Efeito da educação em saúde no estado nutricional de pessoas com diabetes mellitus tipo II assistidos pela atenção primária a saúde

  • Núbia Laiane Gonçalves Ramos Instituto de Ciências da Saúde (ICS), Faculdades Unidas do Norte de Minas (Funorte), Montes Claros-MG, Brasil.
  • Gercília Dias Oliveira Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna (FASI), Montes Claros-MG, Brasil.
  • Andressa Lima Ferreira Instituto de Ciências da Saúde (ICS), Faculdades Unidas do Norte de Minas (Funorte), Montes Claros-MG, Brasil.
  • Alenice Aliane Fonseca Programa de pós-graduação em Reabilitação e Desempenho Funcional, Universidade Federal dos Vales Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Diamantina-MG, Brasil.
  • Debora Ribeiro Vieira Departamento de Oncologia, Hospital Dilson Godinho, Brasil.
  • Jaciara Neves Sousa Programa de pós-graduação em Ciências da Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros-MG, Brasil.
  • Éryka Jovânia Pereira Instituto de Ciências da Saúde (ICS), Faculdades Unidas do Norte de Minas (Funorte), Montes Claros-MG, Brasil.Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna (FASI), Montes Claros-MG, Brasil.
  • Josiane Santos Brant Rocha Programa de Pós-Graduação em Cuidados Primários em Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros-MG, Brasil.
  • Ronilson Ferreira Freitas Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros-MG, Brasil; Faculdades Integradas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros-MG, Brasil.
Palavras-chave: Educação em saúde, Estado nutricional, Diabetes Mellitus. Saúde da família

Resumo

Objetivo: Comparar o estado nutricional de pessoas com diabetes mellitus tipo II pré e pós-intervenção de educação em saúde. Métodos: Trata-se de um estudo longitudinal, prospectivo, de intervenção e não-controlado do tipo antes e depois. Os dados foram coletados a partir de um questionário que abordava aspectos sociodemográficos (idade, gênero, situação conjugal e cor da pele), e econômicos (renda familiar e escolaridade), para avaliação antropométrica utilizou-se a bioimpedância, onde foram coletadas as seguintes informações: peso, IMC, gordura corporal, massa muscular, gordura visceral, taxa metabólica basal e idade corporal. Foi realizada ainda a avaliação da glicemia capilar. A implementação da proposta educativa se efetivou em seis encontros, distribuídos ao longo de dois meses. As intervenções foram divididas por áreas de atuação, sendo realizadas intervenções com enfermeiro, biomédico, médico, farmacêutico, educador físico e nutricionista. Resultados: Foram avaliadas 25 pessoas de ambos os sexos, com média de idade de 62,3 anos. Após as intervenções de educação em saúde, foi possível observar reduções significativas no IMC (p=0,006), na Gordura Visceral (p=0,000), Taxa Metabólica Basal (p=0,010) e Circunferência Abdominal (p=0,003). Conclusão: Conclui-se que o estudo apontou que o estado nutricional de pessoas com DM tipo II é melhorado após as intervenções de educação em saúde, e que houve uma redução substancial no IMC, gordura visceral, taxa metabólica basal e circunferência abdominal do pré para a pós as ações.

Biografia do Autor

Núbia Laiane Gonçalves Ramos, Instituto de Ciências da Saúde (ICS), Faculdades Unidas do Norte de Minas (Funorte), Montes Claros-MG, Brasil.

Bacharel em Nutrição pelo Instituto de Ciências da Saúde, Faculdades Unidas do Norte de Minas – ICS/Funorte, Brasil.

Gercília Dias Oliveira, Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna (FASI), Montes Claros-MG, Brasil.

Graduanda em Nutrição pela Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna - FASI, Brasil

Andressa Lima Ferreira, Instituto de Ciências da Saúde (ICS), Faculdades Unidas do Norte de Minas (Funorte), Montes Claros-MG, Brasil.

Bacharel em Nutrição pelo Instituto de Ciências da Saúde, Faculdades Unidas do Norte de Minas - ICS/Funorte, Brasil.

