Avaliação do consumo de bebidas energéticas por estudantes de uma universidade de São Paulo-SP

Raquel Ramada, Marcia Nacif

Resumo


Introdução: Recentemente, observou-se uma rápida popularização no consumo de bebidas energéticas com o intuito de melhorar o desempenho, resistência e estado de alerta, estimular o metabolismo e sensação de bem-estar, diminuir a sonolência e auxiliar na eliminação de conteúdos nocivos ao organismo. No entanto, seu uso excessivo pode causar prejuízos à saúde como arritmias e morte súbita, especialmente quando consumidas com álcool. Objetivos: Nesse contexto, este estudo avaliou o consumo de bebidas energéticas por estudantes de uma universidade do município de São Paulo. Metodo: Trata-se de um estudo transversal, realizado com 200 indivíduos adultos, de ambos os gêneros, estudantes de uma universidade privada de São Paulo. Aplicou-se um questionário que continha informações referentes aos hábitos de consumo de bebidas energéticas. Resultados: O consumo de bebidas energéticas foi relatado por 67,5% dos entrevistados, principalmente para ficarem acordados (38%), por gostarem do sabor da bebida (32%) e com a finalidade estimulante (20,5%). Entre as ocasiões em que os jovens consumiram bebidas energéticas, a maioria (38%) citou festas, seguidas por bares (32%) e danceterias (20,5%). Grande parte dos universitários utilizava as bebidas em combinação com uísque (25%), vodca (55%) ou cerveja (8%). Conclui-se que grande parte dos entrevistados consome bebidas energéticas, e muitas vezes a ingestão é associada ao álcool. Conclusão: Assim, sugere-se que a população conheça os produtos que consomem para que possam usufruí-los de forma adequada.

 

ABSTRACT 

Evaluation of consumption of energy drinks by students of a university of São Paulo-SP

Introduction: Recently, it has been observed a fast popularization in the consumption of energy drinks in order to improve the performance, resistance and alertness, to stimulate the metabolism and sensation of well-being, to diminish the drowsiness and to help in the elimination of harmful contents to the organism. However, its overuse can cause health damage like arrhythmias and sudden death, especially when consumed with alcohol. Objective: In this context, this study evaluated the consumption of energy drinks by students of a university in the city of São Paulo. Method: This is a cross-sectional study of 200 adult individuals of both genders, students from a private university in São Paulo. A questionnaire containing information on the consumption habits of energy drinks was applied. Results: The consumption of energy drinks was reported by 67.5% of the interviewees, mainly to stay awake (38%), because they liked the taste of the drink (32%) and with a stimulating purpose (20.5%). Among the occasions when young people consumed energy drinks, most (38%) cited parties, followed by bars (32%) and night clubs (20.5%). Most college students used beverages in combination with whiskey (25%), vodka (55%) or beer (8%). It is concluded that most of the interviewees consume energy drinks, and often the intake is associated with alcohol. Conclusion: Thus, it is suggested that the population knows the products they consume so that they can enjoy them properly.


Palavras-chave


Bebidas energéticas; Bebidas alcoólicas; Cafeína

Texto completo:

PDF

Referências


-Arria, A.M.; Caldeira, K.M.; Kasperski, S.J.; Vincent, K.B.; Griffiths, R.R.; O'grady, K.E. Energy Drink Consumption and Increased Risk for Alcohol Dependence. Alcohol Clin Exp Res. Vol. 35. Num. 2. 2011. p.365-375.

-Ballistreri, M.C.; Corradi-Webster, C.M.; Consumption of energy drinks among physical education students. Rev Latino-am Enfermagem. Vol. 16. 2008. p.558-564.

-Buchanan, J.C.; Pillon, S.C.; O uso de drogas entre estudantes de medicina em Tegucigalpa, Honduras. Rev Latino-am Enfermagem. Vol. 16. 2008. p.596-600.

-Brasil. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução Diretoria Colegiada RDC n° 273, de 22 de set. de 2005. Aprova O "Regulamento Técnico Para Misturas Para O Preparo De Alimentos E Alimentos Prontos Para O Consumo". D.O.U. Diário Oficial da União; Poder Executivo, DF, 23 set. 2005. Brasília. 2005.

-Carvalho, G.P. Lançamento de Marcas: a influência dos preços e dos benefícios informativos/utilitários na participação do mercado de energéticos. Trabalho de conclusão de curso apresentado para obtenção do título de Bacharel em Administração. Universidade de Brasília. 2011. 48p.

-Carvalho, J.M.; Maia, G.A.; Sousa, P.H.M.; Rodrigues, S.; Perfil dos principais componentes em bebidas energéticas: cafeína, taurina, guaraná e glucoronolactona. Rev Inst Adolfo Lutz. Vol. 65. Num. 2. 2006. p 78-85.

-Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466/2012, de 04 de dezembro de 2012. Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisas Envolvendo Seres Humanos. Brasília. 2012.

-EXAME. Mercado de bebidas energéticas projeta crescimento de até 15% para os próximos anos. 2017. Disponível em: https://exame.abril.com.br/negocios/dino/mercado-de-bebidas-energeticas-projeta-crescimento-de-ate-15-para-os-proximos-anos-dino89095786131/.

-Ferreira, S.E.; Mello, M.T.; Formigoni, M.L.O.S. O efeito das bebidas alcoólicas pode ser afetado pela combinação com bebidas energéticas? Um estudo com usuários. Rev Assoc Med Bras. Vol. 50. Num.1. 2004. p.48-51.

-Giles, E.G.; Mahoney, C.R.; Brunyé, T.T.; Gardony, A.L.; Taylor, H.A.; Kanarek, R.B. Differential cognitive effects of energy drink ingredients: Caffeine, taurine, and glucose. Pharmacology, Biochemistry and Behavior. Vol. 102. 2012. p.569-577.

-Gómez-Miranda, L.M.; Bacardi-Gascon, M.; Meza, N.Y.C.; Cruz, A.J. Consumo de bebidas energéticas, alcohólicas y azucaradas en jóvenes universitarios de la frontera México-USA. Nutr Hosp. Tijuana. Vol. 31. Num. 1. 2015. p.191-195.

-Pennay, A.; Lubman, D. Alcohol and energy drinks: a pilot study exploring patterns of consumption, social contexts, benefits and harms. BMC Research Vol. 5. Num. 369. 2012. p.1-10.

-Valle, M.T.C.; Avaliação da neurotoxicidade de bebidas energéticas contendo cafeína e taurina em ratos. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Dissertação de Mestrado em Neurociências. Rio Grande do Sul. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento

IBPEFEX - Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício

Editor-Chefe: Francisco Navarro. E-mail para contato: aqui

Editor Gerente: Francisco Nunes Navarro. E-mail para contato:aqui