Fatores associados ao consumo de frutas, verduras e alimentos industrializados em idosos

  • Andressa Wilke Lovatto Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), Santa Cruz do Sul-RS, Brasil.
  • Patrícia Molz Programa de pós-graduação em Medicina e Ciências da Saúde, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) Porto Alegre-RS, Brasil.
  • Silvia Isabel Rech Franke Programa de pós-graduação em Promoção da Saúde da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), Santa Cruz do Sul-RS, Brasil
Palavras-chave: Idosos, Consumo alimentar, Estado nutricional, Exercício físico, Nível socioeconômico

Resumo

Introdução e objetivo: A qualidade da alimentação na velhice é essencial para a manutenção da saúde. Portanto, objetivou-se associar o consumo diário de 5 porções ou mais de frutas, verduras e alimentos industrializados com sexo, prática de exercício físico, perfil socioeconômico e estado nutricional de idosos. Materiais e métodos: Estudo transversal, realizado com idosos, no qual coletou-se informações referentes ao consumo de frutas e verduras e de alimentos industrializados, idade, sexo, condição socioeconômica, estado nutricional e prática de exercício físico. Calculou-se o risco de prevalência com nível de significância de p<0,05. Resultados: Avaliou-se 27 idosos, sendo a maioria do sexo feminino (81,5%), acima do peso (66,7%) e pertencentes à classe C/D/E (55,6%). A ingestão de pelo menos 5 porções de frutas e verduras ao dia foi relatada por 44,4% dos idosos. O consumo infrequente de frutas e verduras foi mais elevado entre os idosos que apresentaram risco aumentado associado a complicações metabólicas (conforme a CC) (80,0%, p=0,025) e realizavam exercício frequentemente (72,8%, p=0,007). O consumo de alimentos industrializados mostrou-se frequente por 77,8% dos idosos, associando-se significativamente entre os indivíduos que realizavam frequentemente exercícios físicos (88,9%, p=0,025). Conclusão: Os idosos apresentaram baixa frequência no consumo de frutas e verduras e alta ingestão de alimentos industrializados em relação às recomendações. Ademais, o risco aumentado associado a complicações metabólicas se associou com o consumo infrequente de frutas e verduras, e a prática de exercício físico associou-se tanto com o consumo infrequente de frutas e verduras como com a ingestão frequente de alimentos industrializados.

Referências

-ABEP. Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério de classificação econômica. 2008.

-Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Diretrizes brasileiras de obesidade 2016/ABESO - Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. 4ª edição. São Paulo. AC Farmacêutica. 2016. p. 186.

-Barros, R.R. Consumo de alimentos industrializados e fatores associados em adultos e idosos residentes no Município de São Paulo. Dissertação de Mestrado em Saúde Pública. USP-SP. São Paulo. 2008.

-Brasil. Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. 2014.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Alimentação saudável para a pessoa idosa: um manual para profissionais de saúde. 2009. p. 36.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. VIGITEL Brasil 2007: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília. IBGE. 2008.

-Campos Fell Amado, T.; Grande de Arruda, I.K.; Ferreira, R.; Anderson, R. Aspectos alimentares, nutricionais e de saúde de idosas atendidas no Núcleo de Atenção ao Idoso - NAI, Recife/2005. Archivos Latinoamericanos de Nutrición. Vol. 57. Num. 4. 2007. p. 366-372.

-Fazzio, D.M.G. Envelhecimento e qualidade de vida: uma abordagem nutricional e alimentar. Revista de Divulgação Científica Sena Aires. Vol. 1. Num. 1. 2012. p. 76-88.

-Franchi, K.M.B.; Junior, R.M.M. Atividade física: uma necessidade para a boa saúde na terceira idade. Rev. Perspectivas e controvérsias. Vol. 18. Num. 3. 2005. p. 152-156.

-Frank, A.; Soares, E.A. Nutrição no envelhecer. 2ª edição revisada e atualizada. São Paulo. Atheneu. 2012. p. 300.

-Lipschitz, D.A. Screening for nutritional status in the elderly. Primary Care. Vol. 21. Num. 1. 1994. 55-67.

-Malik, V.S.; Willett, W.C.; Hu, F.B. Global obesity: trends, risk factors and policy implications. Nature Reviews Endocrinology. Vol. 9. Num. 1. 2013. p. 13-27.

-Matias, G.F.S.; Martins, A.A.A.; Silva, F.D.; Bezerra, I.M.P.; Antão, J.Y.F.L.; Sousa, M.S. Prática de atividade física para a pessoa idosa: revelando a importância. Revista Convibra. 2011.

-Neutzling, M.B.; Rombaldi, A.J.; Azevedo, M.R.; Hallal, P.C. Fatores associados ao consumo de frutas, legumes e verduras em adultos de uma cidade no Sul do Brasil. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 25. Num.11. 2009. p.2365-2374.

-Nicklett, E.J.; Kadell, A.R. Fruit and vegetable intake among older adults: A scoping review. Maturitas. Vol. 75. Num. 4. 2013. p. 305-312.

-Pereira, R.J.; Cotta, R.M.M.; Franceschini, S.D.C.C. Fatores associados ao estado nutricional no envelhecimento. Revista Médica de Minas Gerais. Vol. 16. Num. 3. 2006. p. 160-164.

-Silveira, E.A.; Martins, B.B.; Abreu, L.R.S.D.; Cardoso, C.K.D.S. Baixo consumo de frutas, verduras e legumes: fatores associados em idosos em capital no Centro-Oeste do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 20. Num. 12. 2015. p. 3689-3699.

-Souza, B.B.D.; Cembranel, F.; Hallal, A.L.C.; d’Orsi, E. Consumo de frutas, legumes e verduras e associação com hábitos de vida e estado nutricional: um estudo prospectivo em uma coorte de idosos. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 24. Num. 4. 2019. p. 1463-1472.

-Tavares, E.L.; Anjos, L.A.D. Perfil antropométrico da população idosa brasileira. Resultados da Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 15. Num. 4. 1999. p. 759-68.

-Viana, D.S.; Fernandes, E.P.; Paz, L.D.C.G.; Cruz, M.A.D.A.S. Análise da dieta habitual às recomendações nutricionais em pacientes atendidos em consultório particular. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol. 1. Num. 3. 2012. p. 55 -59.

-Viebig, R.F.; Pastor-Valero, M.; Scazufca, M.; Menezes, P.R. Consumo de frutas e hortaliças por idosos de baixa renda na cidade de São Paulo. Revista de Saúde Pública. Vol. 43. Num. 5. 2009. p.806-813.

-Vitolo, M.R. Nutrição: da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro. Rubio. 2014. p. 576.

Publicado
2020-05-17
Como Citar
Lovatto, A. W., Molz, P., & Franke, S. I. R. (2020). Fatores associados ao consumo de frutas, verduras e alimentos industrializados em idosos. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 13(82), 984-991. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1103
Seção
Artigos Científicos - Original