Alenice Aliane Fonseca, Programa de pós-graduação em Reabilitação e Desempenho Funcional, Universidade Federal dos Vales Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Diamantina-MG, Brasil.

Mestranda em Reabilitação e Desempenho Funcional, Universidade Federal dos Vales Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM, Brasil.

Debora Ribeiro Vieira, Departamento de Oncologia, Hospital Dilson Godinho, Brasil.

Médica Residente em Radiologia pelo Hospital Dilson Godinho, Brasil.

Jaciara Neves Sousa, Programa de pós-graduação em Ciências da Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros-MG, Brasil.

Doutoranda em Ciências da Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes, Brasil.

Éryka Jovânia Pereira, Instituto de Ciências da Saúde (ICS), Faculdades Unidas do Norte de Minas (Funorte), Montes Claros-MG, Brasil.Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna (FASI), Montes Claros-MG, Brasil.

Doncente do Instituto de Ciências da Saúde, Faculdades Unidas do Norte de Minas – ICS/Funorte e Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna - FASI, Brasil.

Josiane Santos Brant Rocha, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Primários em Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros-MG, Brasil.

Docente do Programa de Pós-Graduação em Cuidados Primários em Saúde, Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes, Brasil.

Ronilson Ferreira Freitas, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros-MG, Brasil; Faculdades Integradas do Norte de Minas (FUNORTE), Montes Claros-MG, Brasil.

Doutorando em Ciências pela Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes, Brasil.

Referências

-Bordenave, J. E. D. Alguns fatores pedagógicos. In: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria Geral. Capacitação pedagógica para instrutor/supervisor. Área da saúde. Brasília. 1989. p. 19-26.

-Buchowski, M. S.; Townsend, K. M.; Chen, K. Y.; Acra, S. A.; Sun, M. Energy expenditure determined by self‐reported physical activity is related to body fatness. Obesity Research. Vol. 7. Num. 1. 1999. p. 23-33.

-Costa, C. S.; Schneider, B. C.; Cesar, J. A. Obesidade geral e abdominal em idosos do Sul do Brasil: resultados do estudo Como Vai?. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 21. Num. 1. 2016. p. 3585-3596.

-Dias, P. C.; Henriques, P.; Anjos, L. A. L.; Burlandy, L. Obesity and public policies: the Brazilian government’s definitions and strategies. Cad. Saúde Pública. Vol. 33. Num. 7. 2017. e00006016.

-Doll, J.; Ramos, A. C.; Buaes, C. S. Educação e envelhecimento. Educação & Realidade. Vol. 40. Num. 1. 2015. p. 9-15.

-França, C. J.; Carvalho, V. C. H. S. Estratégias de educação alimentar e nutricional na Atenção Primária à Saúde: uma revisão de literatura. Saúde Debate. Vol. 41. Num. 114. 2017. p. 932-948.

-Ershow, A. G. Environmental influences on development of type 2 diabetes and obesity: challenges in personalizing prevention and management. J Diabetes Sci Technol. Vol. 3. Num. 4. 2009. p. 727-34.

-Ferreira, A. P. S.; Szwarcwald, C. L.; Damacena, G. N. Prevalência e fatores associados da obesidade na população brasileira: estudo com dados aferidos da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Revista Brasileira de Epidemiologia. Vol. 22. 2019. e190024.

-Field, A. E.; Coakley, E. H.; Must, A.; Spadano, J. L.; Laird, N.; Dietz, W. H.; Rimm, E.; Colditz, G. A. Impact of overweight on the risk of developing common chronic diseases during a 10-year period. Archives of internal medicine. Vol. 161. Num. 13. 2001. p. 1581-1586.

-Hermann, S.; Rohrmann, S.; Linseisen, J.; May, A. M.; Kunst, A.; Besson, H. et al. The association of education with body mass index and waist circumference in the EPIC-PANACEA study. BMC Public Health. Vol. 11. Num. 1. 2011. p. 169.

