Variáveis antropométricas e fatores de risco cardiovascular associados em Quilombolas Marajoaras

  • Yuri Freitas Cordovil Universidade Federal do Pará
  • Silvia dos Santos de Almeida Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Saúde, Quilombos, Influências, Testes, Riscos

Resumo

Introdução: Sabe-se que no Brasil as comunidades quilombolas enfrentam problemas associados à carência no acesso à saúde. Existem diversos fatores para o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, sendo a obesidade um fator explanatório. Com isso, procura-se preditores para a identificação desses riscos. Objetivo: Mostrar as influências existentes entre variá¡veis antropométricas e fatores de risco cardiovasculares em Quilombolas residentes da Ilha do Marajó no Pará. Materiais e Métodos: Foram inclusos 275 adultos (18 a 59 anos) a partir de uma amostra aleatória de 450 residentes em comunidades remanescentes de Quilombos, com erro amostral máximo de 4,12%. Foram utilizados testes não paramétricos, assim como se utilizou as: Análise Exploratória de Dados e Análise de Regressão e Correlação. Resultados: Os homens estão mais propensos à hipertensão arterial, já as mulheres apresentam valores mais altos de Índice de Massa Corporal e Circunferência da Cintura. A pressão arterial mostrou-se associada com a Circunferência da Cintura e Índice de Massa Corporal. Conclusão: Foi possí­vel visualizar que essa população encontra-se com risco de se adquirir cardiovasculares e que a Circunferência da Cintura e Índice de Massa Corporal conjuntamente são ótimos indicadores para a obesidade, sendo ambos bons fatores de risco cardiovascular em Quilombolas.

Biografia do Autor

Yuri Freitas Cordovil, Universidade Federal do Pará

Bacharelando de Estatí­stica - Instituto de Ciências Exatas e Naturais - Universidade Federal do Pará

Silvia dos Santos de Almeida, Universidade Federal do Pará

Professora Doutora da Faculdade de Estatí­stica do Instituto de Ciências Exatas e Naturais - Universidade Federal do Pará

Referências

-Andrade, F.T.; Martins, M.C.C.M.; Santos, M.A.P.; Leal, F.L.T.; Ferreira, A.H.C.F. Estimativa do percentual de gordura utilizando o IMC. Revista Brasileira de obesidade, nutrição e emagrecimento. Vol. 8. Núm. 47. 2014. p. 142-147. Disponível em: <http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/346/327>

-Andrade, S.S.A.; Stopa, S.R.; Brito, A.S.; Chueri, P.S.; Szwarcwald, C.L.; Malta, D.C.; Prevalência de hipertensão arterial autorreferida na população brasileira: análise da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde. Vol. 24. Núm. 2. 2015. p. 297-304.

-Ashwell, M. Obesity risk: important of the waist-to-height ratio. Nursing Standard. Vol. 23, Núm. 41. 2009. p. 49-54.

-Ayres, M. Elementos de Bioestatística – A Seiva do Açaizeiro. 2 ed. Belém. 2012. 588 p.

-Bezerra, V.M.; Andrade, A.C.S.; César, C.C.; Caiaffa, W.T. Comunidades quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil: hipertensão arterial e fatores associados. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 29. Núm. 9. 2013. p. 1889-1902

-Bolfarine, H.; Bussab, W.O. Elementos de Amostragem. 1 ed. São Paulo. Blucher. 2005. 268 p

-Brasil. Portal Brasil. Fundação Palmares certifica 29 comunidades quilombolas. Seção 1. Nº 10 de 23/01/2017. 2017. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2017/01/fundacao-palmares-certifica-29-comunidades-quilombolas>.

-Brasil. Decreto nº 4887, de 20 de novembro de 2003. Regulamenta o procedimento para identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos de que trata o art. 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos. Diário Oficial da União. Seção 1 de 21/11/2003. 2003. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2003/d4887.htm>.

-Burgos, M.S.; Burgos, L.T.; Camargo, M.D.; Franke, S.I.R.; Prá, D.; Silva, A.M.V. Borges, T.S.; Todendi, P.F.; Reckziegel, M.B.; Reuter, C.P. Associação entre Medidas Antropométricas e Fatores de Risco Cardiovascular em Crianças e Adolescentes. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 201. Núm. 4. 2013. p. 208-296.

-Bussab, W.O.; Morettin. P.A. Estatística Básica. 5ª edição. São Paulo. Brasil. Saraiva. 2005. 525 p.

-Carvalho, C.A.; Fonseca, P.C.A.; Barbosa, J.B.; Machado, S.P.; Santos, A.M.; Silva, A.A.M.S. Associação entre fatores de risco cardiovascular e indicadores antropométricos de obesidade em universitários de São Luís, Maranhão, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 20. Núm. 2. 2015. p. 479-490.

-Chor, D.; Ribeiro, A.L.; Carvalho, M.S.; Duncan, B.B.; Lotufo, P.A.; Nobre, A.A.; Aquino, E.M.; Schmidt, M.I.; Griep, R.H.; Molina Medel, C.; Barreto, S.M.; Passos, V.M.; Benseñor, I.J.; Matos, S.M.; Mill, J.G. Prevalence, awareness, treatment and influence of socioeconomic variables on control of high blood pressure: results of the ELSA-Brasil Study. PLOS One. Vol. 10. Núm. 6. 2015. p. 1-14.

-Fonseca, J. S.; Martins, G. A.; Toledo, G. L. Estatística Aplicada. 2ª edição. São Paulo. Atlas. 2008. 267 p.

-Freitas, D.A.; Caballero, A.D.; Marques, A.S.; Hernández, C.I.V.; Antunes, S.L.N.O. Saúde e Comunidades Quilombolas: Uma revisão da literatura. Revista CEFAC. São Paulo. Vol. 13. Num. 5. 2011. p. 937-943.

-Freitas, S.N.; Caiffa, W.T.; César, C.C.; Faria, V.A.; Nascimento, R.M.; Coelho, G.L.L.M. Risco nutricional na população urbana de Ouro Preto, Sudeste do Brasil: Estudo de Corações de Ouro Preto. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 88. Núm. 2. 2007. p. 191-199.

-International Diabetes Federation. IDF. The IDF consensus worldwide definition of the metabolic syndrome. Brussels. International Diabetes Federation. 2005. Disponível em: <https://www.idf.org/webdata/docs/MetS_def_update2006.pdf>

-Lima, W.A.; Glaner, M.F. Principais fatores relacionados às doenças cardiovasculares. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 8. Núm. 1. 2006. p. 92-104.

-Lipschitz, D.A. Screening for nutritional status in the elderly. Primary care. Vol. 21. Núm.1. 1994. p. 55-67.

-Mattos, J.R.L.; Lima, E.D.B. Etnomatemática em uma Comunidade Quilombola. Atlas do XXV Seminário de Investigação em Educação Matemática. 2014. Braga. Associação de Professores de Matemática. p. 205-215. Disponível em: <http://www.apm.pt/files/_P12_5343622f24ab3.pdf>

-Nascente, F.M.N.; Jardim, P.C.B.V.; Peixoto, M.R.G.; Monego, E.T.; Moreira. H.G.; Vitorino, P.V.O.; Souza, W.K.S.B.; Scala. L.N. Hipertensão Arterial e sua Correlação com alguns Fatores de Risco em Cidade Brasileira de Pequeno Porte. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 95. Núm. 4. 2010. p. 502-509.

-Nascimento-Neto, R.M.; Pereira. A.C.; Coelho, G.L.; Krieger, J.E. Sociedade Brasileira de Cardiologia. Atlas corações do Brasil. Rio de Janeiro. 2006.

-Notto, V.O.; Brandão. V.L.; Alves, A.F.; Silva, L.M.; D’Alessandro, W.B. Associação entre índice de massa corporal e circunferência da cintura com hipertensão arterial sistêmica em caminhoneiros. Revista Cereus. Vol. 9. Núm. 1. 2017. p. 166-177.

-Oliveira, M.A.M.; Fagundes, R.L.M.; Moreira, E.A.M.; Trindade, E.B.S.M.; Carvalho, T. Relação de Indicadores Antropométricos com Fatores de Risco para Doença Cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 94. Núm. 4. 2010. p. 478-485.

-Organização Pan-americana de Saúde. Organização Mundial de Saúde. OPS/WHO. Cardiovascular Doenças Cardiovasculares. Brasília. Ministério da Saúde. 2016. Disponível em: <http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5253%3Adoencascardiovasculares&catid=845%3Anoticias&Itemid=839>

-Organização Pan-americana de Saúde. Organização Mundial de Saúde. OPS/WHO. Doenças crônico degenerativas e obesidade: estratégia mundial sobre alimentação saudável, atividade física e saúde. Brasília. Ministério da saúde. 2003. Disponível em: <https://www.opas.org.br/wpcontent/uploads/2015/09/d_cronic.pdf>

-Pollock, M.L.; Wilmore, J.H. Exercício na Saúde e na Doença: Avaliação e prescrição para prevenção e reabilitação. 2ª edição. Rio de Janeiro. Editora Medsi. 1993. 362 p.

-Rezende, F.A.C.; Rosado. L.E.F.P.L.; Ribeiro, R.C.L.; Vidigal, F.C.; Vasques, A.C.J.; Bonard, I.S.; Carvalho, C.R. Ãndice de massa corporal e circunferência abdominal: associação com fatores de risco cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 87. Núm. 6. 2006. p. 728-734.

-Rezende, F.; Rosado, L.; Fransceschinni, S.; Rosado, G.; Ribeiro, R.; Marins, J.C.B.M. Revisão crítica dos métodos disponíveis para avaliar a composição corporal em grandes estudos populacionais e clínicos. Arquivos Latinoamericanos de Nutrición. Vol. 57. Núm. 4. 2007. p. 327-334.

-Scala, L.C.; Braga, F.D.J.; Cassanelli, T.; Borges, L.M.; Weissheimer, F.L. Hipertensão arterial e atividade física em uma capital brasileira. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 2015. Vol. 105. Núm. 3. supl. 1. p. 1-20.

-Silva, L.R.; Jorge, S.R.; Pereira, J.L. Relação entre gordura corporal, circunferência de cintura, imc e idade. FIEP Bulletin. Vol. 78. Núm. 2. 2008. p. 634-636.

-Silva, T.S.S.; Bomfim, C.A.; Leita, T.C.R.; Moura, C.S.; Belo, N.O.; Tomazi, L. Hipertensão arterial e fatores associados em uma comunidade quilombola da Bahia, Brasil. Cardernos Saúde Coletiva. Vol. 24. Núm. 3. 2016. p. 276-283.

-Soares, D.A.; Barreto, S.M. Indicadores nutricionais combinados e fatores associados em população Quilombola no Sudoeste da Bahia, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 20. Núm. 3. 2015. p. 821-832.

-Soares, D.A.; Barreto, S.M. Sobrepeso e obesidade abdominal em adultos quilombolas, Bahia, Brasil. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 30. Núm. 2. 2014. p. 341-354.

-Sociedade Brasileira de Cardiologia. SBC. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 107. Núm. 3. 2016. p. 1-83.

-Sociedade Brasileira de Cardiologia. SBC. Sociedade Brasileira de Hipertensão. SBH. Sociedade Brasileira de Nefrologia. SBN. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 95. Núm. 1. 2010. p. 1-51.

-World Health Organization. WHO. Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Geneva. World Health Organization. 1995. Technical Report Series. 854.

Publicado
2018-06-25
Como Citar
Cordovil, Y. F., & Almeida, S. dos S. de. (2018). Variáveis antropométricas e fatores de risco cardiovascular associados em Quilombolas Marajoaras. RBONE - Revista Brasileira De Obesidade, Nutrição E Emagrecimento, 12(71), 406-415. Recuperado de http://www.rbone.com.br/index.php/rbone/article/view/718
Seção
Artigos Cientí­ficos - Original