psychiatric Association. DSM-5: manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. 5. ed. Porto Alegre: Artmed. 2014.

-Bertin, R.L; Karkle, ENL; Ulbrich, AZ; Neto, AS; Bozza, R; Araujo, IQ; Campos, W. Estado nutricional e consumo alimentar de adolescentes da rede pública de ensino da cidade São Mateus do Sul, Paraná, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil. Recife. Vol.8. Num.4. 2008. p.435-443.

-Borges, M.B.F.; Morgan, C.M.; Claudino, A.M.; Silveira, D.X. Validação da versão em português do Questionário sobre Padrões de Alimentação e Peso – Revisado (QEWP-R) para o rastreamento do transtorno da compulsão alimentar periódica. Rev Bras Psiquiatr. Vol. 27. Num. 4. 2005. p. 319-322.

-Dantas, R.S. Avaliação do estado nutricional e consumo alimentar de adolescentes de ambos os sexos de uma escola particular do município de Paço do Lumiar, Maranhão. Dissertação de Monografia. Faculdade Santa Terezinha. São Luís. 2012.

-Dunker, K.L.L.; Fernandes, C.P.B.; Filho, D.C. Influência do nível socioeconômico sobre comportamentos de risco para transtornos alimentares em adolescentes. J. Bras. Psquiatr, São Paulo. Vol.58. Num.3. 2009. p. 156-161.

-Ferreira, J.E.S.; Veiga, G.V. Comportamentos sugestivos de transtornos alimentares na adolescência: aspectos conceituais. Rev. Adolescência & Saúde. Vol. 7. Num. 3. 2010.

-Freitas, D.; Rodrigues, C.S.; Yagui, C.M.; Carvalho, R.S.T.; Alves, L.M.M. Fatores de risco para hipertensão arterial entre estudantes do ensino médio. Acta Paulista de Enfermagem. Vol. 25. Num. 3. 2012. p. 430-434.

-IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa sobre padrões de vida: 1996-1997. Rio de Janeiro. 1998.

-IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Resultados da Amostra do Censo Demográfico 2000 – Malha municipal digital do Brasil: situação em 2001. Rio de Janeiro: IBGE. 2004.

-Laranjeira, R.; Pinsky, I.; Zaleski, M.; Caetano, R. I Levantamento Nacional sobre os padrões de consumo de álcool na população brasileira. Revisão técnica científica: Paulina do Carmo Arruda Vieira Duarte. Brasília: Secretaria Nacional Antidrogas. 2007.

-Mahan, L.K.; Scott-Stump, S.; Raymond, J.L. Krause: alimentos, nutrição e dietoterapia. Rio de Janeiro: Elsevier. 2012.

-Marques, I.R.; Arandas, F. Qualidade de vida do estudante do ensino médio e tabagismo. Rev. Brasileira de Qualidade de vida, Ponta Grossa-PR. Vol. 3. Num. 2. 2011. p. 13-22.

-Oliveira, L.L.; Hutz, C.S. Transtornos alimentares: o papel dos aspectos culturais no mundo contemporâneo. Psicologia em Estudo. Maringá. Vol. 15. Num. 3. 2010. p. 575-582.

-Oliveira, T.C.A. Consumo alimentar e estilo de vida de adolescentes de uma escola pública do município de Vargem Grande - MA. Dissertação de Monografia. Faculdade Santa Terezinha. São Luís. 2017.

-OMS, Organización Mundial de la Salud. La salud de los jóvenes: un reto y una esperanza. Geneva.1995.

-Pereira, C.; Chehter, E.Z. Associações entre impulsividade, compulsão alimentar e obesidade em adolescentes. Arquivos Brasileiros de Psicologia. Rio de Janeiro. Vol. 63. Num. 3. 2011. p. 16-30.

-Pereira, J.M.A. Consumo alimentar e estado nutricional de adolescentes em uma escola filantrópica de São Luís-MA. Dissertação de Monografia. Faculdade Santa Terezinha. São Luís. 2015.

-Pivetta, L.A. Compulsão alimentar e fatores associados em adolescentes de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Dissertação de Pós-graduação. Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Mato Grosso. Cuiabá. 2009.

-Pivetta, L.A.; Gonçalves-Silva, R.M.V. Compulsão alimentar e fatores associados em adolescentes de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro. Vol. 26. Num. 2. 2010. p. 337-346.

-Ramos, T.B. Nutrição e álcool: associação da ingestão de álcool no consumo alimentar e no rendimento escolar entre adolescentes do 2° grau de uma escola particular no município de Paço do Lumiar- MA. Dissertação de Monografia. Faculdade Santa Terezinha. São Luís. 2014.

-Rodrigues, M.C.; Viegas, C.A.A.; Gomes, E.L.; Morais, J.P.M.G.; Zakir, J.C.O. Prevalência do tabagismo e associação com o uso de outras drogas entre escolares do Distrito Federal. Jor. Brasileiro de Pneumologia. Vol. 35. Num. 10. 2009. p. 986-991.

-Seabra, A.F.; Mendonça, D.M.; Thomas, M.A.; Anjos, L.A.; Maia, J.Á. Determinantes biológicos e sócio-culturais associados à prática de atividade física de adolescentes.Caderno Saúde Pública. Vol. 24, Num. 4. 2008. p. 721-736.

-Silva, C.C.C.; Almeida, M.E.F. Excesso de peso e hábitos de vida e alimentar na adolescência: Um parágrafo entre escola pública e particular. Revista enfermagem integrada. Itapitinga; Unilest-MA. Vol. 2. Num.1. 2009. p. 200-212.

-Silva, R.C.R.; Malina, R.M. Nível de atividade física em adolescentes do Município de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Cad Saúde Publica. Vol. 16. 2009. p. 1091-1097.

-Vale, A.M.O.; Kerr, L.R.S.; Bosi, M.L.M. Comportamentos de risco para transtornos do comportamento alimentar entre adolescentes do sexo feminino de diferentes estratos sociais do Nordeste do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 16. Num. 1. 2011. p. 121-132.

-World Health Organization (WHO). Growth reference data for 5-19 years. 2007.

-Zancul, M.S.; Dal Fabbro, A.L. Escolhas alimentares e estado nutricional de adolescents em escolas de ensino fundamental. Alim. Nutr. Araraquara. Vol. 18. Num. 3. 2007. p. 253-259.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui