Hábitos de lazer em adultos praticantes de musculação

Francielly Sá, Nayra Silva, Luana Leão, Maria Maia

Resumo


Objetivo: Caracterizar os hábitos de lazer dos praticantes de musculação do Laboratório do Exercício da Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes. Material e métodos: Estudo descritivo, transversal e possui natureza exploratória. A amostra foi composta por 99 indivíduos praticantes de musculação sendo 33 do sexo masculino e 66 do sexo feminino, com idades entre 20 aos 48 anos com mais de seis meses de treino (não atletas), realizada em um único estágio (academia). Para a coleta de dados, utilizou-se um questionário autoaplicável com variáveis relativas à hábitos de lazer. Analisados através da estatística descritiva, utilizando os programas Excel e Statical Package for Social Science (SPSS), versão 18.0. Resultados e discussão: Participaram da pesquisa 99 alunos, 33,3% do sexo masculino e 66 66,6% do sexo feminino. Aproximadamente 50% dos participantes apresentaram renda de até dois mil reais, e 80,8% deles relataram ainda estar estudando. Os jovens praticantes de musculação frequentadores da academia têm o lazer lúdico como preferência. Quanto aos tipos de lazer em relação a residência dos investigados, foi constatado que quem mora em quitinete praticam o lazer lúdico e quem reside em casa ou apartamento próprio preferem o lazer hedônico. Conclusão: os resultados evidenciaram que os hábitos de lazer nos praticantes de musculação possuem o lazer lúdico com maior escore.

 

ABSTRACT

Adult leisure habits of bodybuilding practitioners

Objective: To characterize the recreation habits of bodybuilders of the Exercise Laboratory of the State University of Montes Claros - Unimontes. Material and methods: This is a descriptive, transversal study and exploratory nature. The sample consisted of 99 bodybuilders, 33 males and 66 females, aged 20 to 48 years with more than six months of training (non-athletes), performed in a single stage (gym). For the data collection, a self-administered questionnaire was used with variables related to recreation habits. Analyzed through the descriptive statistics, using the programs Excel and Statical Package for Social Science (SPSS), version 18.0. Results and discussion: 99 students participated in the study, 33.3% males and 66 (66.6%) females. Approximately 50% of the participants presented income of up to two thousand reais, and 80.8% of them reported they were still studying. The young bodybuilders attending the gym have playful recreation as their preference. Regarding the types of recreation in relation to the residence of the investigated, it was found that those who live in kitnet practice play recreation and those who live in their own house or apartment prefer hedonic receation. Conclusion: the results evidenced that the recreation habits in the bodybuilders have the recreational leisure with higher score.


Palavras-chave


Atividades de Lazer; Musculação; Adultos

Texto completo:

PDF

Referências


-Baptista, P. B. Epidemiologia da atividade física. Rev SOCERJ. Vol. 8. p. 4-173. 2000.

-Dumazedier, J. Lazer e Cultura Popular. São Paulo. Perspectiva. 2000.

-Esculcas, C.; Mota, J. Atividade física e práticas de lazer em adolescentes. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto. Vol. 5. Núm. 1. 69-76. 2005.

-Formiga, N. S.; Ayroza, I.; Dias, L. Escala das atividades de hábitos de lazer: construção e validação em jovens. PSIC - Revista de Psicologia do Vetor Editora. Vol. 6. Núm. 2. p. 71-79. 2005.

-Freire, T.; Soares, I. O impacto psicossocial do envolvimento em atividades de lazer no processo de desenvolvimento adolescente. Psicologia: Teoria, Investigação e Prática. Vol. 1.23-40. 2000.

-Frota, A. M. M. C. Diferentes Concepções da infância e adolescência: a importância da historicidade para sua construção. Estudos e Pesquisas em Psicologia. UERJ-RJ. Vol. 7. Núm. 1. p.147-160. 2007.

-Furtado, R. P. Do fitness ao wellness: os três estágios no desenvolvimento das academias de ginástica. Pensar a Prática (UFG). Vol. 12. p. 1. 2009.

-Guedes, D. P.; Guedes, J. E. R. P.; Barbosa, D. S.; Oliveira, J. A. Níveis de prática de atividade física habitual em adolescentes. Rev. Bras. Med. Esporte. Vol. 7. Núm. 6. 2001.

-Marcelino, N. C. Lazer e humanização. 3ª edição. Campinas. Papirus. 2004.

-Marcelino, N. C. Lazer e humanização. 3ª edição. Campinas. Papirus. 2000.

-Mendes, M. I. B. S.; Medeiros, L. P. Interfaces entre saúde, lazer e educação: reflexões sobre práticas corporais. Holos. Ano 24. Vol. 2. São Paulo. 2008.

-Meurer, S.T. Motivos para a prática de exercícios físicos, autoestima e a aptidão funcional de idosos: baseados na teoria da autodeterminação. Dissertação Mestrado. UFSC. Florianópolis. 2010.

-Ministério da Saúde. Programa Nacional de Promoção da Atividade Física “Agita Brasil”: atividade física e sua contribuição para a qualidade de vida. Rev Saúde Pública. Vol. 36. p. 6-254. 2002.

-Papalia, D.; Ol’ds, S. Desenvolvimento Humano. 7ª edição. Porto Alegre. Artes Médicas Sul. 2006.

-Parkes, C. M. Luto: estudos sobre a perda na vida adulta. São Paulo. Summus. 1998.

-Pasquali, L.; Alves, A.R.; Pereira, M. A. M. Escala de locus de controle ELCO/TELEBRÁS. Psicologia. Reflexão e Crítica. Vol. 11. Núm. 2. p. 363-378. 1998.

-Tenório, M. C. M.; Barros, M. V. G.; Tassitano, R. F.; Bezerra, J.; Hallal, P. C. Atividade física e comportamento sedentário em adolescentes estudantes do ensino médio. Rev. Bras. Epidemiologia. 2010.


Apontamentos

  • »


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui