Variáveis antropométricas e fatores de risco cardiovascular associados em Quilombolas Marajoaras

Yuri Freitas Cordovil, Silvia dos Santos de Almeida

Resumo


Introdução: Sabe-se que no Brasil as comunidades quilombolas enfrentam problemas associados à carência no acesso à saúde. Existem diversos fatores para o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, sendo a obesidade um fator explanatório. Com isso, procura-se preditores para a identificação desses riscos. Objetivo: Mostrar as influências existentes entre variáveis antropométricas e fatores de risco cardiovasculares em Quilombolas residentes da Ilha do Marajó no Pará. Materiais e Métodos: Foram inclusos 275 adultos (18 a 59 anos) a partir de uma amostra aleatória de 450 residentes em comunidades remanescentes de Quilombos, com erro amostral máximo de 4,12%. Foram utilizados testes não paramétricos, assim como se utilizou as: Análise Exploratória de Dados e Análise de Regressão e Correlação.  Resultados: Os homens estão mais propensos à hipertensão arterial, já as mulheres apresentam valores mais altos de Índice de Massa Corporal e Circunferência da Cintura. A pressão arterial mostrou-se associada com a Circunferência da Cintura e Índice de Massa Corporal.  Conclusão: Foi possível visualizar que essa população encontra-se com risco de se adquirir cardiovasculares e que a Circunferência da Cintura e Índice de Massa Corporal conjuntamente são ótimos indicadores para a obesidade, sendo ambos bons fatores de risco cardiovascular em Quilombolas.

 

ABSTRACT 

Anthropometric variables and associated cardiovascular risk factors in Quilombolas Marajoaras

Introduction: It is known that in Brazil, quilombolas communities face problems associated with the lack of acess to health care. There are several factors for the risk of developing cardiovascular diseases and obesity is an explanatory factor. With this, we are looking for predictors to identify these risks. Objective: Based on the health measures of the residents of quilombolas of the Marajó Island in Pará, to show the influences between anthropometric variables and cardiovascular risk factors. Materials and Methods: 275 adults (18-59 years old) were included in a random sample of 450 residents in quilombolas communities, with a maximum sampling error of 4,12%. Non-parametric Tests were used, as well as: Explanatory Data Analysis and Regression and Correlation Analysis.  Results: Men are more prone to hypertension, while women have higher values for body mass index and waist circumference. Blood pressure is associated with waist circumference and body mass index. Conclusion: It was possible to visualize that this population is at risk of acquiring cardiovascular diseases and that the waist circumference and body mass index together are excellent indicators for obesity, both are good cardiovascular risk factors.


Palavras-chave


Saúde; Quilombos; Influências; Testes; Riscos

Texto completo:

PDF

Referências


-Andrade, F.T.; Martins, M.C.C.M.; Santos, M.A.P.; Leal, F.L.T.; Ferreira, A.H.C.F. Estimativa do percentual de gordura utilizando o IMC. Revista Brasileira de obesidade, nutrição e emagrecimento. Vol. 8. Núm. 47. 2014. p. 142-147. Disponível em:

-Andrade, S.S.A.; Stopa, S.R.; Brito, A.S.; Chueri, P.S.; Szwarcwald, C.L.; Malta, D.C.; Prevalência de hipertensão arterial autorreferida na população brasileira: análise da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde. Vol. 24. Núm. 2. 2015. p. 297-304.

-Ashwell, M. Obesity risk: important of the waist-to-height ratio. Nursing Standard. Vol. 23, Núm. 41. 2009. p. 49-54.

-Ayres, M. Elementos de Bioestatística – A Seiva do Açaizeiro. 2 ed. Belém. 2012. 588 p.

-Bezerra, V.M.; Andrade, A.C.S.; César, C.C.; Caiaffa, W.T. Comunidades quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil: hipertensão arterial e fatores associados. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 29. Núm. 9. 2013. p. 1889-1902

-Bolfarine, H.; Bussab, W.O. Elementos de Amostragem. 1 ed. São Paulo. Blucher. 2005. 268 p

-Brasil. Portal Brasil. Fundação Palmares certifica 29 comunidades quilombolas. Seção 1. Nº 10 de 23/01/2017. 2017. Disponível em: .

-Brasil. Decreto nº 4887, de 20 de novembro de 2003. Regulamenta o procedimento para identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos de que trata o art. 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos. Diário Oficial da União. Seção 1 de 21/11/2003. 2003. Disponível em: .

-Burgos, M.S.; Burgos, L.T.; Camargo, M.D.; Franke, S.I.R.; Prá, D.; Silva, A.M.V. Borges, T.S.; Todendi, P.F.; Reckziegel, M.B.; Reuter, C.P. Associação entre Medidas Antropométricas e Fatores de Risco Cardiovascular em Crianças e Adolescentes. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 201. Núm. 4. 2013. p. 208-296.

-Bussab, W.O.; Morettin. P.A. Estatística Básica. 5ª edição. São Paulo. Brasil. Saraiva. 2005. 525 p.

-Carvalho, C.A.; Fonseca, P.C.A.; Barbosa, J.B.; Machado, S.P.; Santos, A.M.; Silva, A.A.M.S. Associação entre fatores de risco cardiovascular e indicadores antropométricos de obesidade em universitários de São Luís, Maranhão, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 20. Núm. 2. 2015. p. 479-490.

-Chor, D.; Ribeiro, A.L.; Carvalho, M.S.; Duncan, B.B.; Lotufo, P.A.; Nobre, A.A.; Aquino, E.M.; Schmidt, M.I.; Griep, R.H.; Molina Medel, C.; Barreto, S.M.; Passos, V.M.; Benseñor, I.J.; Matos, S.M.; Mill, J.G. Prevalence, awareness, treatment and influence of socioeconomic variables on control of high blood pressure: results of the ELSA-Brasil Study. PLOS One. Vol. 10. Núm. 6. 2015. p. 1-14.

-Fonseca, J. S.; Martins, G. A.; Toledo, G. L. Estatística Aplicada. 2ª edição. São Paulo. Atlas. 2008. 267 p.

-Freitas, D.A.; Caballero, A.D.; Marques, A.S.; Hernández, C.I.V.; Antunes, S.L.N.O. Saúde e Comunidades Quilombolas: Uma revisão da literatura. Revista CEFAC. São Paulo. Vol. 13. Num. 5. 2011. p. 937-943.

-Freitas, S.N.; Caiffa, W.T.; César, C.C.; Faria, V.A.; Nascimento, R.M.; Coelho, G.L.L.M. Risco nutricional na população urbana de Ouro Preto, Sudeste do Brasil: Estudo de Corações de Ouro Preto. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 88. Núm. 2. 2007. p. 191-199.

-International Diabetes Federation. IDF. The IDF consensus worldwide definition of the metabolic syndrome. Brussels. International Diabetes Federation. 2005. Disponível em:

-Lima, W.A.; Glaner, M.F. Principais fatores relacionados às doenças cardiovasculares. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano. Vol. 8. Núm. 1. 2006. p. 92-104.

-Lipschitz, D.A. Screening for nutritional status in the elderly. Primary care. Vol. 21. Núm.1. 1994. p. 55-67.

-Mattos, J.R.L.; Lima, E.D.B. Etnomatemática em uma Comunidade Quilombola. Atlas do XXV Seminário de Investigação em Educação Matemática. 2014. Braga. Associação de Professores de Matemática. p. 205-215. Disponível em:

-Nascente, F.M.N.; Jardim, P.C.B.V.; Peixoto, M.R.G.; Monego, E.T.; Moreira. H.G.; Vitorino, P.V.O.; Souza, W.K.S.B.; Scala. L.N. Hipertensão Arterial e sua Correlação com alguns Fatores de Risco em Cidade Brasileira de Pequeno Porte. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 95. Núm. 4. 2010. p. 502-509.

-Nascimento-Neto, R.M.; Pereira. A.C.; Coelho, G.L.; Krieger, J.E. Sociedade Brasileira de Cardiologia. Atlas corações do Brasil. Rio de Janeiro. 2006.

-Notto, V.O.; Brandão. V.L.; Alves, A.F.; Silva, L.M.; D’Alessandro, W.B. Associação entre índice de massa corporal e circunferência da cintura com hipertensão arterial sistêmica em caminhoneiros. Revista Cereus. Vol. 9. Núm. 1. 2017. p. 166-177.

-Oliveira, M.A.M.; Fagundes, R.L.M.; Moreira, E.A.M.; Trindade, E.B.S.M.; Carvalho, T. Relação de Indicadores Antropométricos com Fatores de Risco para Doença Cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 94. Núm. 4. 2010. p. 478-485.

-Organização Pan-americana de Saúde. Organização Mundial de Saúde. OPS/WHO. Cardiovascular Doenças Cardiovasculares. Brasília. Ministério da Saúde. 2016. Disponível em:

-Organização Pan-americana de Saúde. Organização Mundial de Saúde. OPS/WHO. Doenças crônico degenerativas e obesidade: estratégia mundial sobre alimentação saudável, atividade física e saúde. Brasília. Ministério da saúde. 2003. Disponível em:

-Pollock, M.L.; Wilmore, J.H. Exercício na Saúde e na Doença: Avaliação e prescrição para prevenção e reabilitação. 2ª edição. Rio de Janeiro. Editora Medsi. 1993. 362 p.

-Rezende, F.A.C.; Rosado. L.E.F.P.L.; Ribeiro, R.C.L.; Vidigal, F.C.; Vasques, A.C.J.; Bonard, I.S.; Carvalho, C.R. Índice de massa corporal e circunferência abdominal: associação com fatores de risco cardiovascular. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 87. Núm. 6. 2006. p. 728-734.

-Rezende, F.; Rosado, L.; Fransceschinni, S.; Rosado, G.; Ribeiro, R.; Marins, J.C.B.M. Revisão crítica dos métodos disponíveis para avaliar a composição corporal em grandes estudos populacionais e clínicos. Arquivos Latinoamericanos de Nutrición. Vol. 57. Núm. 4. 2007. p. 327-334.

-Scala, L.C.; Braga, F.D.J.; Cassanelli, T.; Borges, L.M.; Weissheimer, F.L. Hipertensão arterial e atividade física em uma capital brasileira. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 2015. Vol. 105. Núm. 3. supl. 1. p. 1-20.

-Silva, L.R.; Jorge, S.R.; Pereira, J.L. Relação entre gordura corporal, circunferência de cintura, imc e idade. FIEP Bulletin. Vol. 78. Núm. 2. 2008. p. 634-636.

-Silva, T.S.S.; Bomfim, C.A.; Leita, T.C.R.; Moura, C.S.; Belo, N.O.; Tomazi, L. Hipertensão arterial e fatores associados em uma comunidade quilombola da Bahia, Brasil. Cardernos Saúde Coletiva. Vol. 24. Núm. 3. 2016. p. 276-283.

-Soares, D.A.; Barreto, S.M. Indicadores nutricionais combinados e fatores associados em população Quilombola no Sudoeste da Bahia, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 20. Núm. 3. 2015. p. 821-832.

-Soares, D.A.; Barreto, S.M. Sobrepeso e obesidade abdominal em adultos quilombolas, Bahia, Brasil. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 30. Núm. 2. 2014. p. 341-354.

-Sociedade Brasileira de Cardiologia. SBC. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 107. Núm. 3. 2016. p. 1-83.

-Sociedade Brasileira de Cardiologia. SBC. Sociedade Brasileira de Hipertensão. SBH. Sociedade Brasileira de Nefrologia. SBN. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Vol. 95. Núm. 1. 2010. p. 1-51.

-World Health Organization. WHO. Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Geneva. World Health Organization. 1995. Technical Report Series. 854.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui