Indicadores antropométricos de risco cardiovascular em adultos

  • Victória Oliveira Dórea Universidade Federal do Oeste da Bahia, Barreiras, Bahia, Brasil.
  • Maria Luíza Amorim Sena Pereira Universidade Federal do Oeste da Bahia, Barreiras, Bahia, Brasil.
  • Adna Luciana de Souza Universidade Federal do Oeste da Bahia, Barreiras, Bahia, Brasil.
Palavras-chave: Doenças cardiovasculares, Antropometria, Indicador de risco.

Resumo

Introdução: As doenças crônicas não transmissíveis são um dos maiores problemas de saúde pública no mundo, com ênfase especial nas doenças cardiovasculares, que estão entre as principais causas de morbimortalidade. Nesse contexto, os indicadores antropométricos são ferramentas úteis para identificação precoce de fatores de risco cardiovascular. Objetivo: Este estudo teve como objetivo estimar o risco cardiovascular utilizando diferentes indicadores antropométricos e verificar a associação com o risco nutricional. Material e Métodos: Estudo retrospectivo, analítico descritivo, realizado a partir dos registros de anamnese nutricional de indivíduos atendidos em uma clínica escola. Os indicadores antropométricos de risco cardiovascular foram:  Circunferência da Cintura, Relação Cintura-Quadril, Índice de Conicidade, Razão Circunferência Cintura-Estatura e o Índice de massa corporal. Resultados: Foram incluídos 91 participantes, dos quais 87,9% eram do sexo feminino. Segundo o Índice de Massa Corporal, 76,9% estão acima do peso. A maioria da população apresentou risco cardiovascular, sendo a maior prevalência obtida na Circunferência da Cintura e Índice de conicidade (71,4%). Todos os indicadores antropométricos avaliados foram associados entre si. Conclusão: A prevalência de excesso de peso entre os pacientes atendidos no ambulatório da clínica escola é alta, assim como o risco cardiovascular. Os indicadores que melhor identificaram esse risco foram a Circunferência da Cintura e o Índice de Conicidade. Esses resultados destacam a necessidade de políticas públicas locais voltadas para a prevenção das doenças cardiovasculares.

Biografia do Autor

Victória Oliveira Dórea, Universidade Federal do Oeste da Bahia, Barreiras, Bahia, Brasil.

Graduanda em Nutrição pela Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro das Ciências Biológicas e da Saúde, Barreiras, Bahia, Brasil.

Maria Luíza Amorim Sena Pereira, Universidade Federal do Oeste da Bahia, Barreiras, Bahia, Brasil.

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Espírito Santo. Docente da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro das Ciências Biológicas e da Saúde, Barreiras, Bahia, Brasil.

Adna Luciana de Souza, Universidade Federal do Oeste da Bahia, Barreiras, Bahia, Brasil.

Doutora em Bioquímica e Imunologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Docente da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro das Ciências Biológicas e da Saúde, Barreiras, Bahia, Brasil.

Referências

-Almeida, R.T.; Almeida, M.M.G.; Araújo, T.M.; Lima, D.E.R. Prevalência de obesidade abdominal e fatores associados em trabalhadores de uma instituição de ensino superior. Rev Baiana de Saúde Pública. Vol. 35. Num. 4. 2011. p. 911-931.

-Almeida, T.S.O.; Fook, S.M.L.; Mariz, S.R. Associação entre etilismo e subsequente hipertensão arterial sistêmica: uma revisão sistematizada. Revista Saúde e Ciência Online. Vol. 5. Num.1. 2016. p. 76-90.

-Barroso, T.A; Marins, L.B.; Alves, R.; Gonçalves, A.C.; Barroso, S.G.; Rocha, G.S. Associação Entre a Obesidade Central e a Incidência de Doenças e Fatores de Risco Cardiovascular. International Journal of Cardiovascular Sciences. Vol. 30. Num. 5. 2017. p. 416-424.

-Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional. SISVAN, no serviço de saúde, Sistema Único de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Para todas as fases do curso da vida. Brasília. 2017.

-Caetano, K.A.; Almeida, I.F.; Peçanha, P.A.V.; Carvalho, F.D.; Teixeira, E.R.M.; Brandão, H.P. Indicadores Antropométricos e Desenvolvimento de Doença Cardiovascular em universitários: Um mapeamento da produção. Revista Cereus. Vol. 10. Num. 1. 2018. p. 111-129.

-Carvalho, C.A.; Fonseca, P.C.; Barbosa, J.B.A.; Machado, S.P.; Santos, A.M.; Silva, A.A.M. da. Associação entre fatores de risco cardiovascular e indicadores antropométricos de obesidade em universitários de São Luís, Maranhão, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 20. Num. 2. 2015. p. 479-490.

-Carvalho, E.V.; Costa, V.V.L.; Araújo, M.S.; Martens, I.B.G.; Sá, N.N.B.; Silva, R.A. Correlação entre o estado nutricional e o risco coronariano de adultos atendidos em uma ação educativa em Belém Pará. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo. Vol.10. Num.55. 2016. p.40-49.

-Carvalho, J.L.; Francieliane, J.B.; Blasi, T.C.; Mussoi, T.D. Perfil de pacientes atendidos em laboratório de práticas em nutrição clínica na região central do RS. Disciplinarum Scientia Série. Ciências da Saúde. Vol. 16. Num. 1. 2015. p. 137-145.

-Cichocki, M.; Fernandes, K.P.; Castro-Alves, D.C.; Gomes, M.V M. Atividade física e modulação do risco cardiovascular. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 23. Num. 1. 2017. p. 21-25.

-Dantas, E.M. S.; Pinto, C.J.; Freitas, R.P. A.; Medeiros, A.C.Q. Agreement in cardiovascular risk rating based on anthropometric parameters. Einstein. Vol. 13. Num. 3. 2015. p. 376-380.

-Ferriani, L. O.; Martins, L. V.; Pizetta, L.C.; Silva, D. A. | Concordância entre parâmetros antropométricos de obesidade na avaliação do risco cardiovascular em uma amostra de funcionários do setor de alimentação coletiva. Rev. Bras. Pesq. Saúde. Vol. 19. Num. 3. 2017. p. 128-134.

-Gong, R.; Cehm, M.H.; Peng, L.S.; Wei, S.L. Common genes in coronary artery disease from Europe, Asia, and North America regardless of race and lifestyle. Eur Rev Med Pharmacol Sci. Vol. 19. Num.6. 2015. p. 1092-1100.

-Gus, I.; Ribeiro, R.A.; Kato, S.; Bastos J.; Medina, C.; Zazlavsky, C. Variations in the Prevalence of Risk Factors for Coronary Artery Disease in Rio Grande do Sul-Brazil: A Comparative Analysis between 2002 and 2014. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 105. Num. 6. 2015. p. 573-579.

-Helfenstein, P.B.D.; Hermes, V.D.S.; Da Luz, F.P.T.; Benetti, F. Avaliação nutricional de pacientes com doenças crônicas não transmissíveis atendidos em um ambulatório de nutrição. Revista Interdisciplinar de Estudos em Saúde. Caçador.Vol. 7. Num. 1. 2019. p. 40.

-Lubin, J.H.; Couper, D.; Lutsey, P.L.; Woodward, M.; Yatsuya, H.; Huxley, R.R. Risk of cardiovascular disease from cumulative cigarette use and the impact of smoking intensity. Epidemiology. Vol. 27. Num. 3. 2016. p. 395-404.

-Malta, D.C.; Bernal, R.T.I.; Lima, M.G.; Araújo, S.S.C.; Silva, M.M.A.; Freitas, M.I.; Barros, M.B.A. Noncommunicable diseases and the use of health services: Analysis of the National Health Survey in Brazil. Revista de Saúde Publica. Vol. 51. Num. 1. 2017. p.4s.

-Massaroli, L.C.; Santos, L.C.; Carvalho, G.G.; Carneiro, S.A.J.F.; Rezende, L.F. de. Qualidade de vida e o IMC alto como fator de risco para doenças cardiovasculares: Revisão sistemática. Revista Da Universidade Vale Do Rio Verde, Vol. 16. Num. 1. 2018. p. 1-10.

-Moraes, K.D.; Araújo, A.P.; Santos, A.F.; Barbosa, J.M.A.; Martins, M.L.B. Correlação Entre O Índice De Massa Corporal e Indicadores Antropométricos de Risco Cardiovascular em Mulheres. Revista de Pesquisa em Saúde. Vol. 16. Num. 3. 2016. p. 175-181.

-Oliveira, L.C.S.; Oliveira, R.L.F.; Brandim, M.R.R. Indicadores antropométricos de obesidade na avaliação do risco cardiovascular em policiais militares. Revinter. Vol. 10. Num. 3. 2017. p. 71-85.

-Oliveira, M.A.M.; Fagundes, R.L.M.; Moreira, E.A.M.; Trindade, E.B.S.; Moraes.; Carvalho, T. Relación de indicadores antropométricos con factores de riesgo para enfermedad cardiovascular. Arq. Bras. Cardiol. Vol. 94. Num. 4. 2010. p. 478-485.

-Organização Mundial de Saúde (OMS). Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report of a WHO consultation. 3-5 Jun 1997. Geneva: World Health Organization. 1998. (WHO/NUT/98.1).

-Organização Mundial de Saúde (OMS). Obesity: preventing and managing the global epidemic: Report of a WHO Consultation. Geneva: World Health Organization. 2000. Technical Report Series. 894.

-Park, J.H.; Joh, H.K.; Lee, G.S.; Je, S.J.; Cho, S.H.; Kim S-J. Association between sedentary time and cardiovascular risk factors in Korean adults. Korean J Fam Med. Vol. 39. Num.1. 2018. p. 29-36.

-Pelegrini, A.; Silva, D.A.S.; Silva, J.M.F.D.L; Grigollo, L.; Petroski, E.L. Indicadores antropométricos de obesidade na predição de gordura corporal elevada em adolescentes. Revista Paulista de Pediatria. Vol. 33. Num. 1. 2015. p. 56-62.

-Picon, P.X.; Leitão, C.B.; Gerchman, F.; Azevedo, M.J.; Silveiro, S.P.; Gross, J.L. Medida da cintura e razão cintura/quadril e identificação de situações de risco cardiovascular: estudo multicêntrico em pacientes com diabetes melito tipo 2. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. Vol. 51. Num. 3. 2007. p. 443-449.

-Pitanga, F.J. Antropometria na avaliação da obesidade abdominal e risco coronariano. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. Vol. 13. Num. 3. 2011. p. 238-41.

-Pohl, H.H.; Arnold, E.F.; Dummel, K.L.; Cerentini, T.M.; Reuter, É.M.; Reckziegel, M.B. Indicadores Antropométricos e Fatores de Risco Cardiovascular em Trabalhadores Rurais. Revista Brasileira de Medicina do Esporte. Vol. 24. Num. 1. 2018. p. 64-68.

-Silveira, E.L.; Cunha, L.M da.; Pantoja, M.D.S.; Lima, A.V.M.; Cunha, A.N.N. Prevalência e distribuição de fatores de risco cardiovascular em portadores de doença arterial coronariana no Norte do Brasil. Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba. Vol. 20. Num. 3. 2018. p.167–173.

-Simões, K.S.; Dourado, K.F.; Campos, F. de A.C.S.; Barbosa, Y.A.C.O.; Andrade, M.I.S. Índice De Conicidade Como Indicador De Risco Cardiovascular Em Indivíduos Ovolactovegetarianos E Onívoros. Revista Brasileira de Nutrição Clinica. Vol. 29. Num. 3. 2014. p. 198-202.

-Valdez, R. A simple model-based index of abdominal adiposity. J Clin Epidemiol. Vol. 44. Num. 9. 1991. p. 955-6.

Publicado
2020-10-17
Como Citar
Dórea, V. O., Pereira, M. L. A. S., & Souza, A. L. de. (2020). Indicadores antropométricos de risco cardiovascular em adultos. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 14(85), 293-301. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/1261
Seção
Artigos Científicos - Original