-Iquize, R. C. C.; Theodoro, F. C. l. E. T.; Carvalho, K. A.; Oliveira, M. A.; Barros, J. F.; Silva, A. R. Práticas educativas no paciente diabético e perspectiva do profissional de saúde: uma revisão sistemática. Brazilian Journal of Nephrology. Vol. 39. Num. 2. 2017. 196-204.

-Johansson, G.; Wikman, A.; Ahrén, A. M.; Hallmans, G.; Johansson, I. Underreporting of energy intake in repeated 24-hour recalls related to gender, age, weight status, day of interview, educational level, reported food intake, smoking habits and area of living. Public Health Nutrition. Vol. 4. Num. 4. 2011. p. 919-927.

-Johansson, L.; Solvoll, K.; Bjørneboe, G. E.; Drevon, C. A. Under-and overreporting of energy intake related to weight status and lifestyle in a nationwide sample. The American Journal of Clinical Nutrition. Vol. 68. Num. 2. 1998. p. 266-274.

-Kasuga, M. Insulin resistance and pancreatic β cell failure. The Journal of Clinical Investigation. Vol. 116. Num. 7. 2006. p. 1756-1760.

-Maguerez, C. Elementos para uma pedagogia de massa na assistência técnica agrícola. In. Maguerez, C. Análise do sistema paulista de assistência à agricultura. Extraído do Relatório apresentado à Coordenadoria de Assistência Técnica Integral - CATI. Campinas. 1970.

-Malta, D. C.; Silva Júnior, J. B. O Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil e a definição das metas globais para o enfrentamento dessas doenças até 2025: uma revisão. Epidemiol. Serv. Saúde. Vol. 22. Num. 1. 2013. p. 151-164.

-Malta, D. C.; Santos, M. A. S., Andrade, S. S. C. A.; Oliveira, T. P.; Stopa, S. R.; Oliveira, M. M.; Jaime, P. Tendência temporal dos indicadores de excesso de peso em adultos nas capitais brasileiras, 2006-2013. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 21. Num.4. 2016. p.1061-1069.

-Naser, K. A.; Gruber, A.; Thomson, G. A. The emerging pandemic of obesity and diabetes: are we doing enough to prevent a disaster?. International Journal of Clinical Practice. Vol. 60. Num. 9. 2006. p. 1093-1097.

-Reis, C. E. G.; Vasconselos, I. A. L.; Oliveira, O. M. V. Panorama do estado antropométrico dos escolares brasileiros. Revista Paulista de Pediatria. Vol. 29. Num.1. 2011. p.108-16.

-Ribeiro, A. G.; Cotta, R. M. M.; Ribeiro, S. M. R. A Promoção da Saúde e a Prevenção Integrada dos Fatores de Risco para Doenças Cardiovasculares. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 17. Num. 1. 2012. p. 7-17.

-Saffari, M.; Pakpour, A. H.; Mohammadi-Zeidi, I.; Samadi, M.; Chen, H. Long-term effect of motivational interviewing on dietary intake and weight loss in Iranian obese/overweight women. Health Promotion Perspectives. Vol. 4. Num. 2. 2014. p. 206.

-Salci, M. A.; Meirelles, B. H. S.; Silva, D. M. G. V. Atenção primária às pessoas com diabetes mellitus na perspectiva do modelo de atenção às condições crônicas. Revista Latino-Americana de Enfermagem. Vol. 25. 2017. e2882.

-Souza, S. A.; Silva, A. B.; Cavalcante, U. M. B.; Lima, C. M. B. L.; Souza, T. C. Obesidade adulta nas nações: uma análise via modelos de regressão beta. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 34. Num. 8. 2018. e00161417.

Publicado
2020-10-17
Como Citar
Ramos, N. L. G., Oliveira, G. D., Ferreira, A. L., Fonseca, A. A., Vieira, D. R., Sousa, J. N., Pereira, Éryka J., Rocha, J. S. B., & Freitas, R. F. (2020). Efeito da educação em saúde no estado nutricional de pessoas com diabetes mellitus tipo II assistidos pela atenção primária a saúde. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 13(83), 1099-1105. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1139
Seção
Artigos Científicos - Original

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##