Problematizando a prática do aleitamento materno em gestantes atendidas em unidades de saúde

Carina Garcia Tatsch, Francisca Maria Assmann Wichmann

Resumo


O leite materno é o alimento ideal para o crescimento e desenvolvimento adequado do bebê. O objetivo do estudo foi problematizar a interferência de padrões socialmente condicionados, como crenças, mitos e tabus sobre a prática do aleitamento materno em gestantes atendidas em unidades de saúde do município de Vera Cruz-RS. O estudo é transversal, quantitativo e qualitativo. A amostra por conveniência foi constituída por 96 gestantes atendidas em duas unidades de saúde, no período de pré-natal, nos meses de março a abril de 2015. Utilizou-se um questionário semiestruturado, contemplando dados gestacionais e socioeconômicos, assim como as interferências positivas e negativas sobre a amamentação. Para a análise estatística foi aplicado o teste do qui-quadrado que verificou a associação entre idade, número de gestações, escolaridade, renda e mitos sobre o aleitamento materno. Referente à paridade, 52,1% (n=50) referiram que eram primigestas e 47,9% (n=46) multigestas; 91,7% (n=88) afirmaram que a prática da amamentação traz benefícios para a saúde da criança ou da mulher. Foram obtidos resultados estatisticamente significantes entre número de gestações, idade e crenças sobre o aleitamento materno. A identificação dos mitos sobre a prática da amamentação possibilita a formulação de políticas públicas voltadas para o aspecto educativo que facilitem a difusão de informações sobre os benefícios do aleitamento materno, além de oferecer às mães instruções sobre as técnicas adequadas de amamentação.

 

ABSTRACT 

Problematizing the practice of breastfeeding in pregnant women attended in health units

Breast milk is the ideal food for proper growth and development of the baby. The objective of the study was to problematize the interference of socially conditioned patterns, such as beliefs, myths and taboos about the practice of breastfeeding in pregnant women attending health units in the city of Vera Cruz-RS. The study is cross-sectional, quantitative and qualitative. The convenience sample consisted of 96 pregnant women attending two health units in the prenatal period, in the months from March to April 2015. We used a semi structured questionnaire, covering pregnancy and socioeconomic data, as well as the positive and negative interference on the breastfeeding. For the statistical analysis we applied the chi-square test that analyzes the association between age, number of pregnancies, education, income and myths about breastfeeding. Refer to parity, 52,1% (n=50) reported that they was primigravida and 47,9% (n=46) multigravida; 91,7% (n=88) asserted that the breastfeeding benefits the health of the child or of the woman. Statistically significant results were obtained between number of pregnancies, age and beliefs about breastfeeding. The identification of the myths about breastfeeding allows the formulation of public policies for the educational aspect to facilitate the dissemination of information about the benefits of breastfeeding, and offers mothers instruction on the proper techniques of breastfeeding.


Palavras-chave


Aleitamento materno; Gestantes; Tabu

Texto completo:

PDF

Referências


-American Academy of Pediatrics. Breastfeeding and the of human milk. Pediatrics. Vol. 2. Num. 2. 2005. p. 496-506.

-Antunes, L. S.; Antunes, L. A. A.; Corvino, M. P. F.; Maia, L. C. Amamentação natural como fonte de prevenção em saúde. Ciência & saúde coletiva. Rio de Janeiro. Vol. 13. Num. 1. 2008. p. 103-109.

-Baptista, G. H.; Andrade, A. H. H. K. Gonçalves, G. S. R. Fatores associados à duração do aleitamento materno em crianças de famílias de baixa renda da região sul da cidade de Curitiba, Paraná, Brasil. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 25. Num. 3. 2009. p. 596-604.

-Brasileiro, A. A.; Ambrosano, G. M. B.; Marba, S. T. M.; Possobon, R. F. A amamentação entre filhos de mulheres trabalhadoras. Revista de Saúde Pública. Vol. 46. Num. 4. 2012. p. 642-648.

-Brasil. Ministério da Saúde. Saúde da criança: aleitamento materno e alimentação complementar. Brasília: Ministério da Saúde, 2015. Disponível em: . Acesso em: 20/12/2017.

-Campos, A. A. O.; Ribeiro, R. C. L.; Santana, L. F. R.; Castro, F. A. F. C.; Reis, R. S.; Oliveira, C. A.; Cotta, R. M. M. Práticas de aleitamento materno: lacuna entre o conhecimento e a incorporação do saber. Revista Médica de Minas Gerais. Vol. 21. Num. 2. 2011. p. 161-167.

-Chaves, R. G.; Lamounier, J. A.; César, C. C. Fatores associados com a duração do aleitamento materno. Jornal de Pediatria. Porto Alegre. Vol. 83. Num. 3. 2007. p. 241-243.

-Frota, M. A.; Mamede, A. L. S.; Vieira, L. J. E. S.; Albuquerque, C. M.; Martins, M. C. Práticas culturais sobre o aleitamento materno entre famílias cadastradas em um Programa de Saúde da Família. Revista da Escola de Enfermagem da USP. Vol. 43, Num. 4. 2009. p. 895-901.

-Lins, A. H.; Terrengui, L. C. S. Mitos e tabus sobre o aleitamento materno. Revista de Enfermagem UNISA. Vol. 11. Num. 2. 2010. p. 87-89.

-Machado, A. K. F.; Elert, V. W.; Pretto, A. D. B.; Pastore, C. A. Intenção de amamentar e de introdução de alimentação complementar de puérperas de um Hospital-Escola do sul do Brasil. Ciência & saúde coletiva. Rio de Janeiro. Vol. 19. Num. 7. 2014. p. 1983-1989.

-Marques, E. S.; Cotta, R. M. M.; Priore, S. E. Mitos e crenças sobre o aleitamento materno. Ciência & saúde coletiva. Vol. 16. Num. 5. 2011. p. 2461-2468.

-Passanha, A.; Benício, M. H. D’A.; Venâncio, S. I.; Reis, M. C. G. Implantação da Rede Amamenta Brasil e prevalência de aleitamento materno exclusivo. Revista de Saúde Pública. São Paulo. Vol. 47. Num. 6. 2013. p. 1141-1148.

-Ramos, C. V.; Almeida, J. A. G. Alegações maternas para o desmame: estudo qualitativo. Jornal de Pediatria. Vol. 79. Num. 5. 2003. p. 385-390.

-Santos, V. L. F.; Soler, Z. A. S. G.; Azoubel, R. Alimentação de crianças no primeiro semestre de vida: enfoque no aleitamento materno exclusivo. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil. Vol. 5. Num. 3. 2005. p. 283-291.

-Sandre-Pereira, G.; Colares, L. G. T.; Carmo, M. G. T.; Soares, E. A. Conhecimentos maternos sobre amamentação entre puérperas inscritas em programa de pré-natal. Cadernos de Saúde Pública. Vol. 16. Num. 2. 2000. p. 457-466.

-Santana, J. M.; Brito, S. M.; Santos, D. B. Amamentação: conhecimento e prática de gestantes. O Mundo da Saúde. São Paulo. Vol. 37. Num 3. 2013. p. 259-267.

-Soares, M. E. M.; Giugliani, E. R. J.; Braun, M. L.; Salgado, A. C. N.; Oliveira, A. P. A. P. R. Uso de chupeta e sua relação com o desmame precoce em população de crianças nascidas em Hospital Amigo da Criança. Jornal de Pediatria (Rio de Janeiro). Vol. 79. Num. 4. 2003. p. 309-316.

-Takushi, S. A. M.; Tanaka, A. C. A.; Gallo, P. R.; Machado, M. A. M. P. Motivação de gestantes para o aleitamento materno. Revista de Nutrição. Campinas. Vol. 21. Num. 5. 2008. p. 491-502.

-Toma, T. S.; Rea, M. F. Benefícios da amamentação para a saúde da mulher e da criança: um ensaio sobre as evidências. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro. Vol. 24. Num. 2. 2008. p. 235-246.

-World Health Organization. Global strategy for infant and young child feeding. World Health Assembly. 2001.

-Wold Health Organization. Indicators form assessing breastfeeding practices. WHO/CDD/SER [online]. 1991 [acesso em: 29 abr. 2015]. 16p. Disponível em: . Acesso em: 15/12/2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui