Sobrepeso e seus fatores de risco em estudantes universitários durante um curso de graduação

  • Amanda Silva de Oliveira Universidade Federal de Uberlândia, Campus Pontal, Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, Curso de Ciências Biológicas, Ituiutaba-MG, Brasil.
  • Alexandre Azenha Alves de Rezende Universidade Federal de Uberlândia, Campus Pontal, Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, Curso de Ciências Biológicas, Ituiutaba-MG, Brasil.
  • Luciana Karen Calábria Universidade Federal de Uberlândia, Campus Pontal, Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, Curso de Ciências Biológicas, Ituiutaba-MG, Brasil.
Palavras-chave: Comportamento sedentário, Dieta saudável, Estilo de Vida, Antropometria

Resumo

Objetivo: Avaliar a prevalência do excesso de peso associado aos fatores de risco e o estilo de vida de estudantes universitários no momento do ingresso e fim da graduação. Materiais e Métodos: Estudo de caráter transversal, realizado com 34 estudantes de uma Universidade pública em Ituiutaba-MG, que responderam questionário semi-estruturado sobre alimentação saudável e prática de atividade física. Medidas antropométricas de peso, estatura e circunferências abdominal e de quadril foram aferidas, além da análise do perfil lipídico. Resultados: Os dados obtidos revelaram aumento no perfil de sobrepeso (+14,7%) dos universitários ao final do curso, porém houve redução no número de indivíduos com circunferência de cintura inadequada aumentada (-17,7%) e com a relação cintura/quadril inadequada (-13,2%). Com relação aos fatores de risco, houve aumento do número de estudantes que consideravam sua alimentação não saudável (+23,5%) e não praticavam atividade física (+17,7%). A análise do perfil lipídico apresentou diminuição nos valores de risco de triglicérides (-4,4%), colesterol total (-8,9%) e suas frações HDLc (-45,7%) e LDLc (-17,7%). Conclusão: Conclui-se que a população de universitários investigada apresenta fatores de risco para sobrepeso, e que os padrões alimentares devem ser modificados e o sedentarismo deve ser combatido, visando assim, a prevenção das doenças crônicas não transmissíveis e a melhoria da qualidade de vida.

Biografia do Autor

Amanda Silva de Oliveira, Universidade Federal de Uberlândia, Campus Pontal, Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, Curso de Ciências Biológicas, Ituiutaba-MG, Brasil.

Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, Curso de Ciências Biológicas, Programa de Educação Tutorial PET BIO Pontal.

Alexandre Azenha Alves de Rezende, Universidade Federal de Uberlândia, Campus Pontal, Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, Curso de Ciências Biológicas, Ituiutaba-MG, Brasil.

Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, Curso de Ciências Biológicas, Área: Mutagênese.

Luciana Karen Calábria, Universidade Federal de Uberlândia, Campus Pontal, Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, Curso de Ciências Biológicas, Ituiutaba-MG, Brasil.

Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, Curso de Ciências Biológicas, Área: Bioquímica Clínica.

Referências

-Abeso. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Diretrizes Brasileiras de Obesidade 2016. 4ª edição. São Paulo. Abeso. 2016.

-Brasil. Ministério da Saúde. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: obesidade. Brasília. Ministério da Saúde. 2014a.

-Brasil. Ministério da Saúde. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: Norma Técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional - SISVAN. Brasília. Ministério da Saúde. 2011b.

-Brasil. Ministério da Saúde. Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília. Ministério da Saúde. 2011a.

-Brasil. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2016: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre a frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no distrito federal em 2016. Brasília. Ministério da Saúde. 2017.

-Brasil. Ministério da Saúde. Vigitel Brasil 2017: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre a frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no distrito federal em 2017. Brasília. Ministério da Saúde. 2018.

-Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Estratégia Intersetorial de Prevenção e Controle da Obesidade: recomendações para estados e municípios. Brasília. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. 2014b.

-Carlucci, E.M.S.; Gouvêa, J.A.G.; Oliveira, A.P.; Silva, J.D.; Cassiano, A.C.M.; Bennemann, R.M. Obesidade e sedentarismo: fatores de risco para doença cardiovascular. Comunicação em Ciências Saúde. Vol. 24. Num. 4. 2013. p. 375-384.

-Carvalho, C.A.; Fonseca, P.C.A.; Barbosa, J.B.; Machado, S.P.; Santos, A.M.; Silva, A.A.M. Associação entre fatores de risco cardiovascular e indicadores antropométricos de obesidade em universitários de São Luís, Maranhão, Brasil. Ciência e Saúde Coletiva. Rio de Janeiro. Vol. 20. Num. 2. 2015. p. 479-490.

-Coelho, V.G.; Caetano, L.F.; Liberatore Júnior, R.D.R.; Cordeiro, J.Á.; Souza, D.R.S. Perfil lipídico e fatores de risco para doenças cardiovasculares em estudantes de Medicina. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 85. Num. 1. 2005. p. 57-62.

-Fachineto, S.; Sá, C.A. Variação sazonal dos hábitos alimentares, prática de atividade física, composição corporal e pressão arterial de universitários. Cinergis. Vol. 8. Num. 2. 2007. p. 49-60.

-Faludi, A.A.; Izar, M.C.O.; Saraiva, J.F.K.; Chacra, A.P.M.; Bianco, H.T.; Afiune, N.A. Atualização da Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose - 2017. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Rio de Janeiro. Vol. 109. Núm. 2. Suppl 1. 2017. p. 1-76.

-Freire, V.A.F.; Calábria, L.K. Hábitos alimentares de universitários de um curso de Ciências Biológicas em Ituiutaba-MG. DêCiência em Foco. Vol. 2. Num. 2. 2018. p. 19-30.

-Freitas, R.W.J.F.; Araújo, M.F.M.; Lima, A.C.S.; Pereira, D.C.R.; Alencar, A.M.P.G.; Damasceno, M.M.C. Análise do perfil lipídico de uma população de estudantes universitários. Revista Latino-Americana de Enfermagem. Vol. 21. Num. 5. 2013. p. 1-8.

-Malta, D.C.; Bernal, R.T.I.; Lima, M.G.; Araújo, S.S.C.; Silva, M.M.A.; Freitas, M.I.F.; Barros, M.B.A. Doenças crônicas não transmissíveis e a utilização de serviços de saúde: análise da Pesquisa Nacional de Saúde no Brasil. Revista de Saúde Pública. São Paulo. Vol. 51. Sup 1:4s. 2017. p. 1-10.

-Molarius, A.; Seidell, J.C.; Sans, S.; Tuomilehto, J.; Kuulasmaa, K. Varying Sensitivity of Waist Action Levels to Identify Subjects with Overweight or Obesity in 19 Populations of The WHO MONICA Project. Journal of Clinical Epidemiology. Vol. 52. Num. 12. 1999. p. 1213-1224.

-Mori, C.O.; Cruz, K.C.M.; Baptista, M.S.; Lauria, V.T., Teixeira; C.V.L.S. Excesso de peso em universitários: estudo comparativo entre acadêmicos de diferentes cursos e sexos. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol. 11. Num. 68. 2017. p. 717-721.

-Palheta, J.C.P.; Lopes, P.D.; Borges, A.C.; Martins, S.V.; Melo, J.V.; Rosa, T.A.; Izidoro, L.F.M.; Rezende, A.A.A.; Calábria, L.K. Hábitos de vida e perfil lipídico de estudantes de uma universidade pública. Revista Horizonte Científico. Vol. 10. Num. 1. 2016. p. 1-16.

-Pereira, M.Á.V.; Terra, G.D.S.V.; Rodrigues, C.A.C. Mudanças de hábitos: uma análise da composição corporal e nutricional em universitários. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol. 9. Num. 54. 2015. p. 251-257.

-Pereira, R.A.; Sichieri, R.; Marins, V.M.R. Razão cintura/quadril como preditor de hipertensão arterial. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro. Vol. 15. Num. 2. 1999. p. 333-344.

-Pires, C.G.S.; Mussi, F.C. Excesso de peso em universitários ingressantes e concluintes de um curso de enfermagem. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem. Vol. 20. Num. 4. 2016. p. 1-5.

-Pouliot, M.C.; Després, J.P.; Lemieux, S.; Moorjani, S.; Bouchard, C.; Tremblay, A.; Nadeau, A.; Lupien, P.J. Waist circumference and abdominal sagittal diameter: Best simple anthropometric indexes of abdominal visceral adipose tissue accumulation and related cardiovascular risk in men and women. The American Journal of Cardiology. Vol. 73. Num. 7. 1994. p. 460-468.

-Sousa, T.F. Inatividade física em universitários brasileiros: uma revisão sistemática. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. Vol. 9. Num. 29. 2011. p. 47-55.

-World Health Organization. Global status report on noncommunicable diseases. Geneva. World Health Organization. 2014.

-World Health Organization. Noncommunicable diseases Country profiles 2018. Geneva. World Health Organization. 2018.

-World Health Organization. Noncommunicable Diseases Progress Monitor. Geneva. World Health Organization. 2017.

-World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic: report of a WHO consultation. Geneva. World Health Organization. 2000.

Publicado
2020-10-17
Como Citar
Oliveira, A. S. de, Rezende, A. A. A. de, & Calábria, L. K. (2020). Sobrepeso e seus fatores de risco em estudantes universitários durante um curso de graduação. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 14(85), 207-215. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1230
Seção
Artigos Científicos - Original