Fatores associados ao nível de atividade física em estudantes de uma Universidade do interior do estado da Bahia-Brasil

Raphael Henrique de Oliveira Araújo, Roberto Jerônimo dos Santos Silva, André Ricardo da Luz Almeida

Resumo


Para avaliar o risco cardiovascular em adultos jovens, a comunidade científica tem utilizado indicadores antropométricos, os quais têm sido relacionados ao Nível de Atividade Física. Objetivo: Identificar as variáveis relacionadas ao nível de atividade física em estudantes de Educação Física de uma universidade do interior do Estado da Bahia. Método: A amostra foi selecionada por conveniência, sendo 41 estudantes (53% do sexo masculino) com média de idade de 22,31(4,20) anos. Os indivíduos foram divididos em “Ingressantes” e “Concluintes”. O IPAQ versão curta foi utilizado para averiguar o NAF, os dados antropométricos coletados foram: Índice de Massa Corporal (IMC); Circunferência Abdominal; Razão Cintura-Quadril; Percentual de gordura; Peso gordo. Para identificar a associação entre os indicadores antropométricos e o NAF foi utilizada a correlação de Spearman, sendo o nível de significância p<0,05.  Resultados: O principal resultado dessa investigação foi identificar as variáveis relacionadas ao Nível de Atividade Física (percentual de gordura e Razão Cintura-Quadril). Conclusão: indicadores antropométricos relacionam ao nível de atividade física em acadêmicos ingressantes, no entanto, o mesmo não acontece com seus congêneres concluintes.

 

ABSTRACT 

Level of physical activity in students of a university of the interior of the state of Bahia-Brazil

To assess cardiovascular risk in young adults, the scientific community has used anthropometric indicators, which have been associated with the Physical Activity Level. Objective: To identify the factorsrelated with the level of physical activity in Physical Education students of a university in the interior of the State of Bahia. Method: The sample was selected for convenience, being 41 students (53% male) with mean age of 22.31 (4.20) years. The individuals were divided into "Ingressants" and "Alumnis". The IPAQ short version was used to ascertain the NAF, the anthropometric data collected were: Body Mass Index (BMI); Abdominal circumference; Waist-Hip Ratio; Fat percentage; Fat weight. To identify the correlation between the anthropometric indicators and the NAF, the Spearman correlation was used, and the level of significance was set at p <0.05. Results: The main result of this investigation was to identify the variables related with Physical Activity Level (fat percentage and waist hip ratio). Conclusion: Based on the findings of this study, it is concluded that anthropometric indicators are related with the level of physical activity in incoming students, however, the same is not true of their congeners.


Palavras-chave


Estilo de vida sedentário; Atividade motora; Estudantes

Texto completo:

PDF

Referências


-Alvarez, B.R.; Pavan, A.L. Alturas e Comprimentos. In: Petroski, E.L. Antropometria: técnicas e padronizações. 5. ed. Várzea Paulista: Fontoura, 2011. 33-47 p.

-American College of Sports Medicine (ACSM). Manual do ACSM para avaliação da aptidão física relacionada à saúde. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

-Belanger, M.; e colaboradores. Link between Physical Activity Type in Adolescence and Body Composition in Adulthood. Medicine and science in sports and exercise. Vol. 50. Num. 4. p. 709-714. 2018.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis e Promoção da Saúde. Vigitel Brasil 2016: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2016. Brasília: Ministéro da Saúde, 2017. 160 p.

-Carlucci, E. M. S.; e colaboradores. Obesidade e Sedentarismo: Fatores de Risco para Doença Cardiovascular. Com. Ciências Saúde. Vol. 24. Num. 4. p. 375-384. 2013.

-Cleland, V. J.; Dwyer, T.; Venn, A. J. Physical activity and healthy weight maintenance from childhood to adulthood. Vol. 16. Num. 6. p. 1427-1433. 2008.

-Cruz, M. A. F.; e colaboradores. Corpórea Em Acadêmicos De Medicina Da Universidade Tiradentes Em Aracaju-Se. Caderno de Graduação-Ciências Biológicas e da Saúde-UNIT. Vol. 3. Num. 1. p. 101-112. 2015.

-Davison, K. K.; Werder, J. L.; Lawson, C. T. Children’s Active Commuting to School: Current Knowledge and Future Directions. Preventing chronic disease. Vol. 5. Num. 3. 2008.

-Fontes, A. C. D.; Vianna, R. P. T. Prevalência e fatores associados ao baixo nível de atividade física entre estudantes universitários de uma universidade pública da região Nordeste – Brasil Prevalence and factors related to. Rev Bras Epidemiol. Vol. 12. Num. 83. p. 20-29. 2009.

-Ilow, R.; Różańska, D.; Regulska-Ilow, B. Prevalence of cardiovascular disease risk factors among pharmacy students from Wroclaw Medical University (Poland). Advances in clinical and experimental medicine: official organ Wroclaw Medical University. Vol. 26. Num. 5. p. 843-850. 2017.

-Jayedi, A. Body mass index, abdominal adiposity, weight gain and risk of developing hypertension: a systematic review and dose – response meta-analysis of more than 2. 3 million participants. Obesity Reviews. Vol. 19. Num. 7. p. 654-667. 2018.

-Matsudo, S.; e colaboradores. Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Atividade Física e Saúde. Vol. 6. Num. 2. p. 5-18. 2001.

-Mendes, M. L. M.; e colaboradores. Hábitos alimentares e atividade física de universitários da área de saúde do município de Petrolina-PE. Tempus Actas de Saúde Coletiva. Vol. 10. Num. 2. p. 205-217. 2016.

-Nascimento, T.; Alves, F.; Souza, E. Barreiras percebidas para a prática de atividade física em universitários da área da saúde de uma instituição de ensino superior da cidade de Fortaleza, Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 22. Num. 2. p. 137-146. 2017.

-Oliveira, C. D. S.; e colaboradores. Atividade Física de Universitários Brasileiros: Uma Revisão da Literatura. Revista de Atenção à Saúde. Vol. 12. Num. 42. p. 71-77. 2014.

-Pinheiro, A. R. O.; Freitas, S. F. T.; Corso, A. C. T. Uma abordagem epidemiológica da obesidade. Revista de Nutrição. Vol. 17. Num. 4. p. 523-533. 2004.

-Rothman, K. J. BMI-related errors in the measurement of obesity. International Journal of Obesity. Vol. 32. Num. S3. p. 56-59. 2008.

-Silva, D. A. S. Nível de atividade física e fatores associados em acadêmicos de educação física de uma universidade pública do nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 16. Num. 3. p. 193-198. 2011.

-Souza, I. E. C. D.; e colaboradores. Níveis de atividade física e estágios de mudança de comportamento de universitários da área de saúde. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. Vol. 20. Num. 6. p. 608-617. 2015.

-Vargas, L. M.; e colaboradores. Fatores associados ao nível de atividade física entre estudantes universitários. R. Bras. Qual. Vida. Vol. 7. Num. 3. p. 158-168. 2015.

-Wanderley, E. N.; Ferreira, V. A. Obesidade: Uma perspectiva plural. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 15. Num. 1. p. 185-194. 2010.

-World Health Organization. Global recommendations on physical activity for health. 2010.

-World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. [s.l.] World Health Organization, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui